sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Lotações acabam com atravessadores no financiamento de veículos

Bispo: retorno aumentava parcelas em até 500 reais



Fim da taxa de retorno 
é conquista da Federação



Com pouco mais de um ano de existência, a Federação do Transporte Alternativo de Passageiros do Estado de São Paulo já mais do que mostrou a que veio. A entidade tem unido a categoria de lotação para fortalecer as discussões de questões com órgãos públicos – como no caso das conversas com a prefeitura em torno aos problemas que levaram à ameaça de greve de motoristas, anunciada em nossa última edição – e também com o setor privado, para obter melhorias em preços e qualidade de produtos e serviços.
Nessa última área, a Federação havia conseguido segurar o aumento do preço dos veículos no início do ano. Agora, acaba de conseguir uma vitória importante: o fim da taxa de retorno sobre o financiamento bancário, que era aplicada pelas concessionárias e/ou agentes na hora da compra do veículo. A vitória resultou de uma reunião com representes diretos dos bancos Panamericano e Rodobens, para barrar o acréscimo da taxa e, em contrapartida, as cooperativas vão descontar o valor da parcela do financiamento do veículo direto do pagamento do motorista.
Valter Bispo, um dos diretores da entidade, a taxa de retorno aumentava as parcelas em até 500 reais, e o preço final do veículo em entre 15 mil e 30 mil. “As pessoas não faziam essa conta”, explica.
A próxima conquista, que deve ser anu-nciada até o fim do mês, é o parcelamento da entrada em três vezes, a ser paga em 30, 60 e 90 dias, e depende de uma reunião com fabricantes e concessionárias. “Assim dá tempo do moto-rista vender o carro antigo com calma e conseguir um bom valor, porque o que acontecia é que as concessionárias ficavam com o usado por um valor muito abaixo do mercado”, explica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário