quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Taxistas protestam em SP contra proposta de regulamentar Uber

Quem o prefeito que agradar os empresários do aplicativo pirata ou os 38 mil taxistas que esperam uma decisão justa contra a concorrência desleal?

Taxistas protestaram nessa terça feira em São Paulo, contra a proposta da prefeitura de regulamentar o transporte de passageiros por aplicativos de “caronas pagas”.
Eles reclamam que não foram consultados sobre a proposta de decreto; A prefeitura, por sua vez, diz que está dialogando com a categoria e fazendo consulta pública pela internet para analisar sugestões da população.

Os taxistas se reuniram em um protesto contra mais uma tentativa da prefeitura de regulamentar o uso de aplicativos como o Uber, que faz transporte de passageiros com motoristas particulares.
O Viaduto do Chá foi tomado por centenas de táxis desde a Praça Ramos de Azevedo, no Theatro Municipal. Os taxistas paravam todo táxi que passava.

O decreto prevê que essas empresas paguem à prefeitura por quilômetro rodado. O valor pode variar conforme o horário e a distância. Quanto maior for o trajeto, menor a cobrança.

O decreto vai ficar em consulta pública por 30 dias. A população vai poder opinar pela internet. Uma das reclamações dos taxistas é que eles são os maiores interessados e não foram consultados.

“A proposta do prefeito, que ele está apresentando, ela é ilegal. Ela tinha que passar pela Câmara Municipal. Não é ele chegar e: ‘Vou decretar. É um decreto meu e vai funcionar’. Isso não pode, não existe. Então, ele está passando por cima da Câmara Municipal”, afirma o presidente do Sindicato dos Taxistas de SP, Natalício Bezerra Silva.

Por outro lado Antonio Raimundo o "Ceará", presidente do Simtetaxis, lidera o protesto.

É a segunda tentativa da Prefeitura em menos de três meses para enquadrar o Uber ao sistema de transporte municipal, atitude condenada pelos taxistas.


Em torno de todas noticias querem transformar os taxistas nos vilões, onde eles pedem apenas para que o aplicativo seja conduzido de uma maneira legal, já que eles não pagam nenhuma taxa e não enfrentam nenhuma burocracia na qual é exigida pela prefeitura.

Resta saber se os alvarás da categoria táxi preto foram suspensos para implantar uma medida que apenas agradam os empresários do aplicativo pirata, já que eles não querem pertencer a nenhuma categoria e pagar uma simples taxa para continuar rodando de forma desleal.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Federação realiza confraternização com lideranças e encerra o ano com muitas emoções


O almoço aconteceu na Churrascaria Fogo de Chão
E teve a participação de lideranças e empresários
Os sindicatos de taxistas do Estado de São Paulo participaram da celebração da Federação dos taxistas realizada na churrascaria Fogo de Chão.
O evento foi à celebração de final de ano e também a despedida do Presidente da Fetacesp José Fioravanti, que renunciou o mandato por conta da sua saúde debilitada.
Com a renuncia do Fioravanti, quem irá assumir até junho de 2017 será o vice – presidente, Odemar Ferreira que atualmente é presidente do sindicato dos Taxistas Autônomos de Santo André e região.
Além da presença dos presidentes dos sindicatos de São Paulo, participaram empresários do setor; Ricardo Auriemma, presidente da Adetax se emocionou com a despedida.
“Meu pai que participou junto com a categoria, tinha um grande respeito e amizade pelo Fioravanti, eu só tenho agradecer esses anos de parceria e de ter me recebido com muito carinho, desejo toda a felicidade do mundo, pois ele merece mais que isso”, fala Auriemma.
 Fioravanti agradeceu a presença de todos e estava emocionado.
“É com muita alegria de ano após ano que tive o prazer de organizar esse almoço com amigos que moram no meu coração e que sempre enfrentaremos as dificuldades da categoria juntos. 
Tenho orgulho de ter defendido os interesses da categoria a frente dessa entidade, muitas foram as lutas e ainda virão maiores, mas agora dou todo o apoio para Odemar que sei que irá conduzir com o mesmo carinho que tive”, declara José.
José Fioravanti conduziu a Federação por mais de 30 anos sendo responsável por inúmeras vitórias da classe, como a isenção de IPI e ICMS para a compra de veículos zero quilômetro, isenção de IPVA para os taxistas e a liminar que limita o número de táxis em todos os municípios.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Detran.SP não vai exigir exame toxicológico para motoristas profissionais a partir de 1º de janeiro

Legislação federal obriga a realização do teste por motoristas habilitados nas categorias C, D e E; Estado de São Paulo conseguiu autorização prévia da Justiça para não implantar a medida

Os motoristas do Estado de São Paulo não terão de realizar o exame toxicológico para renovar ou obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E a partir de 1º de janeiro, como prevê a resolução 529 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

A pedido do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), o Estado de São Paulo ingressou com uma ação na Justiça contra a medida e conseguiu autorização prévia (tutela antecipada) para não condicionar a concessão da CNH ao teste. O processo continua em curso na Justiça Federal - 9ª Vara Cível da Capital de São Paulo.

“O Detran.SP é favorável a medidas que reduzam os acidentes e, consequentemente, aumentem a segurança no trânsito. Mas, diante da falta de comprovação da eficiência do exame toxicológico proposto pela atual legislação federal, é contra essa obrigatoriedade no processo de habilitação. Seria mais eficiente um exame realizado na própria via, o que comprovaria que o condutor realmente dirige sob efeito de drogas”, afirma Daniel Annenberg, diretor-presidente do Detran.SP.

A comunidade médica e profissionais de trânsito de todo país também são contrários à medida. Entre as críticas mais recorrentes está o tipo de exame. Para os especialistas envolvidos, a exigência é discriminatória, inconstitucional, viola a ética médica e não há evidências científicas que comprovem sua eficácia para a segurança no trânsito. Além disso, o teste tem alto custo (cerca de 100 dólares) e não é feito por nenhum laboratório brasileiro. Hoje, as amostras são enviadas para análise no exterior.

A legislação federal prevê que o exame seja feito mediante a coleta de cabelo, pelo ou unhas com o objetivo de detectar o consumo de substâncias psicoativas que comprometam a capacidade de direção no momento de renovar ou obter a habilitação. O resultado precisa dar negativo para os três meses anteriores ao teste.

No entanto, o resultado negativo no exame toxicológico não significa dizer que o cidadão não fará uso de drogas posteriormente, já com a CNH renovada, e conduzirá veículo sob efeito dessas substâncias. Além disso, conforme alerta da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), o motorista pode, por exemplo, burlar o teste ao deixar de usar drogas no período que é coberto pela janela de detecção (90 dias retroativos).

“O exame tem algumas brechas e tornará o processo de habilitação mais demorado, uma vez que a coleta será encaminhada para o exterior e posteriormente ainda deverá ser avaliada por um médico. O teste também não tem como aferir se o motorista utilizou a droga enquanto dirigia ou se fez uso em um momento particular, fora da condução de veículos. Impedir que um motorista profissional que depende da habilitação para trabalhar renove o documento pela interpretação de um exame falso positivo poderá resultar em demandas judicias tanto para o Estado quanto para os médicos”, ressalta Annenberg.

É importante frisar que a realização do exame e a identificação de substâncias psicoativas não constitui por si a inaptidão do motorista à renovação ou à habilitação nas categorias C, D e E. O cidadão pode ter utilizado medicamentos que tenham em sua composição algum elemento detectado pelo exame, por exemplo. Por esta razão, a quantidade e a duração do uso identificadas no exame deverão ser submetidas à avaliação de um médico credenciado pelo Detran.SP, que emitirá um laudo final de aptidão do candidato.

Classe médica não foi ouvida - Na elaboração dessa exigência, não foram consultadas as entidades médicas, nem mesmo a Câmara Temática de Saúde e Meio Ambiente no Trânsito do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Entre as entidades que são contrárias à obrigatoriedade do exame toxicológico estão: Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Sociedade Brasileira de Toxicologia (SBTOx), Conselho Federal de Medicina, Sociedade Brasileira de Ciências Forenses (SBCF), Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT), Conselho Regional de Biomedicina, Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo, Departamento de Análises clínicas e Toxicológicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), Associação Brasileira de Medicina do Trabalho (ABMT), além do próprio Ministério da Saúde.

"A principal crítica à obrigatoriedade do exame toxicológico de larga janela de detecção para consumo de substâncias psicoativas volta-se ao fato de a obrigação não encontrar paralelo em qualquer outro país como forma de política pública direcionada à redução de mortes no trânsito. De fato, não há qualquer evidência científica de que a obrigatoriedade da realização desse exame durante o processo de habilitação ou de renovação tenha algum impacto positivo na redução de lesões e mortes no trânsito", ressalta o presidente da Abramet, Dr. José Heverardo da Costa Montal.

Profissionais da área médica fazem ainda outro alerta: por meio do exame de larga janela de detecção feito a partir do cabelo não é possível determinar com exatidão quando o indivíduo fez uso de droga, mas apenas estimar esse tempo.

Vale ressaltar que nenhum dos 185 países signatários da Década de Ação para Segurança Viária 2011-2020, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para reduzir pela metade o número de acidentes e mortes no trânsito, realiza exames em cabelo, pelo ou unha dos motoristas.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Resolução que torna facultativo o uso de extintores de incêndio é suspensa




Contran agiu de forma unilateral com a medida

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados suspendeu a resolução 556/15 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que tornava facultativo o uso de extintores de incêndio em automóveis, utilitários, caminhonetes e triciclos de cabine fechada.
Para justificar a anulação, o deputado Hugo Leal (RJ), relator da comissão, defendeu o fato de que o Contran agiu de forma unilateral, causando transtornos aos proprietários de veículos que já haviam adquirido os extintores do tipo ABC e aos fabricantes e vendedores do equipamento, que passaram a sofrer com o encalhe dos produtos.

Em setembro, o Contran justificara a desobrigação do extintor com um estudo que constatou a baixa incidência de incêndios dentro do volume total de acidentes com veículos. O estudo também concluiu que o uso do extintor sem preparo representaria mais risco ao motorista do que o próprio incêndio em si.
A proposta ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, inclusive quanto ao mérito, antes de ser votada pelo Plenário da Câmara.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Radares pistola multam mais de 56 mil motociclistas nas marginais de SP


Modelo foi implantado nas Marginais Tietê e Pinheiros para flagrar motos

Os radares móveis, tipo pistola, já registraram mais de 56 mil multas na capital paulista aos motociclistas nas Marginais Tietê e Pinheiros, apenas nos meses de outubro e setembro. Cerca de 46 motociclistas são multados por hora na cidade de São Paulo com o radar móvel.
Os radares pistola começaram a ser usados depois que a Prefeitura admitiu que os fixos não conseguem flagrar as motos que circulam entre as faixas. Um levantamento da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) mostrou que dos 140 acidentes nas marginais, 113 tinham motos envolvidas.

Os radares móveis estão espalhados por 38 pontos da cidade e tem cinco em cada uma das marginais.


terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Sorteio de alvarás da categoria táxis preto é cancelado

O Tribunal de Contas do Município, suspendeu o sorteio dos 5 mil alvarás para táxis pretos na cidade de São Paulo. O conselheiro Edson Simões afirmou que o sorteio, realizado na semana passada, foi feito antes que o tribunal pudesse analisar o edital. A Prefeitura disse que vai responder a todos os questionamentos do TCM e que aguarda uma resposta o mais rápido possível.

Essa modalidade com veículos de luxo vai atuar exclusivamente com aplicativo. Taxistas com documentação para veículos brancos poderão migrar para o novo serviço.
A criação do serviço de luxo por aplicativo surgiu após a polêmica envolvendo um aplicativo pirata e os taxistas. Após série de protesto de motoristas de táxi, a Câmara Municipal decidiu proibir o aplicativo de transporte individual. Uma emenda da Prefeitura, porém, permitiu a criação desta nova categoria.


terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Prefeitura de São Paulo reabre Credenciamento para o TEG ( Vai e volta)

os transportadores escolares poderão fazer o credenciamento para o
transporte escolar gratuito – TEG ( Vai e Volta).

O contrato é valido por 12 meses e poderá ser prorrogado por mais 60 meses.

Poderão participar pessoas físicas e pessoas jurídicas que deverão se cadastrar pelo site da Secretaria Municipal de transporte no seguinte endereço eletrônico:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes/noticias/?p=207011

e comparecer no Departamento de transportes Públicos – DTP na Rua Joaquim Carlos 655 – Pari, com a documentação exigida no edital na data e horário agendados na hora do credenciamento feito pelo site.


Para o credenciamento acesse o link:

http://credenciamentoescolar.prefeitura.sp.gov.br/PaginasPublicas/frmInicio.aspx

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Prorrogada para 01/02 /2017 a obrigatoriedade do uso de cadeirinha no transporte escolar

O diretor do sindicato do transporte escolar de São Paulo, Donay Neto e o transportador escolar da Zona Sul Carlos Eduardo Monezi estiveram em Brasília nesta quarta-feira dia 25 de novembro.
E acompanharam em loco a reunião ordinária do Conselho Nacional de Trânsito que APROVOU a suspensão até o dia 01/02/2017 das Resoluções 533 e 541.

Abstiveram-se de votar, o Ministério da Educação e o Ministério da Justiça.

A nova resolução será publicada no Diário Oficial da União de 26/11/2015

Fonte: O Amigo Escolar

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Licenciamento 2015:veículos com placas de final 0 e caminhões com finais 9 e 0 devem ser licenciados em dezembro

Não basta pagar a taxade R$ 72,25, é preciso portar o licenciamento 2015. Quem preferir pode receber o documento pelos Correios, pagando R$ 11 pela postagem
Proprietáriosde veículos com placas de final 0 e caminhões com finais 9 e 0 devem realizar o licenciamento obrigatório do exercício 2015 durante o mês de dezembro. Isso significa que no dia 1º de janeiro esses veículos estarão em situação irregular caso circulem sem o licenciamento 2015.

Oserviço pode ser feito de forma eletrônica via sistemabancário , com entregado Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) pelos Correios, ou presencialmente nos postos do Detran.SP e do Poupatempo.

É válidoressaltar que não basta pagar a taxa de licenciamento, que é de R$ 72,25. É preciso portar o CRLV,conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), válido em todo o país.

Quem optar pela entrega via postagem precisa fazer o licenciamento com antecedência para receber o documento até o final do mês. Após a emissão do CRLV, o prazo de entrega dos Correios é de até sete dias úteis.

Conduzir veículo com o licenciamento em atraso é infração gravíssima (artigo 230 do CTB): multa de R$ 191,54, inserção de sete pontos no prontuário doproprietário, além de apreensão e remoção do veículo. Já conduzir sem portar o documento, mesmo que o licenciamento esteja em dia, é infração leve (artigo 232 do CTB): multa de R$ 53,20, três pontos na carteira e retenção do veículo até que o CRLV seja apresentado.

No Estado de São Paulo, o calendário de licenciamento é entre abril e dezembro, de acordo com o final da placa. Já os veículos de carga (caminhão) devem ser licenciados entre setembro e dezembro.

Alerta via push – O Detran.SP envia lembrete sobreo prazo para licenciamento por meio de push, que são mensagens enviadas por aplicativos aos dispositivos móveis, como celular e tablete. Para receber o aviso, basta baixar gratuitamente o aplicativo “Detran.SP” nas lojas virtuais Google Play ou Apple.

Oaviso é enviado ao usuário que não tiver feito o licenciamento até o começo do mês correspondente ao final de placa de seu veículo, quando o licenciamento é obrigatório. Para receber a notificação push, o motorista deve habilitar a opção de recebimento deste tipo de alerta em seu aparelho.

Passo a passo – A taxa de licenciamento para oexercício 2015 é de R$ 72,25 e pode ser paga na internet, em caixas eletrônicos ou nas agências dos bancos credenciados. Ao realizar o licenciamento, é precisoquitar possíveis débitos de IPVA, seguro obrigatório e multas.

O pagamento deve ser feito por meio do número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Para receber o documento via Correios, é necessário pagar o valor adicional de R$ 11, referente à postagem. É imprescindível que o endereço esteja atualizado no Detran.SP. Caso contrário, não será possível fazer a entrega e o cidadão terá de retirar o documento em uma unidade de atendimento .

Quem preferir fazer o licenciamento presencialmente deve apresentar o comprovante de pagamento e um documento de identificação na unidade do Detran.SP na qual o veículo está registrado ou nos postos do Poupatempo. Lembrando que nessa modalidade não se deve pagar o valor de envio pelos Correios. O serviço pode ser feito pelo proprietário do veículo, procurador ou por parentes próximos (pais, filhos, irmãos e cônjuge).

Opasso a passo completo está disponível na área de "Veículos" do portal Detran.SP ( www.detran.sp.gov.br)ou diretamente neste link http://scup.it/8chl.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Licenciamento 2015:veículos com placas de final 0 e caminhões com finais 9 e 0 devem ser licenciados em dezembro

Não basta pagar a taxade R$ 72,25, é preciso portar o licenciamento 2015. Quem preferir pode receber o documento pelos Correios, pagando R$ 11 pela postagem
Proprietáriosde veículos com placas de final 0 e caminhões com finais 9 e 0 devem realizar o licenciamento obrigatório do exercício 2015 durante o mês de dezembro. Isso significa que no dia 1º de janeiro esses veículos estarão em situação irregular caso circulem sem o licenciamento 2015.

Oserviço pode ser feito de forma eletrônica via sistemabancário , com entregado Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) pelos Correios, ou presencialmente nos postos do Detran.SP e do Poupatempo.

É válidoressaltar que não basta pagar a taxa de licenciamento, que é de R$ 72,25. É preciso portar o CRLV,conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), válido em todo o país.

Quem optar pela entrega via postagem precisa fazer o licenciamento com antecedência para receber o documento até o final do mês. Após a emissão do CRLV, o prazo de entrega dos Correios é de até sete dias úteis.

Conduzir veículo com o licenciamento em atraso é infração gravíssima (artigo 230 do CTB): multa de R$ 191,54, inserção de sete pontos no prontuário doproprietário, além de apreensão e remoção do veículo. Já conduzir sem portar o documento, mesmo que o licenciamento esteja em dia, é infração leve (artigo 232 do CTB): multa de R$ 53,20, três pontos na carteira e retenção do veículo até que o CRLV seja apresentado.

No Estado de São Paulo, o calendário de licenciamento é entre abril e dezembro, de acordo com o final da placa. Já os veículos de carga (caminhão) devem ser licenciados entre setembro e dezembro.

Alerta via push – O Detran.SP envia lembrete sobreo prazo para licenciamento por meio de push, que são mensagens enviadas por aplicativos aos dispositivos móveis, como celular e tablete. Para receber o aviso, basta baixar gratuitamente o aplicativo “Detran.SP” nas lojas virtuais Google Play ou Apple.

Oaviso é enviado ao usuário que não tiver feito o licenciamento até o começo do mês correspondente ao final de placa de seu veículo, quando o licenciamento é obrigatório. Para receber a notificação push, o motorista deve habilitar a opção de recebimento deste tipo de alerta em seu aparelho.

Passo a passo – A taxa de licenciamento para oexercício 2015 é de R$ 72,25 e pode ser paga na internet, em caixas eletrônicos ou nas agências dos bancos credenciados. Ao realizar o licenciamento, é precisoquitar possíveis débitos de IPVA, seguro obrigatório e multas.

O pagamento deve ser feito por meio do número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Para receber o documento via Correios, é necessário pagar o valor adicional de R$ 11, referente à postagem. É imprescindível que o endereço esteja atualizado no Detran.SP. Caso contrário, não será possível fazer a entrega e o cidadão terá de retirar o documento em uma unidade de atendimento .

Quem preferir fazer o licenciamento presencialmente deve apresentar o comprovante de pagamento e um documento de identificação na unidade do Detran.SP na qual o veículo está registrado ou nos postos do Poupatempo. Lembrando que nessa modalidade não se deve pagar o valor de envio pelos Correios. O serviço pode ser feito pelo proprietário do veículo, procurador ou por parentes próximos (pais, filhos, irmãos e cônjuge).

Opasso a passo completo está disponível na área de "Veículos" do portal Detran.SP ( www.detran.sp.gov.br)ou diretamente neste link http://scup.it/8chl.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Bolsões para motos reduzem atropelamentos, diz prefeitura.


Com o objetivo de trazer mais segurança para motociclistas, ciclistas e também motoristas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) da cidade de São Paulo inaugurou uma faixa de retenção em alguns semáforos especialmente para motos e bicicletas. Um dos locais escolhidos para os primeiros testes e foi à esquina da Avenida Rebouças, sentido centro, com a Rua Estada Unidos, no bairro de Pinheiros, na capital paulista. O objetivo desta iniciativa é criar uma área exclusiva para a permanência de ciclistas e motociclistas à frente dos carros, mas antes da faixa de pedestres, quando estiver aguardando o semáforo abrir.

O idealizador desse projeto foi Aldemir Martins, o “Alemão”, que é o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Motociclistas da Cidade de São Paulo que protocolou a idéia dos bolsões em Abril de 2013.
A Espanha criou essa ideia em 2008, inicialmente nas cidades de Madri e Barcelona, o sistema logo conquistou consenso positivo não apenas entre os usuários de veículos de duas rodas como também dos automobilistas, com um índice de aprovação de nada menos do que 97%, de acordo com pesquisa realizada em 2010 pelo "Ayuntamiento de Madrid", a municipalidade da capital espanhola. Em Barcelona, as autoridades afirmam que a faixa de retenção diminui em 90% o risco de acidente.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) fez um levantamento esse mês que, na qual foi constatado a diminuição no número de atropelamentos e de acidentes com motos caíram em cruzamentos com semáforos onde a prefeitura instalou os bolsões para motos e bicicletas.

Atualmente são 326 pontos que possuem os bolsões, sendo monitorados 54 cruzamentos antes e depois para implementação desses bolsões.
O Resultado divulgado é que o numero de atropelamentos caiu de 43 para 31 (que de 28%) e o acidentes com moto de 102 para 177 (redução de 25%).


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Uber reduz preço de corrida em SP e se posiciona contra a categoria táxi preto


A empresa anunciou que vai conceder descontos de 15% nas corridas

A decisão surgiu como resposta ao decreto da gestão Haddad que criou a categoria do Táxi Preto, que permitirá aos profissionais cobrarem 25% a mais que uma tarifa comum.
A empresa de Carona remunerada "Uber"  lançou de uma ferramenta que permite ao consumidor comparar os preços da quilometragem do táxi e dos veículos credenciados pelo aplicativo.
Calculator SP, como foi chamada a ferramenta, também dá ao usuário a possibilidade de comparar preços como se utilizasse o veículo próprio. O valor final é informado com base em gastos com IPVA, seguro e manutenção.
Foi decretada ainda com o lançamento de uma ferramenta que permite ao consumidor comparar os preços da quilometragem do táxi e dos veículos credenciados pelo aplicativo de carona remunerada.
Calculator SP, como foi chamada a ferramenta, também dá ao usuário a possibilidade de comparar preços como se utilizasse o veículo próprio. O valor final é informado com base em gastos com IPVA, seguro e manutenção; É uma maneira que eles estão apelando para atrair um maior número de passageiros, tendo em vista que as denúncias do Uber só aumentam.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Táxis vão aceitar cartões e poderão transportar bicicletas em SP

São 30 dias para se adequar, a determinação foi publicada pelo Diário Oficial no dia 20/11

Os taxistas de São Paulo deveram aceitar cartões de crédito e débito para pagamento de corridas, a medida também determina que os táxis tenham carregador de celulares e tablets.

O artigo 1º da portaria sobre os cartões diz que "é obrigatório ao taxista disponibilizar meios de pagamento eletrônicos ao passageiro, como mais uma opção de pagamento do valor do serviço prestado de transporte individual remunerado de passageiros, em veículos de aluguel, providos de taxímetro".
A portaria diz ainda que os veículos deverão ser equipados com instalação de carregador de energia elétrica para celulares, tablets e notebook para serem disponibilizados na forma de cortesia aos passageiros

O taxista que descumprir a portaria pode ficar sujeito a aplicação de penalidades previstas na previstas na lei 10.308, de 1987, que regula a fiscalização dos taxistas.
Após o prazo de adequação de 30 dias, os passageiros poderão apresentar reclamações junto ao Departamento de Transportes Públicos pelo email dtpsac@prefeitura.sp.gov.br ou pelos telefones 2692-3302, 2291-5416 e 2692-4094.
A medida foi adotada, segundo a portaria, levando em conta que a maioria dos passageiros dispõem  de cartão de crédito e débito, existe disponibilidade no mercado de diversos equipamentos acessíveis aos taxistas para permitir o uso de cartões e também pela necessidade de aumentar a segurança nas transações.

Uma outra portaria, também publicada nesta sexta, autoriza (sem obrigar) os táxis a ter suporte para transporte de bicicleta na forma de cortesia ao usuário.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Prefeitura abre inscrições do Táxi Preto



Taxistas poderão se inscrever até 30 de novembro para concorrer aos cinco mil alvarás da nova modalidade. Guia esclarece todas as dúvidas sobre o funcionamento do serviço
A Prefeitura de São Paulo inicia nesta terça-feira (17) as inscrições para os interessados em concorrer ao sorteio dos alvarás do Táxi Preto. Serão distribuídas cinco mil licenças para a nova modalidade, que contará com veículos de alto padrão que só poderão ser chamados por meio de aplicativos de celular ou smartphone. 
O objetivo da medida, anunciada em outubro, é atender à demanda da população por um serviço de qualidade superior e com uma nova plataforma tecnológica.As inscrições poderão ser feitas até o próximo dia 30, no site da Secretaria Municipal de Transportes. O sorteio acontecerá em 9 de dezembro.
Os cinco mil alvarás serão subdivididos em quatro lotes. No Grupo A, que inclui condutores que estiveram vinculados a alvarás de terceiros nos últimos anos (atuando como segundo motorista, por exemplo), 2.250 licenças serão destinadas a veículos convencionais da categoria Táxi Preto (lote I) e 250 para veículos adaptados para passageiros em cadeiras de rodas (lote II). No Grupo B, 1.250 licenças serão destinadas exclusivamente para motoristas do gênero feminino (lote I), e as outras 1.250 irão para veículos convencionais do Táxi Preto (lote II).
Todos os candidatos devem ter CONDUTAX (cadastro que habilita o cidadão a exercer a profissão de taxista) válido e não podem ser titulares de alvarás.No guia a seguir, tire suas dúvidas sobre o funcionamento do táxi preto e saiba como se inscrever
Táxi Preto
:1) O que é o Táxi Preto?
O Táxi Preto é uma nova categoria de Táxi instituída pela Prefeitura de São Paulo no Decreto 56.489, de 8 de outubro de 2015.
2) Por que serão emitidos novos alvarás e quantos serão disponibilizados nesta nova categoria?
O Táxi Preto foi criado com o objetivo de combater a falta de alvarás em São Paulo, que resulta na comercialização ilegal dessas licenças a preços abusivos no mercado negro. Serão distribuídos cinco mil alvarás do Táxi Preto, ajudando a reduzir essa situação.
3) Por que criar uma nova categoria?
A nova categoria foi criada para atender uma demanda da população por uma oferta de serviços de alto padrão e incorporar as inovações tecnológicas cada vez mais usadas nos táxis da cidade.
Características do carro e do serviço
4) O que é preciso para se enquadrar como um Táxi Preto?
O veículo deverá ter as seguintes características:
a)      Ser um Sedan, um SUV ou um Station Wagon
b)      Entre-eixos mínimo de 2600 mm e largura mínima de 1750 mm
c)       Potência mínima de 115 cavalos
d)      Freios ABS
e)      Ar condicionado
f)       Cor preta
Além disto, o carro deverá estar equipado com itens de inovação tecnológica, para que possa prestar um serviço melhor ao passageiro
5)Quais inovações são essas?
O taxista deverá disponibilizar meios eletrônicos de pagamento, como cartão de crédito, débito e pagamento via aplicativo. Além disso, deve adotar mapas digitais para acompanhamento do trajeto e do trânsito em tempo real. Por fim, todas as corridas devem ser feitas por meio de aplicativos de celular.
6)O motorista só poderá pegar passageiros por aplicativo?
Todas as corridas deverão ser intermediadas por aplicativos de celular. O motorista poderá pegar passageiros como e onde quiser, desde que, assim que o cliente embarcar no carro, ambos sincronizem a corrida em um dos aplicativos cadastrados.
7)Os aplicativos atualmente não permitem que o taxista sincronize um passageiro que pegou na rua. Isso não inviabiliza o novo serviço? A sincronização será uma exigência para o cadastramento dos aplicativos que serão utilizados no Táxi Preto. As empresas interessadas em gerenciar essa tecnologia precisam se credenciar junto à Prefeitura, e só somente os aplicativos que disponibilizarem essa função para o motorista poderão operar no Táxi Preto.
8)O Táxi Preto poderá circular pela faixa de ônibus?
A categoria Táxi Preto não poderá circular pelas faixas de ônibus da cidade. Isto, no entanto, não deve prejudicar a operação do serviço, pois o motorista poderá utilizar as tecnologias que permitem planejar o trajeto da viagem, evitando as rotas com trânsito ruim.
9) O proprietário do Táxi Preto poderá ter um segundo motorista? Sim, normalmente. Aplicam-se as mesmas regras de segundo motorista, coproprietário e preposto que às demais categorias de Táxi
É importante destacar que, nos alvarás convencionais exclusivos para o gênero feminino, não existe a obrigação de que os demais motoristas do carro também sejam mulheres – apenas o titular deverá obrigatoriamente ser mulher.
10)Qual tarifa será praticada nesta nova categoria?
A tarifa do Táxi Preto poderá ser de até 25% a mais que o atualmente praticado pelo Táxi Comum. A tarifa de cada corrida, porém, será flexível: os aplicativos que farão a intermediação das corridas poderão oferecer descontos para os passageiros.
11)O que significa essa flexibilidade?
Significa que o motorista poderá ser melhor remunerado nos horários e situações em que ele mais se sacrifica para trabalhar, como, por exemplo, nos finais de semana, dias de chuva e à noite. Nesses períodos, os aplicativos tenderão a aumentar o preço até o limite dos 25% acima da tarifa comum.
12)E nos demais horários?
A definição do preço ficará a cargo de cada aplicativo, mas não se espera que, menos nos períodos com mais carros na rua, o preço fique abaixo do atualmente praticado pelo Táxi Comum.
13)Como será o taxímetro?
Os aplicativos poderão disponibilizar um taxímetro virtual que utilizará recursos tecnológicos, como o do GPS, para calcular a distância percorrida nas viagens.
14)O motorista não corre o risco de ficar refém dos aplicativos?
Não, pelo contrário. O motorista poderá continuar a ter mais de um aplicativo instalado no carro, podendo sempre optar pelo serviço que for mais conveniente e rentável. A competição entre os aplicativos vai favorecer o motorista e estimular uma disputa saudável entre as empresas.
15)O motorista poderá estacionar nos pontos livres? Poderá manter pontos privativos e de apoio?
Sim. Ele poderá usar os pontos livres normalmente. Os pontos privativos e pontos de apoio não estão sendo sorteados mas, caso o motorista tenha um, poderá utilizá-lo normalmente com o alvará do Táxi Preto.
16)Quais são as diferenças do serviço do Táxi Preto para as demais categorias?
As únicas diferenças são as inovações acima e as exigências de um veículo e um serviço de alto padrão, que incorpore as novas tecnologias, melhorando todo o serviço de táxi na cidade.
Os modelos de alvará do Táxi Preto
17)Existem diferentes tipos de alvarás dentro da categoria Táxi Preto?
Sim. Serão sorteados três tipos de alvarás diferentes do Táxi Preto:
a) Alvarás convencionais, que devem seguir todas as exigências definidas para a categoria.
b) Alvarás convencionais exclusivos para motoristas do gênero feminino, que, além das exigências definidas para a categoria, só poderão ter mulheres por mulheres.
c) Alvarás adaptados, que estão isentos de cumprir as exigências de entre-eixos, largura e modelo do carro, mas deverão ser adaptados para o acesso de passageiros cadeirantes em sua cadeira de rodas.
18) Por que foram criados alvarás exclusivos para mulheres?
Para combater a desigualdade de acesso ao mercado de trabalho que atualmente existe nos táxis da cidade – menos de 6% das taxistas são mulheres. Dar preferência em parte dos alvarás visa combater o preconceito e reforçar que as mulheres também têm a opção de exercer essa profissão.
19) Por que foram criados alvarás adaptados?
Existe hoje uma grande dificuldade dos cadeirantes de encontrar meios de transporte adaptados para o seu acesso. Assim como a Prefeitura tem feito um esforço junto às empresas de ônibus para adaptar seus veículos, a medida visa estimular a adaptação dos taxis da cidade para esse público.
20) Os veículos adaptados precisam ser equipados com elevadores?
Esse modelo é muito caro. Diferentemente dos modelos que atualmente operam com carros acessíveis, para ser considerado adaptado o veículo do Táxi Preto deve apenas garantir o embarque, permanência e desembarque de usuários com deficiência ou mobilidade reduzida em sua própria cadeira de rodas. Em diversos carros, o acesso pode ser feito via rampa, com abertura manual, uma adaptação que é mais barata e prática para o veículo. Além disso, o motorista contará com um desconto de mais de R$ 20 mil no valor da outorga, justamente para compensar o custo dessa adaptação.
21)O táxi adaptado só poderá transportar passageiros do ATENDE (transporte porta a porta para usuários com mobilidade reduzida)?
Não necessariamente. O motorista deverá se cadastrar para atender os passageiros do ATENDE, mas em todos os momentos em que não houver pedidos de corridas desse serviço, o taxista poderá pegar quaisquer passageiros que quiser, cadeirantes ou não. A inscrição no ATENDE visa ajudar, e não atrapalhar o trabalho dos profissionais da praça.
22) Como os alvarás do Táxi Preto pretendem valorizar quem já está na praça há algum tempo?
Para garantir que quem está no aguardo por um alvará há mais tempo seja recompensado, os alvarás serão sorteados em dois grupos:
a) Grupo A: Taxistas que, nos últimos cinco anos, estiveram veiculados a um alvará de terceiros (atuando como segundo motorista, por exemplo) por ao menos três anos;
b) Grupo B: Todos os taxistas.
23) Os taxistas do Grupo A poderão concorrer aos alvarás do Grupo B?
Sim. Todos os taxistas que se enquadram no Grupo A também serão enquadrados no Grupo B. Já os taxistas que se enquadram no grupo B não se enquadrarão no Grupo A.
24) Como se dividirão então os alvarás no sorteio?
Os alvarás se dividirão em dois grupos, cada um com dois lotes.
a) Para o Grupo A, que inclui os taxistas que têm tido maior presença na praça, serão ofertados:
1. Lote I – 2.250 alvarás convencionais;
2. Lote II – 250 alvarás adaptados.
b) Para o Grupo B, que inclui todos os taxistas, serão ofertados:
1. Lote I – 1.250 alvarás convencionais exclusivos para motoristas do gênero feminino;
2. Lote II – 1.250 alvarás convencionais.
25) E se sobrarem alvarás em algum dos lotes?
Caso sobrem alvarás do Grupo A (lotes I e II), eles serão alocados para concorrentes do Grupo B - Lote II, desde que mantidas as condições de alvarás adaptados do Grupo A - Lote II. Caso sobrem alvarás do Grupo B - Lote I (titulares do gênero feminino), eles serão alocados para os demais concorrentes do Grupo B Lote – II (todos os taxistas). Neste caso, eles serão transformados em alvarás convencionais, não precisando mais ser obrigatoriamente titularizados por mulheres.
Outorga Onerosa, Transferência e Conversão de Alvarás
26) O motorista terá que pagar se for sorteado para um dos alvarás?

