terça-feira, 30 de abril de 2013

Semmec e SindimotoGru assinam convenção coletiva

Robson Couto- Presidente do SindimotoGRU, Wagner de Moraes - Diretor Regional do Semmec,
 Antonio Brilhante -  Presidente do Semmec e André do SindimotoGRU

Aumento do piso salarial e benefícios 
são as principais conquistas

A convenção coletiva de trabalho que estipula as condições de trabalho para a categoria, foi assinada pelo Semmec – Sindicato das Empresas de Mensageiros Motociclistas do Estado de São Paulo e o SindimotoGru de Guarulhos e região.
Essa convenção vale por um período de 1 ano ou seja, com validade até 30 de abril de 2014. O motofretista profissional passou a ganhar um piso salarial de R$ 1.000,00, seguro de vida (com cobertura de R$ 25.000,00 por morte acidental, o mesmo valor para os casos de invalidez permanente total ou parcial por acidente e R$ 2.500,00 a título de auxílio funeral) e assistência odontológica pagos pela empresa.
Os empresários comprometem-se a pagar até 50% do valor da assistência médica.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

“Não vai ter volta”, diz Daniel Telles diretor do DTP


Wanessa Lemos (Jornalista do JT) e Daniel Telles ( Diretor do DTP)

Essas palavras servem de alerta 
para os motoboys de São Paulo

A equipe do Jornal do Transporte fez uma entrevista exclusiva com o diretor Daniel Telles do DTP. Que assumiu o cargo em janeiro de 2013 logo após o prefeito Haddad tomar posse da prefeitura. Desde então vem tendo um trabalho árduo de 12 horas por dia para trazer benefícios à população.
Na entrevista, Daniel ressaltou diversas atividades que são responsabilidades do DTP como: 
Motofrete, táxis, transporte escolar, fretamento e transporte de carga.

JT: Qual a situação atual em relação aos mofretistas?
Daniel: Estamos fazendo um levantamento das empresas com cadastro e divulgando no Diário Oficial para que as pessoas fiquem cientes das que estão regulares.
Além disso, estamos notificando as empresas que não foram atualizadas a comparecem para se regularizar. Após esse período iremos entrar em ação e levaremos um fiscal em cada empresa para que seja feita a vistoria. Lembrando às pessoas que contratam serviços de tais que estão sob a irregularidade, você arca com as conseqüências. Estudamos também uma maneira de simplificar esse cadastramento.
Já no caso da fiscalização da resolução 411 do Contram que trata do curso, muitos não estão acreditando que a fiscalização vai funcionar, porém o estado está cercando e não vai ter volta.


JT: Haverá novo sorteio de vagas para o táxi?
Daniel: Isso é uma decisão do prefeito, ao todo são 33 mil táxis com alvarás.


JT: Como o DTP fiscaliza os taxistas?
Daniel: É um processo administrativo, o taxista tem que estar dentro dos aspectos técnicos e legais. Se ele não estiver dentro desses critérios podemos caçar.
Temos todo o prontuário do taxista de tudo que ele já fez, e avaliamos e se ele estiver ilegal mandamos à fiscalização do município.

JT: Qual programa está sendo desenvolvido pelo DTP para melhoria dessas áreas?
 Daniel: Uma grande novidade é que está sendo desenvolvido um edital para um leilão dos carros, lotação, táxis e ônibus que estão no pátio há muitos anos.
O ultimo leilão ocorreu em 2005, e queremos fazer o mais rápido possível para preservar o valor dos veículos já que eles estão deteriorando.
O outro projeto e que teremos uma parceria com vários órgãos, e assim criar um centro para que todos os serviços que tem a ver com o transporte público sejam feitos dentro do Pátio. O Detran, Ipem, DSV, SPTrans, DTI e Banco do Brasil serão os nossos parceiros, com apoio do Secretário de transporte Jilmar Tato e junto com o diretor do Detran Daniel Annerberg estão muito empolgados com esse projeto que tem tudo para funcionar , pois já existe um Posto em Aricanduva que é o Detran junto com o DSV. Vamos ajudar as pessoas para que não seja necessário o deslocamento, é um conceito como o do “Poupa Tempo”.