quinta-feira, 14 de junho de 2018

14 de junho é o Dia Mundial do Doador de Sangue

Comemorar a data fazendo uma doação ajuda a salvar vidas!

Nesta quinta-feira, 14, é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, e todos podem participar desta data fazendo sua doação na Fundação Pró-Sangue. Os tipos sanguíneos O positivo e O negativo são os que estão em situação mais crítica no estoque da Fundação, mas doações de todos os tipos são bem vindas.
Para doar é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 67 anos, pesar no mínimo 50k, estar descansado e bem alimentado e portar um documento original com foto emitido por órgão oficial. Escolha um dos postos da Pró-Sangue no site da Fundação e faça sua doação.

Fonte: Portal do Governo do Estado de São Paulo.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Inspeção veicular será obrigatória em todo o Brasil até 2020

Carros para até sete passageiros a partir de três anos de uso serão vistoriados a cada dois anos

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) determinou a realização da inspeção veicular em todo o país.
Os órgãos estaduais de trânsito (Detran) terão até 31 de dezembro de 2019 para iniciar o Programa de Inspeção Técnica Veicular.
Participarão da vistoria todos os veículos de até sete passageiros, com mais de três anos de uso, e veículos de passageiros fabricados há menos tempo, mas que tenham sofrido acidente com danos médios ou graves.
Nesse caso, porém, o próprio Contran ainda não explicou como será realizada esta avaliação dos danos.
Haverá cobrança de taxa pela inspeção técnica veicular (ou ITV, sigla atribuída ao projeto da vistoria), cujo valor ainda não foi determinado neste primeiro momento. Certo é que os veículos reprovados não pagarão uma nova taxa para refazer a vistoria.
O modelo é semelhante à inspeção veicular implantada na cidade de São Paulo em 2010 pelo então prefeito Gilberto Kassab e extinta três anos depois pelo sucessor Fernando Haddad – que até abriu licitação para realizar uma nova inspeção, o que nunca aconteceu.
Os carros obrigados a realizar a vistoria precisarão fazê-la a cada dois anos. Apenas veículos aprovados poderão ser licenciados.
Caberá aos próprios Detran locais ou empresas credenciadas realizar a fiscalização. O Inmetro deverá inspecionar e aprovar o uso de equipamentos e instrumentos necessários para realizar a vistoria.
Veículos destinados ao transporte de carga ou passageiros precisarão repetir o procedimento em menos tempo. Os prazos, porém, ainda não foram definidos.

Carros tunados estão na mira
O Denatran afirmou que serão verificados os níveis de emissões de poluentes e ruídos e o estado de alguns componentes, como o sistema de escapamento.
Será analisado também o estado de circulação do automóvel, incluindo a conservação de pneus, freios, rodas e equipamentos de segurança.
Acessórios proibidos por lei também serão analisados e podem determinar a reprovação do veículo. Carros que tiverem defeitos graves ou muito graves ou não atingirem os parâmetros de emissões de ruído e poluição também podem ser reprovados. O Contran promete que o sistema de direção será analisado a partir do segundo ano de inspeção.

Inspeção sem sair de casa
A verificação poderá ser presencial ou remota, considerando os sistemas de diagnóstico presentes nos carros atuais. O Denatran ainda não informou como isso acontecerá, dizendo apenas que a verificação remota ocorrerá por meio de “sistemas informatizados” e “sistemas de monitoramento de inspeções”.
Um cronograma das ações deve ser divulgado até 1º de julho de 2018. A obrigatoriedade se dá para que as fabricantes tenham tempo de realizar ajustes em veículos que possam estar fora das especificações.

Fonte: Quatro Rodas. Lnk: https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/inspecao-veicular-sera-obrigatoria-em-todo-o-brasil-ate-2020/

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Veículos da prefeitura passarão por inspeção para controle de emissões



O prefeito de São Paulo, promulgou, na quinta-feira (7) lei aprovada pela Câmara dos Vereadores que prevê a obrigação de realização de inspeção veicular em veículos usados pela administração visando ao controle de emissão de poluentes tóxicos e ruídos. A lei se estende a veículos usados por meio de concessão, mas exclui ônibus do transporte público e vans escolares. O Poder Executivo deverá regulamentar a lei no prazo de 120 dias.
A lei proposta pelo vereador Caio Miranda Carneiro prevê que o programa de inspeção deverá observar os procedimentos e instrumentos de medição, bem como os padrões máximos de emissão de ruído e de poluentes tóxicos, conforme definidos pelos órgãos federais, estaduais e municipais competentes. Um dos artigos diz que as inspeções deverão ser programadas de modo a não prejudicar a disponibilidade dos serviços públicos, observando-se uma periodicidade máxima de um ano.
A nova lei prevê ainda que a prefeitura deve criar um selo ou qualquer outro meio de sinalização dos veículos inspecionados e divulgará também pela rede mundial de computadores informações sobre os resultados e data de inspeção realizada.
O documento diz que a realização do programa próprio de inspeção não exime a administração pública das ações fiscalizatórias por parte dos órgãos competentes, "devendo o Poder Executivo manter canal de comunicação para o recebimento de denúncias dos munícipes, sem prejuízo dos demais sistemas de controle interno e das obrigações contratuais assumidas".
Em nota publicada em seu site, o vereador autor do projeto comemorou a sanção. "Já que há nove anos não cumprimos uma lei aprovada nesta casa (referindo-se à Lei das Mudanças Climáticas, que prevê a renovação da frota de ônibus na capital paulista com emprego de combustíveis de fontes renováveis) que pelo menos a prefeitura faça a sua parte".

Fonte: Estadão. Link:  https://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,veiculos-da-prefeitura-de-sp-passarao-por-inspecao-para-controle-de-emissao-de-poluentes,70002342010

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Morar perto de ciclovia aumenta em 154% o uso de bicicleta em SP

Pesquisa foi realizada por pesquisadores da USP

Morar perto de uma ciclovia (até 500 metros) aumenta em 154% a chance de usar a bicicleta como meio de transporte na cidade de São Paulo. A conclusão é um estudo feito por pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) com a colaboração de colegas da Universidade de Melbourne, na Austrália.
A pesquisa, que contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, avaliou a relação da locomoção ativa por duas rodas e a proximidade com estações de metrô e trens. Segundo os resultados, o transporte sobre trilhos, em um raio de até 1,5 mil metros, aumenta em 107% a chance de usar a bicicleta. O trabalho feito a partir de um amplo estudo desenvolvido pela USP ouviu 3,1 mil pessoas sobre o perfil da saúde dos moradores na capital paulista.
O percentual de total de adultos que usam a bicicleta para se locomover na cidade é 5,1%. O número é considerado baixo pelo professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP) Alex Florindo. Para ele, a meta deve atingir os níveis encontrados na Dinamarca e Holanda. “[Esses países têm] em torno de 27% a prevalência do uso da bicicleta como forma de transporte. O nosso sonho é chegar próximo a esses países, de quase 30%”, ressaltou.
Apesar do estudo ter feito o recorte de como o ambiente influencia nos hábitos das pessoas, Florindo enfatiza que adoção de novas atitudes depende de uma série de fatores. O pesquisador faz um paralelo, por exemplo, do impacto da crise do petróleo de 1973 e a greve dos caminhoneiros nas últimas semanas. “A gente teve um bom experimento natural que aconteceu na semana passada: a greve dos caminhoneiros e a falta de combustível. Aumentou muito a quantidade de pessoas que usaram a bicicleta aqui em São Paulo. Na Holanda aconteceu isso, de uma forma um pouco mais grave, com a crise do petróleo na década de 1970”.
As políticas públicas também precisam, segundo o professor, ser pensadas de forma ampla. Florindo destaca, por exemplo, a necessidade de promover a integração entre as vias para bicicletas e o transporte público. “Nós temos muitas ciclovias e estações de trens e metrôs, mas ainda não tem um projeto para coordenar isto. Precisa melhorar essa coordenação, essa ligação".
Florindo lembra que a infraestrutura específica é um fator básico para dar segurança e incentivar a locomoção ativa na cidade. “Se não tiver ciclovia, em um trânsito tão violento como nós temos no Brasil, as pessoas não vão usar”.

Fonte: R7. Link: https://noticias.r7.com/sao-paulo/numero-de-mortes-de-motociclistas-lidera-as-estatisticas-em-janeiro-20022018

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Prefeitura sanciona lei que proíbe mototáxi em São Paulo

Em caso de descumprimento, será aplicada multa de R$ 1 mil.

O prefeito Bruno Covas sancionou nesta terça-feira (5) uma lei que proíbe a utilização de motocicletas para o transporte de passageiros - os mototáxis - em toda a capital. Publicada nesta quarta-feira (6) no Diário Oficial, a lei também proíbe o transporte de material inflamável ou de qualquer outro que coloque em risco a segurança.
Em caso de descumprimento, será aplicada multa de R$ 1 mil. A motocicleta será apreendida se houver reincidência.
Uma lei federal de 2009 regulamentou em todo o país a profissão de mototaxista, mas deixou a cargo dos municípios estabelecer as regras para o serviço, o que não tinha acontecido ainda na capital.
A falta de regulamentação específica já causou polêmica em 2016 quando aplicativos de transporte particular usaram a brecha na lei.
O projeto de proibição é de autoria dos vereadores Antônio Donato (PT) e Adilson Amadeu (PTB) e foi aprovado no dia 3 de maio na Câmara Municipal.
Na justificativa, os vereadores afirmam que a lei é necessária para garantir a segurança dos munícipes. Eles destacam o alto número de acidentes com mortes envolvendo motocicletas e também o número de pessoas com deficiências decorrentes destes acidentes.

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/prefeitura-sanciona-lei-que-proibe-mototaxi-em-sao-paulo.ghtml

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Trânsito no horário de pico segue em queda na cidade de São Paulo

Tráfego na marginal Pinheiros, no sentido Castelo Branco
Crise seria principal causa para recuo nos índices pelo terceiro ano seguido

O trânsito melhorou pelo terceiro ano consecutivo na cidade de São Paulo nos chamados horários de pico, a despeito do contínuo crescimento da frota de veículos.
A média dos congestionamentos no período da manhã caiu dos 81 km verificados em 2016 para 66 km no ano passado, de acordo com as medições da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Uma redução de 19%. À tarde, a queda no índice de lentidão foi ainda maior, de 21% (109 km para 86 km).
Os dados são ainda mais relevantes se comparados com o ano de 2014, quando a capital paulista teve, em média, 30 km a mais de engarrafamento das 7h às 10h, e 55 km a mais das 17h às 20h.

Crise
Mas o que explica essa redução grande no trânsito se, de dezembro de 2014 para cá, a frota de veículos aumentou em 715 mil veículos (9%)? “A crise econômica diminuiu os congestionamentos”, afirma o arquiteto e urbanista Flamínio Fichmann, consultor na área de transportes.
O país enfrentou nos últimos anos a maior recessão de sua história. O desemprego explodiu na região metropolitana de São Paulo, passando de 11% (em 2014) para os 18% verificados em dezembro do ano passado.Mas o que explica essa redução grande no trânsito se, de dezembro de 2014 para cá, a frota de veículos aumentou em 715 mil veículos (9%)? “A crise econômica diminuiu os congestionamentos”, afirma o arquiteto e urbanista Flamínio Fichmann, consultor na área de transportes.
O país enfrentou nos últimos anos a maior recessão de sua história. O desemprego explodiu na região metropolitana de São Paulo, passando de 11% (em 2014) para os 18% verificados em dezembro do ano passado.
Fichmann explica que a principal motivação para as pessoas deixarem suas casas é justamente o trabalho —46% das viagens ocorrem por essa razão. A segunda é a educação, com 32% (segundo dados de pesquisa de mobilidade feita em 2012 pelo Metrô de SP). “Com menos gente empregada, houve uma queda acentuada na necessidade de deslocamento”, diz o consultor.
O engenheiro Ailton Brasiliense Pires, ex-comandante da CET e atual presidente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), tem a mesma opinião. “O que mais pesa, no final das contas, é a economia”, afirma.

Resultado de imagem para imagem gps nocarroNovas Tecnologias
O consultor Fichmann não cita a mudança na CET, mas afirma que outros fatores estão influenciando a melhora do trânsito, além da crise.
“Com a disseminação das novas tecnologias, está caindo a demanda por viagens”, afirma, mencionando por exemplo a viabilidade de se realizar reuniões à distância e fazer compras pela internet.
Segundo ele, aplicativos que informam o melhor caminho ao motorista também ajudam, embora tenham um efeito colateral indesejado. “Despejam veículos nos chamados sistemas viários locais, que não foram capacitados para receber esse aumento do tráfego”, afirma.

Fonte: Folha de São Paulo

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Greve perde força e combustível começa a chegar aos postos

Escolta policial garante o abastecimento de combustível em diversas cidades (Vladimir Platonow/Agência Brasil)
Cidades do interior são as que ainda têm mais relatos de desabastecimento; nas capitais, combustível já está quase normalizado

A greve dos caminhoneiros perdeu força nesta quinta-feira, 31, que marca o 11º dia do movimento. Apesar de alguns pontos de manifestação ainda espalhados pelo país, a paralisação dos caminhoneiros já não causa tanto impacto e abastecimento tanto de combustível quanto de alimentos já começa a se normalizar em todo o país. 

“O abastecimento de combustíveis está melhorando em todos os estados brasileiros, embora em alguns ainda haja protestos e bloqueios, principalmente em estradas no interior. Na maioria das capitais, o suprimento de combustíveis está se normalizando”, diz nota divulgada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Conforme último levantamento divulgado no início da noite desta quarta-feira, 30, pela ANP, o abastecimento na capital, Campinas e Sorocaba está praticamente normal.

Fonte: Revista Veja.

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Combustível começa a chegar aos postos, mas motoristas ainda enfrentam filas em SP

Espera para abastecer dura cerca de meia hora em alguns postos

O combustível começou a chegar lentamente aos postos, mas os motoristas ainda enfrentavam filas para conseguir abastecer os carros na madrugada desta quarta (30), na Grande São Paulo, devido a paralisação dos caminhoneiros.

O professor Nelson Nunes Pedroso, 57, era o primeiro de uma pequena fila de carros estacionados em um posto na rodovia Raposo Tavares, no km 22, na região de Granja Viana, em Cotia (Grande São Paulo).

O professor, que mora em Osasco, disse que chegou ao local às 20h desta terça (29), mas a gasolina acabou uma hora depois quando chegou a sua vez na fila para abastecer. O combustível chegou à noite e durou apenas quatro horas.

"Estou sem gasolina, quero ir embora, mas não tenho como. Se não chegar, vou deixar o carro aqui e pegar um ônibus para trabalhar", falou Pedroso.

Na zona oeste de São Paulo, o mecânico Flávio Gonçalves, 27, comprava dois galões com 20 litros de álcool cada em um posto na avenida Politécnica, na região do Rio Pequeno, por volta das 4h. "Moro em Cotia, mas deixo o carro na casa do meu pai que fica aqui perto", disse.

Na mesma avenida, outro posto voltava a funcionar nesta madrugada após ser abastecido por dois caminhões-tanques com combustível. Com a gasolina custando R$ 4,39 o litro e o álcool a R$ 2,79, o local não atraia os motoristas que preferiam pegar filas em postos próximos com menores preços.

Em um posto na avenida Corifeu de Azevedo Marques, na região do Butantã, motoristas formavam duas filas para colocar combustível nos veículos. O tempo de espera era de aproximadamente meia hora.

Morador da região, Josinelson Alves, 41, tentava encher o tanque de uma das cinco Kombi que utiliza para trabalhar no seu buffet. "Quando fiquei sabendo da greve coloquei combustível em todas as peruas, se não tivesse feito isso teria perdido cliente", falou.

Por volta das 3h, não havia combustível em nenhum posto da avenida Sumaré. Mas na esquina das ruas Heitor Penteado e Leite, a reportagem conseguiu abastecer, e a fila durou menos de cinco minutos.

Na zona norte de São Paulo, motoristas esperavam em uma fila de aproximadamente 15 carros para encher o tanque em um posto na Marginal Tietê, no bairro do Canindé, um dos poucos que estavam funcionando na região, por volta das 4h30.

Uma carreta bitrem tinha descarregado 20 mil litros de gasolina e 15 mil de álcool uma hora antes. Segundo um dos frentistas, dependendo do movimento o combustível duraria até às 8h.

"Estávamos sem combustível desde sexta, descarregou agora de madrugada e ontem à tarde. O outro posto da rede está desde a terça-feira da semana passada não chega", disse o frentista.

Fonte: Folha de São Paulo.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Com falta de combustível, SP registra trânsito abaixo da média

Às 9h, a cidade apresentava 10 km de congestionamento

Apesar da suspensão do rodízio municipal de veículo, o trânsito na capital paulista está abaixo da média na manhã desta segunda-feira, 28, segundo informou a Companhia de Engenharia de Tráfego do município (CET).
Com a greve dos caminhoneiros, muitos postos de combustíveis no município estão fechados e os motoristas encontram dificuldades para abastecer. Foto: Amanda Perobelli/Estadão
O índice mais alto de trânsito registrado pela CET nesta manhã foi às 9h, quando apresentou 10 km de lentidão na cidade. A média para o horário varia de 55 km a 91 km. Segundo a CET, às 10h, a capital apresentava 6 km de tráfego lento e a média para o horário varia de 52 km a 76 km.
Com a greve dos caminhoneiros, muitos postos de combustíveis no município estão fechados e os motoristas encontram dificuldades para abastecer.
A Prefeitura de São Paulo autorizou a frota de ônibus circulando nesta segunda-feira com até 60% dos veículos no horário  de entrepico (das 9 às 16 horas)
Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), a medida é necessária para garantir que a frota esteja operacional no fim da tarde e noite. A frota de trólebus está 100% operacional.

Fonte: Folha de São Paulo

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Como está o funcionamento de serviços essenciais em São Paulo com a greve dos caminhoneiros

Grande parte dos serviços essenciais na cidade de São Paulo estão garantidos apenas até a segunda-feira, 28. Após reunião do Comitê de Gerenciamento de Crise, o prefeito Bruno Covas afirmou que a situação “ainda é grave” e, por isso “permanece o estado de emergência”.

A Prefeitura está tomando todas as ações possíveis para a greve ter o “menor impacto” para a população, afirma Covas. Ele agradeceu a colaboração dos moradores. “Quanto mais as pessoas puderem racionalizar combustível, puderem diminuir a quantidade de gasto, seja com viagem supérflua seja com qualquer tipo de deslocamento em que não há a necessidade, a gente pede a colaboração da população.”

Confira a última nota da Prefeitura de São Paulo sobre os serviços essenciais:

TRANSPORTES

A São Paulo Transporte (SPTrans) informa que operou na manhã de sábado com 57% da frota em média. Ao longo do fim de semana, foi autorizado às empresas que rodem com metade dos ônibus que usualmente operam. O índice de segunda-feira dependerá da quantidade dos estoques e de novas compras que puderem ser realizadas. Entre noite ontem e manhã sábado, a prefeitura conseguiu 550 mil litros de diesel, além dos 240 mil obtidos na sexta. Uma operação está em andamento para obter mais 580 mil litros. As linhas de trólebus e os veículos do ATENDE operaram com a frota máxima. 

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes informa que, para garantir o abastecimento de serviços essenciais na cidade, a CET liberou a Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC). A CET orientou os agentes de trânsito a não aplicar multas aos motoristas que tiverem pane seca nos veículos.  Os fiscais devem fazer apenas a remoção do veículo para um local seguro e onde não prejudique o trânsito. A manutenção dessas medidas depende da evolução da greve dos caminhoneiros e será decidida ao longo do fim de semana.

O programa Ruas Abertas foi mantido apenas na Avenida Paulista, para economizar combustível da CET.

COLETA DE LIXO E VARRIÇÃO

A AMLURB informa que as concessionárias conseguiram adquirir 15 mil litros de combustível para a coleta de lixo domiciliar. Com isso, será possível manter o a coleta ao longo do fim de semanae na segunda-feira. No domingo pela manhã ela tradicionalmente já não é realizada. A Prefeitura conduz novas operações para obter mais combustível para o serviço a partir de terça. Os Ecopontos permanecem fechados, já que os resíduos coletados nesses locais são encaminhados a aterros localizados em rodovias federais e estaduais, muitas delas bloqueadas pelos caminhoneiros. Os serviços de varrição de vias e logradouros continuam reduzidos, mas a coleta hospitalar, a limpeza pós-feiras livres e o recolhimento de animais mortos estão mantidos.

SAÚDE

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo informa que todas as unidades estão funcionando normalmente, com possibilidade de falhas pontuais por ausência de um ou outro funcionário. As ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-SP) tem combustível para o atendimento até o fim de segunda-feira. Há ações no fim de semana para a recomposição dos estoques. O mesmo se repete em relação ao transporte de vacinas e medicamentos, garantidos até segunda. Falhas pontuais podem ocorrer nas farmácias das UBSs. Os Hospitais Municipais também estão abastecidos com oxigênio e diesel para os geradores até segunda.

EDUCAÇÃO

A Secretaria Municipal de Educação informa que as escolas da rede municipal abrirão as portas na segunda-feira, com a oferta de merenda, que terá um cardápio especial, elaborado com supervisão da Coordenadoria de Alimentação Escolar, de acordo com os insumos disponíveis em estoque. Algumas fornecedoras de merenda terceirizada estão com dificuldade para obter gás de cozinha. A Prefeitura realiza esforços para sanar o problema.

SERVIÇO FUNERÁRIO MUNICIPAL

O estoque de combustível para o serviço de remoção de corpos foi suficiente para garantir o serviço até a manhã deste domingo. Novos esforços estão sendo realizados para aumentar os estoques.

Diante da permanência dos bloqueios de estradas e do desabastecimento da cidade, o estado de emergência está mantido. A Prefeitura, com o auxílio da Polícia Militar, continua empenhada em fazer valer a liminar obtida na quinta-feira, que obriga os grevistas a suspender atos que impeçam o abastecimento de combustível para os serviços essenciais.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Motoristas formam filas para abastecer em SP e falta combustível em postos

Quarto dia de greve dos caminhoneiros causou crise de abastecimento na capital. Rodízio está suspenso.

Os motoristas formaram longas filas na madrugada desta quinta-feira (24) para abastecer por medo de faltar combustível na cidade de São Paulo. Em alguns postos da capital paulista o combustível já acabou nas bombas.

Na Rua da Paz, na região da Chácara Santo Antônio, na Zona Sul, os motoristas fizeram fila para abastecer desde as 5h desta quinta e travaram o trânsito para acessar a Marginal Pinheiros. O posto estava apenas com 2 das 5 bombas disponíveis funcionando. Não havia mais etanol, só gasolina. Os motoristas disseram que o preço subiu de R$ 3,85 para R$ 4,17 de um dia para outro. Um frentista discordou do valor e disse que o aumento não foi tão grande, mas que o preço do litro subiu pelo menos R$ 0,20.

Um ônibus de linha abasteceu em um posto comum na Av. Interlagos, na Zona Sul, onde o estoque de diesel e etanol só deve durar por mais uma hora, segundo funcionários. A gasolina já acabou. O motorista disse que o diesel na garagem da empresa acabou ontem à noite. "A orientação é para a gente parar onde conseguir para abastecer mesmo, porque não tem previsão de quando vai chegar mais na garagem", disse ele.

Motoristas formaram fila para abastecer em posto na Marginal Pinheiros na altura da Ponte Eusébio Matoso. Segundo funcionários, o movimento aumentou muito desde o início da manhã. O frentista Alberto da Silva, que trabalha no posto há 7 anos, diz que o estoque de combustível deve durar só até as 18h. "Aqui ainda tem, mas em vários outros postos já acabou a gasolina".

Postos da Av. Washington Luís estão sem combustível. "Por aqui acabou ontem à noite já. Só sobrou diesel. Nos postos ali do outro lado da avenida também não tem", disse o frentista Gabriel Lopes, que sinalizava para avisar motoristas.

Em um posto da Avenida Radial Leste, na Zona Leste de São Paulo, houve confusão quando parou o abastecimento. Alguns motoristas chamaram a polícia porque acharam que o gerente queria reajustar o preço. Horas depois nossa equipe de reportagem voltou ao local e o posto estava funcionando e cobrando o mesmo preço na bomba.

O presidente do Sincopetro (Sindicato Comércio Varejista Derivados Petróleo Estado São Paulo), José Alberto Gouveia, pede que a população tenha calma. “A preocupação é clara, existe, a gente está pedindo ao consumidor que não entre em desespero, continue fazendo seus abastecimentos todos normalmente, A partir de sexta-feira a sábado, nós teremos um problema seríssimo, porque aí não tem reposição, continua o consumo, uma hora acaba”, disse ele.

Carros fazem fila para abastecer em um posto na av. Morumbi, na zona sul de São Paulo, nesta quinta-feira (24) (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Foi constatada uma grande variação de preço da gasolina e do álcool de posto para posto. O taxista Valentim Silva viu isso na prática. “Até a data de ontem eu paguei R$ 2,39 e hoje já estou pagando R$ 2,69. Aqui estava R$ 2,49 nesse posto”, diz ele.

Em um posto da Guido Caloi, houve fila de ônibus pra abastecer. A empresa vai conseguir operar graças ao abastecimento de vinte carros no posto. A previsão é de que 40% da frota de ônibus de São Paulo não saía às ruas nesta quinta. O rodízio está suspenso.

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/motoristas-formam-filas-para-abastecer-em-sp-e-falta-combustivel-em-postos.ghtml

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Condutor profissional pode fazer curso para salvar CNH


Os motoristas profissionais têm a partir de agora uma alternativa para não serem suspensos por estourar os 20 pontos na carteira de habilitação. Eles podem fazer, quando estiverem com pontuação entre 14 e 19, um curso de reciclagem.
A regra vale para quem está habilitado nas categorias C, D e E, com a inscrição “exerce atividade remunerada” na CNH. O curso, dados pelas autoescolas, é o mesmo que os motoristas que ultrapassam os 20 pontos fazem. Depois, é preciso fazer uma prova com 30 questões e acertar 21 no mínimo.
O motorista profissional poderá optar pela reciclagem uma vez a cada 12 meses. Para isso, é preciso ir a uma unidade do Detran, pedir uma autorização e depois ir até uma autoescola.

