terça-feira, 1 de novembro de 2016

UBER vai pagar salário e férias remuneradas


No Reino Unido (Inglaterra) o Uber não deve mais tratar seus motoristas como autônomos, a decisão foi tomada pelo Tribunal britânico que ameaça o aplicativo de transportes a pagar um salário mínimo e oferecer direito à férias.

Dois motoristas trouxeram seus casos a um tribunal trabalhista britânico em julho, argumentando que o aplicativo, que permite que usuários reservem e paguem uma corrida por smartphone, estava agindo contra a lei ao não fornecer certos direitos trabalhistas.

O Uber disse que apelará da decisão, que pode também afetar milhares de outros que trabalham para empresas como serviços de entregas de refeições, incluindo o Deliveroo, na chamada "economia sob demanda", em que indivíduos trabalham para vários empregadores cotidianamente, sem ter contratos fixos.
Os juízes britânicos decidiram que o Uber deve pagar aos motoristas o salário mínimo, que atualmente é de 7,20 libras esterlinas, por hora, para maiores de 21 anos, e disse que as horas trabalhadas começam no momento em que os motoristas se conectam ao aplicativo, e não por corrida. O Uber também pode ter que pagar contribuições à previdência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário