segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Motociclistas devem ficar atentos ao uso correto do capacete



Equipamento é obrigatório para o condutor e o passageiro e 
deve ser utilizado com a viseira abaixada durante todo o deslocamento

O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) alerta para o uso correto do capacete, equipamento obrigatório que aumenta a segurança dos condutores e passageiros de motocicletas, ciclomotores, triciclos equadriciclos.
 Antes de iniciar o trajeto, é importante checar se o capacete está devidamente fixado à cabeça, preso ao queixo por meio da cinta e com a viseira abaixada.

A viseira, cujo uso ainda encontra grande resistência por parte dos motociclistas, evita a entrada de insetos ou pequenos objetos, como pedras e faíscas, que podem provocar acidentes. Ela só pode ser levantada quando a motocicleta estiver parada. Na ausência da viseira, é obrigatório o uso de óculos de proteção específico para moto, que não pode ser substituído por óculos de sol, óculos com lentes corretivas ou de segurança do trabalho.

Também para a segurança dos motociclistas, desde 2007, o capacete deve ter a certificação do InstitutoNacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), faixas refletivas de segurança nas partes laterais e traseira,além de apresentar bom estado de conservação, sem danos que comprometam a proteção.

"Éfundamental que os motociclistas usem capacete e os demais equipamentos de segurança não apenas para cumprirem o que determina a legislação, masprincipalmente para protegerem a própria vida. O uso do capacete minimiza as chances de ferimentos graves em caso de acidentes", ressalta DanielAnnenberg, diretor-presidente do Detran.SP.

Tipos de capacete eviseira – Existem quatro modelos de capacetes demotocicletas regulamentados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran): o integral (fechado), o misto (com queixeira removível), o modular (de frente móvel) e o aberto (sem a proteção para o queixo).

Oscapacetes popularmente conhecidos como “coquinho” –similares aos utilizados para a prática de ciclismo e skate– não são permitidos, pois não oferecem proteção completa à cabeça, rosto e olhos.

Nos capacetes modulares,além da viseira, a queixeira deverá estar totalmente abaixada e travada durante todo o deslocamento do condutor.
As viseiras permitidas sãoaquelas nos padrões cristal, fumê light, fumê e metalizado. No período noturno, deve-se usar apenas a viseira cristal. Os demais modelos podem ser utilizados somente durante o dia.
Os equipamentos certificados pelo Inmetro podem ser consultados no site do órgão www.inmetro.gov.br ,na área de “produtos certificados”.
Conservação – A legislação federal de trânsito não estabelece prazo de validade para o capacete. O período para a substituição pode variar de acordo com a frequência de uso e a conservação. Por isso, o motociclista deve ficar atento ao estado do equipamento.

É indicado trocá-lo sempre que ele sofra algum impacto forte, seja em acidentes ou por queda em qualquer situação, ainda que não apresente rachaduras ou outros danos visíveis.

Outro indicador para a aquisição de um novo capacete é a espessura da espuma do forro interno. A diminuição da altura da espuma deixará o capacete folgado, comprometendo a fixação na cabeça e a proteção da área auditiva do motociclista.

A viseira também deve estar em perfeitas condições, sem rachaduras ou arranhões que atrapalhem a visão do condutor. Se o capacete estiver em bom estado, é possível trocar apenas esse item.

Manter o capacete limpo também pode contribuir para a conservação do equipamento. Para isso, éimportante seguir as instruções do fabricante.

Infrações – Os motociclistas recebem as penalidades deacordo com o tipo de infração cometida, conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro (CTB):
§   Leve – Pilotar com o capacete mal afixado à cabeça, utilizando viseira ou queixeira levantadas, sem óculos de proteção ou com viseira fumê no período noturno, por exemplo, é infração leve. O motociclista receberá três pontos na habilitação, além de multa no valor de R$ 53,20.

§   Grave – Conduzir com capacete sem a certificação do Inmetro, sem as faixas refletivas ou com a estrutura danificada é infração grave, com cinco pontos na habilitação e multa de R$ 127,69.