Para mais informações acesse o site do Detran: https://www.detran.sp.gov.br/

Fonte: Jornal Agora

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Sindicatos promovem campanha de combate aos acidentes de trânsito em São Paulo

                                   Resultado de imagem para sindicatos promovem campanha maio amarelo


O Sindseg SP (Sindicato das Empresas de Seguros e Resseguros) e o Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo) promovem uma ação do movimento Maio Amarelo em vários munícipios da grande São Paulo e interior do Estado. 
Os corretores de seguros da região e uma trupe de palhaços da ONG Picadeiro do Asfalto estarão em pontos centrais dos municípios, distribuindo gibis educativos, além de utilizar uma tecnologia de realidade virtual, em que as pessoas terão a oportunidade de vivenciar simulações de risco. 
A ação faz parte de uma tradicional campanha promovida pelos sindicatos no mês de maio, período que marca o Movimento Amarelo, criado para mobilizar e conscientizar a população sobre a importância do trânsito seguro e, consequentemente, reduzir o número de acidentes. Para 2018, os sindicatos firmaram uma parceria com a Artesp - Projeto Rodovírtua - e com a ONG Picadeiro do Asfalto. 
"Precisamos educar a nossa sociedade. A escolha de beber e dirigir é muito perigosa para todos, seja motorista, pedestre, ciclista ou passageiro. São essas atitudes imprudentes que tornam o Brasil um dos recordistas mundiais de acidentes de trânsito. Por isso, o Sindseg SP está engajado nesta causa. Se não mudarmos nossas atitudes, até 2030, 2,4 milhões de pessoas irão morrem nas ruas e estradas, segundo a OMS", afirma Mauro Batista, presidente do Sindseg SP. 
"Nesta importante campanha, os corretores de seguros de todo o Estado de São Paulo atuam como verdadeiros agentes do bem-estar social, levando a mensagem de que, com prudência no trânsito, podemos garantir a segurança dos nossos familiares, amigos e de toda a sociedade brasileira", enfatiza o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo. 
O Movimento Maio Amarelo é fundamental para a redução de mais de 50 mil mortes nas rodovias e ruas. Segundo a OMS, se nada for feito, mais de 1,9 milhão de pessoas em todo o mundo devem morrer no trânsito até 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, até 2030. Neste período, entre 20 e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes de trânsito, porém com sequelas, muitas vezes, incapacitantes. 
A campanha está acontecendo em diversas regiões do Estado de São Paulo e a programação completa pode ser conferida através do site.

Sobre o Movimento Maio Amarelo 

O Movimento Maio Amarelo nasceu com a proposta de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. 
O objetivo é colocar em pauta o tema da segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos governamentais, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, fugindo das falácias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.Sindicatos promovem campanha de combate aos acidentes de trânsito em São Paulo

quarta-feira, 16 de maio de 2018

A importância da segurança no Transporte Escolar

Transportar crianças, um trabalho que exige muita responsabilidade 

O transporte escolar é uma das especializações que mais tem procura pelos condutores que querem se profissionalizar. Transportar passageiros exigem um alto nível de atenção e responsabilidade do motorista, e quando envolve crianças, o cuidado deve ser redobrado.

Para se especializar nessa área, o indivíduo deve ter algumas características, como ser calmo, educado, cuidadoso, pontual, organizado e, principalmente, um profissional técnico e psicologicamente bem preparado para lidar com as crianças e o trânsito.

Para ser motorista de transporte escolar existem algumas exigências previstas pelo Código de Trânsito Brasileiro: o condutor deve possuir mais de 21 anos, Carteira de Habilitação D e, no momento do credenciamento, apresentar uma certidão de antecedentes criminais, principalmente sobre homicídio, roubo e corrupção de menores, além de passar por um curso de formação específica.

O veículo também deve passar por vistorias semestrais.  Realizadas pelo Detran ou pelo órgão municipal de trânsito, são verificados: equipamentos obrigatórios e de segurança, como cintos para todos os ocupantes do veículo, pneus que ofereçam boas condições, extintor de incêndio, entre outros.

Além disso, é necessário a apresentação da apólice no DTP do seguro obrigatório, "O seguro protege os passageiros, motoristas e até mesmo o próprio veículo em caso de acidentes, e deve ser realizado em uma seguradora competente e qualificada.", explica Edmam Coimbra, empresário da BV Corretora de Seguros, nosso principal parceiro.

Atualmente, o maior responsável pela morte por acidentes de crianças e adolescentes até 14 anos no Brasil são os acidentes de trânsito, com 1.862 vítimas por ano.Faça sua parte e reduza essa estatística.

Fonte: G1 e Portal do Trânsito.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Prefeitura lança aplicativo para serviços de táxi em Manaus

App foi lançado na sexta-feira (4) e está disponível para Android e iOS.

Usuários de táxis em Manaus vão poder chamar suas corridas por meio do aplicativo "Táxi Manaus". A plataforma foi lançada nesta sexta-feira (4), pela prefeitura. Nos próximos 30 dias, a corrida terá 30% de desconto.

O aplicativo foi lançado durante evento realizado no Complexo Turístico Ponta Negra, na Zona Oeste. Segundo a gestão municipal, descontos aos usuários devem garantir mais competitividade aos taxistas.