Sim. No ato de inscrição dos taxistas contemplados será cobrada uma outorga onerosa pelo alvará.
27) Por que está sendo cobrada uma outorga?
A outorga visa cumprir com a obrigação legal da Prefeitura de trazer para o poder público o que hoje é praticado ilegalmente no mercado negro. Além disso, o pagamento da outorga dará segurança jurídica ao detentor do alvará.
28) Qual o valor da outorga? Para os alvarás convencionais e alvarás convencionais exclusivos para motoristas do gênero feminino, o valor da outorga será de R$ 60 mil.
Para os alvarás adaptados,o valor da outorga será de R$ 39.960,00, porque o titular terá um desconto de cerca de R$ 20 mil para compensar os custos da adaptação do veículo.
29) Esse valor poderá ser parcelado?
A outorga poderá ser parcelada em até 60 meses, com reajuste pela taxa Selic.
Atualmente, o valor de cada parcela – R$ 1.000,00 – equivale a apenas R$ 40 por dia de trabalho, valor muito inferior ao que os taxistas pagam de diária na maioria dos casos.
30)Existe desconto se o pagamento for à vista?
Caso o pagamento seja feito à vista, o taxista terá desconto de R$ 20 mil reais.
O valor da outorga, portanto, ficará em R$ 40 mil para os alvarás convencionais e alvarás convencionais exclusivos para motoristas do gênero feminino e em R$19.960,00 para os alvarás adaptados.
31)Os novos alvarás terão validade?
Sim. O alvará do Táxi Preto terá validade máxima de 35 anos.
32)O motorista que adquirir o alvará do Táxi Preto poderá transferi-lo para uma outra pessoa?
A transferência agora poderá ser feita às claras, e com amplo apoio na legalidade e na legislação vigente.
O titular poderá transferir seu alvará para qualquer pessoa, desde que já tenha quitado o valor da outorga inicial e tenha pago a taxa de R$ 7.500, correspondente a 15% da outorga.
Prazos e forma de inscrição
A inscrição para concorrer aos alvarás do Táxi Preto pode ser feita pelo site da Secretaria Municipal de Transportes
O prazo para inscrição vai de 17 a 30 de novembro. O sorteio será realizado em 10 de dezembro, por meio do sistema de escolha dos bilhetes premiados da Nota Fiscal Paulistana, com base nos resultados da Loteria Federal. A lista dos contemplados será divulgada até o dia 22 de dezembro, e a emissão dos alvarás para os sorteados acontecerá em janeiro de 2016. 

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Veículos com placas de final 9 e caminhões com finais 6, 7 e 8 devem ser licenciados até o final de novembro

Não basta pagar a taxa de R$ 72,25, é preciso portar o licenciamento 2015. A partir de 1º de dezembro, veículos estarão em situação irregular se circular sem o documento atualizado

Proprietários de veículos com placas de final 9 e caminhões com finais 6, 7 e 8 devem realizar o licenciamento obrigatório do exercício 2015 até o dia 30 de novembro. Isso significa que no dia 1º de dezembro esses veículos estarão em situação irregular caso circulem sem o licenciamento 2015. 
É válido ressaltar que não basta pagar a taxa de licenciamento, que é de R$ 72,25. É preciso portar o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) atualizado, conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), válido em todo o país. 

O serviço pode ser feito de forma eletrônica via sistema bancário, com entrega do CRLV pelos Correios, ou presencialmente nos postos do Detran.SP e do Poupatempo. 
Quem optar pela entrega via postagem precisa fazer o licenciamento com antecedência para receber o documento até o final do mês. Após a emissão do CRLV, o prazo de entrega dos Correios é de até sete dias úteis.  Conduzir veículo com o licenciamento em atraso é infração gravíssima (artigo 230 do CTB): multa de R$ 191,54, inserção de sete pontos no prontuário do proprietário, além de apreensão e remoção do veículo. Já conduzir sem portar o documento, mesmo que o licenciamento esteja em dia, é infração leve (artigo 232 do CTB): multa de R$ 53,20, três pontos na carteira e retenção do veículo até que o CRLV seja apresentado. 

No Estado de São Paulo, o calendário de licenciamento é entre abril e dezembro, de acordo com o final da placa. Já os veículos de carga (caminhão) devem ser licenciados entre setembro e dezembro. 

Alerta via push – O Detran.SP envia lembrete sobre o prazo para licenciamento por meio de push, que são mensagens enviadas por aplicativos aos dispositivos móveis, como celular e tablete. Para receber o aviso, basta baixar gratuitamente o aplicativo “Detran.SP” nas lojas virtuais Google Play ou Apple. 
O aviso é enviado ao usuário que não tiver feito o licenciamento até o começo do mês correspondente ao final de placa de seu veículo, quando o licenciamento é obrigatório. Para receber a notificação push, o motorista deve habilitar a opção de recebimento deste tipo de alerta em seu aparelho. 
Passo a passo – A taxa de licenciamento para o exercício 2015 é de R$ 72,25 e pode ser paga na internet, em caixas eletrônicos ou nas agências dos bancos credenciados. Ao realizar o licenciamento, é preciso quitar possíveis débitos de IPVA, seguro obrigatório e multas. 

O pagamento deve ser feito por meio do número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Para receber o documento via Correios, é necessário pagar o valor adicional de R$ 11, referente à postagem. É imprescindível que o endereço esteja atualizado no Detran.SP. Caso contrário, não será possível fazer a entrega e o cidadão terá de retirar o documento em uma unidade de atendimento. 
Quem preferir fazer o licenciamento presencialmente deve apresentar o comprovante de pagamento e um documento de identificação na unidade do Detran.SP na qual o veículo está registrado ou nos postos do Poupatempo. Lembrando que nessa modalidade não se deve pagar o valor de envio pelos Correios. O serviço pode ser feito pelo proprietário do veículo, procurador ou por parentes próximos (pais, filhos, irmãos e cônjuge). 

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Taxistas poderão utilizar faixa exclusiva de ônibus em Santos

Projeto de lei garante direito aos taxistas que estejam sem passageiros.
Medida passa a valer a partir desta terça-feira em todo o município

Os taxistas de Santos, no litoral de São Paulo, podem utilizar as faixas de ônibus que eram exclusivas para os coletivos. A medida passa a valer a partir desta terça-feira . Uma proposta de lei do vereador Antônio Carlos Banha Joaquim (PMDB), garante o direito aos taxistas também sem passageiro.
A lei foi aprovada pela Câmara e sancionada pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) nesta segunda-feira (16). Santos conta com faixa exclusiva para coletivos na Avenida Ana Costa e Rua João Pessoa, no período das 6h às 9h, no sentido Praia-Centro, e das 17h às 20h, no sentido Centro-praia.
A cidade também conta com faixas preferenciais, onde é permitido o tráfego de veículos comuns, desde que os coletivos tenham prioridade. As faixas preferenciais ficam na Avenida Conselheiro Nébias, das 12h às 20h, no sentido Centro-praia e na Avenida Bernardino de Campos, das 17h às 20h, no sentido Centro-praia.

Taxistas fazem manifestação em SP pedindo fiscalização contra Uber

Taxistas se manifestaram em São Paulo contra uma suposta falta de fiscalização por parte da administração municipal contra o aplicativo Uber. 

A Prefeitura afirmou que faz a fiscalização e que já apreendeu 105 veículos vinculados ao aplicativo de carona compartilhada. Os taxistas reclamaram, porém, que os motoristas do Uber logo voltam às ruas.
Em outubro, a administração municipal sancionou lei de autoria do vereador Adilson Amadeu (PTB) que veta o uso da carona compartilhada no município. A administração criou uma nova categoria, chamada "táxi preto", destinada apenas a uso de aplicativos. Os motoristas do Uber terão de se adequar para poder continuar atuando legalmente na cidade. Eles poderão concorrer aos 5 mil novos alvarás que serão disponibilizados pela Prefeitura.
A empresa responsável pelo aplicativo disse que não vai aderir porque não é um serviço de táxi. O Uber continua funcionando em São Paulo também por conta de uma decisão judicial que liberou o uso do aplicativo na cidade.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Veículos homologados para o serviço de táxi em SP

os últimos veículos homologados para o serviço de táxi da capital paulista. Antes de adquirir seu carro zero quilômetro, verifique sempre a homologação.


DIÁRIO OFICIAL DE 09/11/15

Portaria nº 151/2015 - DTP. GAB.

Aprova a utilização do veículo da Marca LIFAN, Modelo X60, Versão 1.8L TALENT, Código DENATRAN 213605, para a prestação do Serviço de Transporte Individual de Passageiros – Modalidade Táxi, nas Categorias COMUM , COMUM RÁDIO e ESPECIAL na Cidade de São Paulo. O veículo especificado deverá atender aos demais requisitos previstos na legislação vigente.

DIÁRIO OFICIAL DE 14/11/15

Portaria nº 157/2015 - DTP. GAB.

Aprova a utilização do veículo da Marca KIA, Modelo CERATO, Versão EX3 1.6MTNB, Código DENATRAN 149371, para a prestação do Serviço de Transporte Individual de Passageiros – Modalidade Táxi, nas Categorias COMUM, COMUM-RÁDIO e ESPECIAL na Cidade de São Paulo. O veículo especificado deverá atender aos demais requisitos previstos na legislação vigente.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Concorrência do Uber 'fecha' principal escola de taxistas de Londres


Popularidade do app ameaça tradicional sistema educacional de motoristas da cidade, 

que exige memorização de ruas e virou tema de estudo científico.



Aluguéis em Islington, um dos bairros mais afluentes do norte de Londres, dispararam na última década, incluindo os de imóveis comerciais. Mas ao anunciar o fechamento de sua escola para taxistas – a Knowledge Point, que há quase 30 anos funciona em um endereço na Caledonian Road – Malcolm Linksey não hesita em apontar quem considera o principal "vilão": o Uber.
A popularização de serviços de táxi paralelos que permitem o uso de navegação eletrônica na teoria torna o The Knowledge menos atraente para quem busca trabalhar "na praça". Algo refletido pelas mais recentes estatísticas sobre novos pedidos de licenças para dirigir os "black cabs": em maio, um relatório da TFL mostrava queda de 20% na emissão de certificados.
Assim como em outras grandes cidades do mundo, o aplicativo é tido pelos taxistas como seu inimigo número um. Em Londres, autoridades de transporte, com o apoio do sindicato dos taxistas (LTDA), entraram com uma liminar na Alta Corte na tentativa de proibir o uso do Uber, sob o argumento de que oferecia competição injusta para os táxis licenciados.
O tribunal deu ganho de causa para o Uber, que opera em Londres desde 2012 e, segundo estatísticas da Secretaria Municipal de Transportes (TFL), contribuiu para um aumento de quase 25% do número de carros que oferecem serviço de táxi circulando pelas ruas da capital.
Isso por si só já seria má notícia para os taxistas de Londres que operam os tradicionais táxis pretos – os únicos autorizados a apanhar passageiros em qualquer área da cidade – mas o impacto também é sentido também por quem prepara esses motoristas: para conduzir os "black cabs", candidatos precisam passar por um rigoroso teste que mistura memória e raciocínio, conhecido como The Knowldege (O Conhecimento, em tradução livre). Sem usar o GPS.
Mais especificamente, eles precisam memorizar 25 mil ruas, 20 mil pontos de interesse e uma infinidade de rotas, em exames teóricos e práticos. O teste é tão difícil que exige, em média, quatro anos de estudos, tempo que escolas como a Knowledge Point tentam diminuir.
Sete em cada 10 candidatos não completam o programa. Um estudo científico em 2011 mostrou que o esforço para passar no teste provocou alterações nos cérebros dos taxistas, em que a região do hipocampo, responsável pela memória, estava mais desenvolvida.
Menos estudantes
"Eu costumava ter 350 estudantes todos anos, mas no ano passado foram apenas 200. Negócios como o meu estão simplesmente sendo varridos", diz Linksey, explicando ao jornal "Financial Times" por que decidiu fechar as portas de sua escola para taxistas (a principal da cidade) até o final do ano.
Isso apesar de os ganhos médios anuais de um motorista de táxi tradicional em Londres passarem de R$ 300 mil por ano.
"Os taxistas licenciados estão sofrendo a maior queda de contingente que já vi nos 30 anos em que tenho dirigido, enquanto o Uber ganha centenas de novos motoristas a cada semana", afirma à BBC Steve McNamara, presidente da LTDA, que no final de setembro paralisou o trânsito no centro de Londres com uma carreata do qual participaram 1,5 mil táxis pretos.
Atualmente, há cerca de 25 mil "black cabs" nas ruas de Londres e 15 mil carros registrados no Uber, segundo estimativas da mídia britânica. Nesse ritmo, o número dos motoristas "insurgentes" pode em breve ultrapassar o de oficiais, um fenômeno que já ocorreu em Nova York. Até porque, apesar da fama conquistada ao redor do mundo como um símbolo da Cool Britannia, os tradicionais táxis são mais caros e também constam como um dos serviços mais criticados pelo público.
Tanto que mais de 130 mil pessoas assinaram uma petição online em favor do Uber quando a TFL e a LTDA foram à justiça para argumentar que o sistema de cálculo de corridas do aplicativo funcionava como um taxímetro – por lei, apenas os "black cabs" podem funcionar com ele, ao passo que serviços paralelos precisam operar com corrida de preço pré-estabelecido.
Outra ameaça para os taxistas é a decisão do prefeito de Londres, Boris Johnson, de tentar impor a todos os motoristas de black cabs a compra de veículos menos poluentes por conta de novas políticas de redução da poluição no centro da cidade a partir de 2018.
O Uber argumenta que não tem como missão causar danos aos serviços tradicionais.
"Uma prova disso é que nossas operações estão abertas para motoristas de black cabs, algo que pode ser interessante para as viaturas que estiverem no fim de uma fila de ponto, por exemplo", diz um porta-voz da empresa. "Além disso, os black cabs continuam tendo privilégios como parar na rua e usar as faixas de ônibus para trafegar nas ruas de Londres."

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Caminhoneiros fazem protestos pelo país

O grupo que participa do movimento foi convocado pelo Comando Nacional do Transporte.
Os manifestantes são autônomos e se declaram independentes de sindicatos. Eles são contra o governo Dilma Rousseff, pedem o aumento do valor do frete, reclamam da alta de impostos e da elevação nos preços de combustíveis, entre várias outras questões.

O movimento não tem adesão total dos caminhoneiros. A Confederação Nacional dos Transportes Autônomos afirmou, em nota, que não concorda com a mobilização, já que a pauta não tem relação com os problemas específicos da categoria. A União Nacional dos Caminhoneiros também informou que discorda dos bloqueios.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo anunciou o endurecimento na punição por bloqueios nas estradas. A multa para quem fizer os bloqueios passa de  R$ 1.915 para R$ 5.746. Os organizadores de manifestações com bloqueio poderão ser multados em R$ 19.154

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Veículos com placas de final 9 e caminhões com finais 6, 7 e 8 devem ser licenciados em novembro

Não basta pagar a taxa de R$ 72,25, é preciso portar o licenciamento 2015.
Quem preferir pode receber o documento pelos Correios, pagando R$ 11 pela postagem

Proprietários de veículos com placas de final 9 e caminhões com finais 6, 7 e 8 devem realizar o licenciamento obrigatório do exercício 2015 durante o mês de novembro. Isso significa que no dia 1º de dezembro esses veículos estarão em situação irregular caso circulem sem o licenciamento 2015.

Oserviço pode ser feito de forma eletrônica via sistemabancário , com entregado Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) pelos Correios, ou presencialmente nos postos do Detran.SP e do Poupatempo.

É válidoressaltar que não basta pagar a taxa de licenciamento, que é de R$ 72,25. É preciso portar o CRLV,conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), válido em todo o país.

Quem optar pela entrega via postagem precisa fazer o licenciamento com antecedência para receber o documento até o final do mês. Após a emissão do CRLV, o prazo de entrega dos Correios é de até sete dias úteis.

Conduzir veículo com o licenciamento em atraso é infração gravíssima (artigo 230 do CTB): multa de R$ 191,54, inserção de sete pontos no prontuário do proprietário, além de apreensão e remoção do veículo. Já conduzir sem portar o documento, mesmo que o licenciamento esteja em dia, é infração leve (artigo 232 do CTB): multa de R$ 53,20, três pontos na carteira e retenção do veículo até que o CRLV seja apresentado.

No Estado de São Paulo, o calendário de licenciamento é entre abril e dezembro, de acordo com o final da placa. Já os veículos de carga (caminhão) devem ser licenciados entre setembro e dezembro.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Motociclistas devem ficar atentos ao uso correto do capacete



Equipamento é obrigatório para o condutor e o passageiro e 
deve ser utilizado com a viseira abaixada durante todo o deslocamento

O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) alerta para o uso correto do capacete, equipamento obrigatório que aumenta a segurança dos condutores e passageiros de motocicletas, ciclomotores, triciclos equadriciclos.
 Antes de iniciar o trajeto, é importante checar se o capacete está devidamente fixado à cabeça, preso ao queixo por meio da cinta e com a viseira abaixada.

A viseira, cujo uso ainda encontra grande resistência por parte dos motociclistas, evita a entrada de insetos ou pequenos objetos, como pedras e faíscas, que podem provocar acidentes. Ela só pode ser levantada quando a motocicleta estiver parada. Na ausência da viseira, é obrigatório o uso de óculos de proteção específico para moto, que não pode ser substituído por óculos de sol, óculos com lentes corretivas ou de segurança do trabalho.

Também para a segurança dos motociclistas, desde 2007, o capacete deve ter a certificação do InstitutoNacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), faixas refletivas de segurança nas partes laterais e traseira,além de apresentar bom estado de conservação, sem danos que comprometam a proteção.

"Éfundamental que os motociclistas usem capacete e os demais equipamentos de segurança não apenas para cumprirem o que determina a legislação, masprincipalmente para protegerem a própria vida. O uso do capacete minimiza as chances de ferimentos graves em caso de acidentes", ressalta DanielAnnenberg, diretor-presidente do Detran.SP.

Tipos de capacete eviseira – Existem quatro modelos de capacetes demotocicletas regulamentados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran): o integral (fechado), o misto (com queixeira removível), o modular (de frente móvel) e o aberto (sem a proteção para o queixo).

Oscapacetes popularmente conhecidos como “coquinho” –similares aos utilizados para a prática de ciclismo e skate– não são permitidos, pois não oferecem proteção completa à cabeça, rosto e olhos.

Nos capacetes modulares,além da viseira, a queixeira deverá estar totalmente abaixada e travada durante todo o deslocamento do condutor.
As viseiras permitidas sãoaquelas nos padrões cristal, fumê light, fumê e metalizado. No período noturno, deve-se usar apenas a viseira cristal. Os demais modelos podem ser utilizados somente durante o dia.
Os equipamentos certificados pelo Inmetro podem ser consultados no site do órgão www.inmetro.gov.br ,na área de “produtos certificados”.
Conservação – A legislação federal de trânsito não estabelece prazo de validade para o capacete. O período para a substituição pode variar de acordo com a frequência de uso e a conservação. Por isso, o motociclista deve ficar atento ao estado do equipamento.

É indicado trocá-lo sempre que ele sofra algum impacto forte, seja em acidentes ou por queda em qualquer situação, ainda que não apresente rachaduras ou outros danos visíveis.

Outro indicador para a aquisição de um novo capacete é a espessura da espuma do forro interno. A diminuição da altura da espuma deixará o capacete folgado, comprometendo a fixação na cabeça e a proteção da área auditiva do motociclista.

A viseira também deve estar em perfeitas condições, sem rachaduras ou arranhões que atrapalhem a visão do condutor. Se o capacete estiver em bom estado, é possível trocar apenas esse item.

Manter o capacete limpo também pode contribuir para a conservação do equipamento. Para isso, éimportante seguir as instruções do fabricante.

Infrações – Os motociclistas recebem as penalidades deacordo com o tipo de infração cometida, conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro (CTB):
§   Leve – Pilotar com o capacete mal afixado à cabeça, utilizando viseira ou queixeira levantadas, sem óculos de proteção ou com viseira fumê no período noturno, por exemplo, é infração leve. O motociclista receberá três pontos na habilitação, além de multa no valor de R$ 53,20.

