segunda-feira, 25 de julho de 2016

Lei torna exame toxicológico obrigatório em renovação de CNH

Medida só vale para categoria C, D e E. 
Exame varia de R$ 290 a R$ 380.

Agora os motoristas das categorias C, D e E são obrigados a fazer o exame toxicológico para renovarem a habilitação. Essa medida estava suspensa em todo o Estado de São Paulo por causa de uma liminar. Mas uma decisão da Justiça Federal derrubou essa liminar.
Entre as obrigações do motorista, agora está a de fazer o exame. Ele detecta se nos últimos três meses, a pessoa usou alguma substância que comprometesse a capacidade de direção, como drogas, por exemplo. “Eu acho muito importante, porque tem muito acidente provocado por uso de droga. Tem muito caminhoneiro acaba usando droga pra ficar acordado”, disse o produtor rural Abílio José Cardoso.
A lei federal é do ano passado, mas entrou em vigor em março desse ano, em todo o País. No Estado de São Paulo, a obrigatoriedade estava suspensa por liminar, que foi derrubada. Por isso, a regra está valendo. O controlador de pátio Luiz Daniel da Silva estava terminando as aulas para a mudança de categoria na habilitação, de B para D. Agora, terá um gasto a mais. “Se é preciso, tem que pagar”, disse.
O exame só pode ser feito nos laboratórios credenciados, e o preço varia de R$ 295 a R$ 380. As auto escolas não podem fazer a indicação. “O condutor que quiser renovar ou mudar a categoria, deve procurar no site do Denatran as clínicas credenciadas para fazer o exame. Não podemos indicar as clínicas” explicou o diretor de auto escola Sérgio Luiz de Miranda.
Se o motorista for reprovado no exame toxicológico terá que esperar três meses para refazer. O instrutor de auto escola Emerson Gonçalves até concorda com a lei, mas acredita que falta fiscalização nas estradas. “O candidato pode não usar e passar no exame, mas no dia a dia usar um entorpecente para ficar acordado em longas viagens. Então tem que ter fiscalização na rodovia para evitar acidente”, disse. As informações estão disponíveis no site do Denatran.

Nenhum comentário:

Postar um comentário