O “Táxi Manaus” já está disponível nas plataformas Android e iOS e atende a um pedido do Sindicato dos Taxistas. A prefeitura coordenou o desenvolvimento da ferramenta e, após dois anos, vai entregar a gestão da plataforma ao Sindicato dos Taxistas do Amazonas (Sintáxi-AM), o que inclui manutenção e licença, por meio de uma comissão gestora.

“O Táxi Manaus é um aplicativo, em que o grande beneficiário é o usuário, com super desconto, sem surpresa no final da corrida, e a gente vai estar contribuindo com a mobilidade urbana da cidade de Manaus”, explicou Márcio Fleury, coordenador da comissão gestora do aplicativo.

O aplicativo visa facilitar o dia a dia dos usuários de táxi da cidade e incentivar o uso aos que ainda não utilizam o transporte. Representantes dos taxistas acompanharam todo o desenvolvimento do App, bem como apresentaram sugestões de melhorias às funções, inclusive já incorporadas na versão atual disponível na Apple Store e Google Play.

O aplicativo servirá também para promoção turística da cidade, apontando serviços e locais para visitação como as Galerias Populares, Mercado Municipal Adolpho Lisboa, no Centro, parques e outros espaços.

Outra funcionalidade do software, que utiliza o banco de dados da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), é de servir para atualização cadastral dos trabalhadores da categoria. Todos os taxistas que trabalham no App estão regularizados junto à Prefeitura de Manaus.

Uso

Ao baixar o aplicativo, o usuário se depara com uma tela preta e o símbolo de localização com o nome Taxi Manaus, acompanhado do slogan “Viagens confortáveis, seguras e sem surpresas”. Em seguida, é levado à tela de Login ou Cadastro, podendo ser feito com uma conta no Facebook ou informando celular e e-mail.

Depois, basta informar o local de origem da corrida e o destino. O usuário verá o preço fixo (já com desconto), a distância e o tempo aproximado em que o percurso será feito. Ao avançar, o passageiro pode ainda editar preferências como um motorista que fale outro idioma, escolher um carro especial e a forma de pagamento.

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/prefeitura-lanca-aplicativo-para-servicos-de-taxi-em-manaus.ghtml

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Maio Amarelo

Maio Amarelo é um movimento para alertar, tanto o poder público quanto a sociedade civil, sobre um problema grave e, ao mesmo tempo, comum a todas as pessoas que se locomovem dia e noite, nos mais diversos confins: o alto índice de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo.
A motivação para essa iniciativa não é novidade para a sociedade. A segurança viária sensibiliza autoridades globais, tanto que a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”.
A proposta do Maio Amarelo vem ao encontro desse marco. Maio foi escolhido, porque o anúncio da ONU se deu, oficialmente, em maio de 2011. Por sua vez, a cor amarela, no conjunto semafórico, significa Atenção. Atenção pela vida.
Sendo assim, de 2 a 31 de maio, a Prefeitura de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, apoiará o Movimento Maio Amarelo e convida cada cidadão – morador ou visitante, pedestre, condutor ou passageiro – a refletir sobre a importância da conduta adequada, prudente e exemplar no trânsito de todos nós.
Faça sua reflexão, seu debate e promova seu evento por um trânsito mais pacífico!

Um panorama da violência no trânsito mundo afora

Um estudo feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidentes de trânsito em 178 países. Cerca de 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.
São 3 mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas ou a 9ª. maior causa de mortes no mundo. Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas virão a óbito no trânsito em 2020 (passando para a 5ª. maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030.
A intenção da ONU com a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito” é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, 5 milhões de vidas até 2020.

A posição do Brasil
O Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, precedido por Índia, China, EUA e Rússia e seguido por Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas nações respondem por 62% das mortes por acidente no trânsito.
As estatísticas mais recentes – dados apurados em 2013 pelo Seguro DPVAT – revelam que aproximadamente 50 mil brasileiros morrem em acidentes de trânsito todos os anos enquanto outros 440 mil ficam sequelados permanentemente.
Os custos envolvidos num acidente vão além do prejuízo material e do risco à própria vida: há gastos como hospitais, danos psicológicos à vítima e família, perda da produtividade no trabalho, entre muitos outros intangíveis. Trânsito bom é trânsito seguro.
Faça parte deste movimento!

https://www.maioamarelo.com/
Fonte: Prefeitura de São Paulo - Mobilidade e Transportes.
Link: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes/maio_amarelo/index.php?p=239577

terça-feira, 17 de abril de 2018

Veja como converter multa de trânsito em advertência no Detran-SP

Alteração está prevista do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) para condutores com bom histórico de direção. Solicitação pode ser feita online.
Departamento de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran-SP) informa que 2.018 motoristas solicitaram a conversão de multa em advertência no último ano. A alteração está prevista do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) para condutores com bom histórico de direção.
De acordo com o órgão, a concessão da mudança de multa para advertência é facultativa, e não obrigatória. “O pedido pode ser negado caso o cidadão tenha cometido infrações que coloquem em risco a segurança no trânsito, como usar o celular ao volante, por exemplo”, explica Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran-SP.
Em 2016, o Detran-SP recebeu 2.006 solicitações de advertência, sendo que 213 foram deferidas. Em 2017 foram 2.018 pedidos e 139 deferimentos. Caso o condutor consiga o benefício, além de não receber a multa, ele também não fica com os pontos referentes à infração na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Como solicitar
O pedido pode ser feito online. No site do órgão, o motorista se cadastra, clica em “Serviços Online” e depois seleciona a opção ”Solicitar e acompanhar recurso de penalidade”, na área de “Infrações”.
Em seguida é preciso preencher, imprimir e assinar o formulário disponível na própria página. Na sequência, o condutor terá que digitalizar o formulário (por meio de scanner ou foto) e fazer o upload, anexando outros documentos necessários, listados na página, para possibilitar a análise. O acompanhamento do processo pode ser feito também pelo portal.