§   Gravíssima – Não usar o capacete ou colocá-lo apenas sobreposto à cabeça, sem estar devidamente encaixado, é infração gravíssima. Além de pagar multa no valor de R$ 191,54, o motociclista também responderá a um processo administrativo para a suspensão do direito de dirigir, que pode variar de um até 12 meses, dependendo do histórico do motorista.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Haddad reduz verba da habitação para zerar dívida com transporte

Para saldar as dívidas acumuladas com as empresas de ônibus, hoje em R$ 92 milhões, a gestão Fernando Haddad (PT) reduziu investimentos previstos no Orçamento para nove áreas da administração municipal. Dentre elas estão promessas importantes de seu governo, como a construção de habitação de interesse social, que sofreu corte de R$ 14,1 milhões, vvv

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Prefeitura de São Paulo lança 5 mil alvarás de novo serviço de táxi

O novo serviço de táxi da Prefeitura, que terá o nome oficial de táxi preto. Serão sorteados 5 mil alvarás para este novo modelo.
Os carros pretos só poderão acertar corridas chamadas por aplicativos. Os carros terão de ter alvará de funcionamento e os motoristas terão de ter a licença da Prefeitura, chamada condutax.
As regras mantêm o serviço atualmente feito pela Uber na clandestinidade. Caso queira operar, a empresa terá de se enquadrar nas regras do decreto.

Dos 5 mil novos carros, metade será sorteada para taxistas que trabalham hoje como segundos condutores de outro táxi. Da outra metade, 1250 vagas serão exclusivas para mulheres. 10% dos carros terão de ter adaptação para deficientes. Os sorteados terão de pagar uma outorga para a Prefeitura.
Em nota, a Uber esclareceu que "não é uma empresa de taxi e, portanto, não se encaixa em nenhuma categoria deste tipo de serviço, que é de transporte individual público."

"Como os motoristas parceiros da Uber prestam o serviço de transporte individual privado previsto na PNMU (Política Nacional de Mobilidade Urbana), a Uber aguarda essa regulamentação municipal. Enquanto isso, a Uber segue operando normalmente em São Paulo", diz ainda a nota.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Taxistas de São Vicente devem estar atentos ao prazo para regularizar o taxímetro

IPEM-SP realiza verificação anual de taxímetro 
A punição para quem não 
regulamentar pode chegar até 5 mil

Taxistas de São Vicente já podem consultar no site do Ipem-SP (www.ipem.sp.gov.br) as datas dos plantões de taxímetro. É preciso agendar o atendimento. A próxima ação está programada para quarta-feira,a partir das 9 horas, a ser realizado na Praça Cora Coralina, 208 – Cidade Náutica. 
Só os taxistas que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo do equipamento devem comparecer. Outras informações pelo telefone 3235-7815.
Os taxistas autuados por trafegar com o taxímetro irregular têm dez dias para apresentar defesa ao órgão. As multas podem variar de R$ 500 a R$ 5.000 mil, dobrando na reincidência.
Lembrando que os motoristas devem comparecer ao local com o alvará de estacionamento fornecido pela prefeitura, certificado de propriedade do veículo, guia de serviço fornecida por oficina credenciada pelo IPEM, certificado de verificação do IPEM, referente ao exercício de 2014 e Guia de Recolhimento da União quitada.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Uber finalmente é proibido na cidade de São Paulo

Taxistas esperando decisão do prefeito

Após a vitória da votação da Câmara dos vereadores de São Paulo na qual votaram no projeto que proíbe o aplicativo, os 33 mil taxistas aguardavam ansiosamente a decisão do prefeito Fernando Haddad sobre a sanção ou veto á lei que ocorreu no dia 8 de outubro. A sanção foi aprovada e assim proibi aplicativos que utilizam o transporte individual de passageiros em carros particulares.
A Uber poderá continuar existindo mas sobre regulamentação, a opção oferecida pela prefeitura é a criação de uma nova categoria, o táxi preto, que vai atender apenas por aplicativo.
O presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos, Natalício Bezerra, afirmou que foi uma medida maravilhosa, porém tem muita luta pela frente.