§   Grave – Conduzir com capacete sem a certificação do Inmetro, sem as faixas refletivas ou com a estrutura danificada é infração grave, com cinco pontos na habilitação e multa de R$ 127,69.

§   Gravíssima – Não usar o capacete ou colocá-lo apenas sobreposto à cabeça, sem estar devidamente encaixado, é infração gravíssima. Além de pagar multa no valor de R$ 191,54, o motociclista também responderá a um processo administrativo para a suspensão do direito de dirigir, que pode variar de um até 12 meses, dependendo do histórico do motorista.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Haddad reduz verba da habitação para zerar dívida com transporte

Para saldar as dívidas acumuladas com as empresas de ônibus, hoje em R$ 92 milhões, a gestão Fernando Haddad (PT) reduziu investimentos previstos no Orçamento para nove áreas da administração municipal. Dentre elas estão promessas importantes de seu governo, como a construção de habitação de interesse social, que sofreu corte de R$ 14,1 milhões, vvv

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Prefeitura de São Paulo lança 5 mil alvarás de novo serviço de táxi

O novo serviço de táxi da Prefeitura, que terá o nome oficial de táxi preto. Serão sorteados 5 mil alvarás para este novo modelo.
Os carros pretos só poderão acertar corridas chamadas por aplicativos. Os carros terão de ter alvará de funcionamento e os motoristas terão de ter a licença da Prefeitura, chamada condutax.
As regras mantêm o serviço atualmente feito pela Uber na clandestinidade. Caso queira operar, a empresa terá de se enquadrar nas regras do decreto.

Dos 5 mil novos carros, metade será sorteada para taxistas que trabalham hoje como segundos condutores de outro táxi. Da outra metade, 1250 vagas serão exclusivas para mulheres. 10% dos carros terão de ter adaptação para deficientes. Os sorteados terão de pagar uma outorga para a Prefeitura.
Em nota, a Uber esclareceu que "não é uma empresa de taxi e, portanto, não se encaixa em nenhuma categoria deste tipo de serviço, que é de transporte individual público."

"Como os motoristas parceiros da Uber prestam o serviço de transporte individual privado previsto na PNMU (Política Nacional de Mobilidade Urbana), a Uber aguarda essa regulamentação municipal. Enquanto isso, a Uber segue operando normalmente em São Paulo", diz ainda a nota.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Taxistas de São Vicente devem estar atentos ao prazo para regularizar o taxímetro

IPEM-SP realiza verificação anual de taxímetro 
A punição para quem não 
regulamentar pode chegar até 5 mil

Taxistas de São Vicente já podem consultar no site do Ipem-SP (www.ipem.sp.gov.br) as datas dos plantões de taxímetro. É preciso agendar o atendimento. A próxima ação está programada para quarta-feira,a partir das 9 horas, a ser realizado na Praça Cora Coralina, 208 – Cidade Náutica. 
Só os taxistas que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo do equipamento devem comparecer. Outras informações pelo telefone 3235-7815.
Os taxistas autuados por trafegar com o taxímetro irregular têm dez dias para apresentar defesa ao órgão. As multas podem variar de R$ 500 a R$ 5.000 mil, dobrando na reincidência.
Lembrando que os motoristas devem comparecer ao local com o alvará de estacionamento fornecido pela prefeitura, certificado de propriedade do veículo, guia de serviço fornecida por oficina credenciada pelo IPEM, certificado de verificação do IPEM, referente ao exercício de 2014 e Guia de Recolhimento da União quitada.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Uber finalmente é proibido na cidade de São Paulo

Taxistas esperando decisão do prefeito

Após a vitória da votação da Câmara dos vereadores de São Paulo na qual votaram no projeto que proíbe o aplicativo, os 33 mil taxistas aguardavam ansiosamente a decisão do prefeito Fernando Haddad sobre a sanção ou veto á lei que ocorreu no dia 8 de outubro. A sanção foi aprovada e assim proibi aplicativos que utilizam o transporte individual de passageiros em carros particulares.
A Uber poderá continuar existindo mas sobre regulamentação, a opção oferecida pela prefeitura é a criação de uma nova categoria, o táxi preto, que vai atender apenas por aplicativo.
O presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos, Natalício Bezerra, afirmou que foi uma medida maravilhosa, porém tem muita luta pela frente.

“O sindicato ainda briga na Justiça para derrubar a liminar que autoriza o aplicativo a operar; Enquanto não há uma decisão favorável, comemoramos várias conquistas dos últimos anos e os taxistas vêm atuando em várias ações que vieram de fora do “poder público”. Foi o caso da ação do Ministério Público pela realização de uma licitação para definir os taxistas habilitados a trabalhar na cidade.O sindicato entrou com uma ação, o prefeito entrou com outro”, afirma Natalício.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Licenciamento 2015:veículos com placas de final 8 e caminhões com finais 3, 4 e 5 devem ser licenciados em outubro

Valor de R$ 72,25 deveser pago na rede bancária credenciada. Quem preferir pode receber o documento pelos Correios, pagando a taxa de R$ 11 para a entrega

Proprietáriosde veículos com placas de final 8 e caminhões com finais 3, 4 e 5 devem realizar o licenciamento obrigatório do exercício 2015 durante o mês de outubro. Isso significa que no dia 1º de novembro esses veículos estarão em situação irregular caso circulem sem o licenciamento 2015.

Oserviço pode ser feito de forma eletrônica, com entrega do CRLV pelos Correios, ou presencialmente nos postos do Detran.SP e do Poupatempo. No Estado de São Paulo, o calendário de licenciamento é entre abril e dezembro, de acordo com o final da placa. Já os veículos de carga (caminhão) devem ser licenciados entre setembro e dezembro.

É válidoressaltar que não basta pagar a taxa de licenciamento, que é de R$ 72,25. É preciso portar o Certificadode Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), válido em todo o país.

Quem optar pela entrega via postagem precisa fazer o licenciamento com antecedência para receber o documento até o final do mês. Após a emissão do CRLV, o prazo de entrega dos Correios é de até sete dias úteis.

Conduzir veículo com o licenciamento em atraso é infração gravíssima (artigo 230 do CTB): multa de R$ 191,54, inserção de sete pontos no prontuário do proprietário do veículo, além de apreensão e remoção do veículo. Já conduzir sem portar o documento, mesmo que o licenciamento esteja em dia, é infração leve (artigo 232 do CTB): multa de R$ 53,20, três pontos na carteira e retenção do veículo até que o CRLV seja apresentado.

Passo a passo – A taxa de licenciamento para oexercício 2015 é de R$ 72,25 e pode ser paga pela internet, caixas eletrônicos ou nas agências dos bancos credenciados (Banco do Brasil, Santander, Bradesco, Itaú, Caixa Econômica Federal, BMB, HSBC, Safra e Citibank). Ao realizar o licenciamento, é preciso quitar possíveis débitos de IPVA, seguro obrigatório e multas.

Na hora dopagamento, é preciso fornecer o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Para receber o documento via Correios, é necessário pagar o valor adicional de R$ 11, referente à postagem. É imprescindível que o endereço esteja atualizado junto ao Detran.SP. Caso contrário, não será possível fazer a entrega e o cidadão terá de retirar o documento em uma unidade de atendimento.

Quem preferir retirar o documento em um posto de atendimento deve apresentar o comprovante de pagamento do licenciamento em uma das unidades do Detran.SP (Aricanduva, Armênia, Interlagos, estação Marechal Deodoro do Metrô ou Raposo Shopping) ou nos postos Poupatempo (Cidade Ademar, Itaquera, Lapa, Santo Amaro e Sé). Nesse caso, será solicitado um documento de identificação e ocomprovante de pagamento. Lembrando que nessa modalidade não se deve pagar o valor de envio pelos Correios.

Aentrega poderá ser solicitada, ainda, por procurador, portando procuração original e cópia do RG do proprietário do veículo; ou por parentes próximos (pais, filhos, irmãos e cônjuge), apresentando documento que comprove o grau de parentesco.

Opasso a passo completo do serviço está disponível na área de "Veículos" do portal Detran.SP ( www.detran.sp.gov.br)ou diretamente no link http://scup.it/8chl.