“O sindicato ainda briga na Justiça para derrubar a liminar que autoriza o aplicativo a operar; Enquanto não há uma decisão favorável, comemoramos várias conquistas dos últimos anos e os taxistas vêm atuando em várias ações que vieram de fora do “poder público”. Foi o caso da ação do Ministério Público pela realização de uma licitação para definir os taxistas habilitados a trabalhar na cidade.O sindicato entrou com uma ação, o prefeito entrou com outro”, afirma Natalício.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Licenciamento 2015:veículos com placas de final 8 e caminhões com finais 3, 4 e 5 devem ser licenciados em outubro

Valor de R$ 72,25 deveser pago na rede bancária credenciada. Quem preferir pode receber o documento pelos Correios, pagando a taxa de R$ 11 para a entrega

Proprietáriosde veículos com placas de final 8 e caminhões com finais 3, 4 e 5 devem realizar o licenciamento obrigatório do exercício 2015 durante o mês de outubro. Isso significa que no dia 1º de novembro esses veículos estarão em situação irregular caso circulem sem o licenciamento 2015.

Oserviço pode ser feito de forma eletrônica, com entrega do CRLV pelos Correios, ou presencialmente nos postos do Detran.SP e do Poupatempo. No Estado de São Paulo, o calendário de licenciamento é entre abril e dezembro, de acordo com o final da placa. Já os veículos de carga (caminhão) devem ser licenciados entre setembro e dezembro.

É válidoressaltar que não basta pagar a taxa de licenciamento, que é de R$ 72,25. É preciso portar o Certificadode Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), válido em todo o país.

Quem optar pela entrega via postagem precisa fazer o licenciamento com antecedência para receber o documento até o final do mês. Após a emissão do CRLV, o prazo de entrega dos Correios é de até sete dias úteis.

Conduzir veículo com o licenciamento em atraso é infração gravíssima (artigo 230 do CTB): multa de R$ 191,54, inserção de sete pontos no prontuário do proprietário do veículo, além de apreensão e remoção do veículo. Já conduzir sem portar o documento, mesmo que o licenciamento esteja em dia, é infração leve (artigo 232 do CTB): multa de R$ 53,20, três pontos na carteira e retenção do veículo até que o CRLV seja apresentado.

Passo a passo – A taxa de licenciamento para oexercício 2015 é de R$ 72,25 e pode ser paga pela internet, caixas eletrônicos ou nas agências dos bancos credenciados (Banco do Brasil, Santander, Bradesco, Itaú, Caixa Econômica Federal, BMB, HSBC, Safra e Citibank). Ao realizar o licenciamento, é preciso quitar possíveis débitos de IPVA, seguro obrigatório e multas.

Na hora dopagamento, é preciso fornecer o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Para receber o documento via Correios, é necessário pagar o valor adicional de R$ 11, referente à postagem. É imprescindível que o endereço esteja atualizado junto ao Detran.SP. Caso contrário, não será possível fazer a entrega e o cidadão terá de retirar o documento em uma unidade de atendimento.

Quem preferir retirar o documento em um posto de atendimento deve apresentar o comprovante de pagamento do licenciamento em uma das unidades do Detran.SP (Aricanduva, Armênia, Interlagos, estação Marechal Deodoro do Metrô ou Raposo Shopping) ou nos postos Poupatempo (Cidade Ademar, Itaquera, Lapa, Santo Amaro e Sé). Nesse caso, será solicitado um documento de identificação e ocomprovante de pagamento. Lembrando que nessa modalidade não se deve pagar o valor de envio pelos Correios.

Aentrega poderá ser solicitada, ainda, por procurador, portando procuração original e cópia do RG do proprietário do veículo; ou por parentes próximos (pais, filhos, irmãos e cônjuge), apresentando documento que comprove o grau de parentesco.

Opasso a passo completo do serviço está disponível na área de "Veículos" do portal Detran.SP ( www.detran.sp.gov.br)ou diretamente no link http://scup.it/8chl.