Quem pode solicitar
Pode fazer o pedido de conversão ao Detran-SP quem receber notificação de autuação do próprio departamento por cometer infração de trânsito de natureza leve ou média, desde que não seja reincidente na mesma infração nos últimos 12 meses. O prazo para a solicitação é de 30 dias corridos após o recebimento da notificação.
No caso de infrações registradas por outros órgãos, o motorista deve enviar o requerimento a eles, apresentando o histórico do prontuário, que permitirá a análise. O cidadão pode imprimir esse histórico no site Detran-SP em “Serviços Online”, ”CNH-Habilitação” e "Certidão e consulta de pontos na CNH".

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/veja-como-converter-multa-de-transito-em-advertencia-no-detran-sp.ghtml

terça-feira, 10 de abril de 2018

Mortes no trânsito em SP caem 7%, mas aumentam em 8 das 10 vias mais letais

Acidentes fatais em São Paulo (Foto: Roberta Jaworski/Editoria de Arte/G1)
Marginal Tietê registrou 20 mortes, 42,86% de aumento em relação a 2016. Avenida Teotônio Vilela registrou aumento de 90% e na Marechal Tito, o número de mortos dobrou.
O número de mortes nas vias da cidade de São Paulo caiu 7% de 2016 para 2017, mas aumentou em 8 das 10 vias mais letais da cidade, entre elas as marginais Tietê e Pinheiros, segundo dados da Companhia de Engenharia de Tráfego divulgados nesta sexta-feira (13).
No total, foram 797 mortes contra 854 em 2016. O índice de acidentes com vítimas também caiu, segundo o levantamento. A queda foi de 16%, indo de 16.052 para 13.483, no ano passado. O total de vítimas foi de 19.235 para 16.252 pessoas, nos últimos dois anos.
Em 2017, vinte pessoas morreram na Marginal Tietê, contra 14 em 2016 - aumento de 42,86%. Já na Marginal Pinheiros, aumentou em 27,27%, de 11 para 14 óbitos, no mesmo período.
O aumento da velocidade máxima para carros foi promessa de campanha do ex-prefeito João Doria (PSDB) e implantado em 25 de janeiro do ano passado. O limite aumentou de 70 km/h para 90 km/h na pista expressa; de 50 km/h para 60 km/h, na local e de 60km/h para 70km/h, na central. De acordo com o secretário João Otaviano, o aumento da velocidade nas Marginais não têm relação com o crescimento de vítimas fatais nas vias expressas. Segundo ele, em 2017 foram registradas cinco mortes atípicas, o que está relacionado com "o processo de atitude do condutor".
A Marginal Tietê foi a recordista no número de mortos em 2017, seguida da Avenida Teotônio Vilela, na Zona Sul da capital, que teve aumento de 90%. Em 2016, 10 pessoas morreram no corredor. No ano passado, o número aumentou para 19.
Na Avenida Marechal Tito, na Zona Leste, que já foi considerada a mais letal para pedestres, o número de mortos dobrou, foi de 4 para 8.
Em entrevista ao G1, o secretário João Otaviano afirmou que os dados divulgados evidenciam "o acerto do programa Via Segura" e que faz com que se pense em "ações similares nas outras vias que apresentam variações por conta da dinâmica da cidade".
Perguntado sobre o prazo de implantação do programa nas demais vias, o secretário afirmou que é "ação imediata" e que a CET já está trabalhando nas vias mais letais. De acordo com Otaviano, as Avenidas Marechal Tito, Belmira Marin e Senador Teotônio Vilela têm projetos encaminhados para este ano ainda.
Sobre as avenidas que tiveram aumento considerável, o secretário afirmou que os acidentes serão estudados para entender a causa. Um dos fatgores pode ser maior número de vítimas em um mesmo acidente.

M'Boi Mirim

Das 10 vias mais letais da cidade, a Estrada do M'Boi Mirim foi a única que teve redução de mortes em 2017.
Em 2016, a Estrada do M'Boi Mirim foi a via que registrou o maior números de acidentes. Foram 22 mortes em todo o ano. Já em 2017, a avenida registrou 7 mortes, 68% a menos no comparativo entre os dois anos. O número de acidentes com vítimas também caiu: 69 ocorrências com vítimas contra 134 no ano anterior.
Conhecida pelos grandes congestionamentos, a via possui cerca de 16 km de extensão e liga o Jardim São Luis ao Jardim Ângela.
Segundo o secretário João Otaviano, a diminuição acontece após a implantação do programa "Via Segura".
Em entrevista ao Bom Dia SP, o secretário disse que "as próximas vias que já estão com estudos em andamento são as avenidas: Carlos Caldeira, Teotônio Vilela, Celso Garcia, Raimundo Pereira de Magalhães e a Belmira Marin".

Morte de ciclistas

Ciclista pedala na ciclovia (Foto: Marcelo Brandt/G1)
O número de ciclistas mortos apresentou alta de 23,3% (de 30 para 37). Ciclistas reclamam das condições das ciclovias, da falta de sinalização, da falta de mais ciclovias e proteção pra quem pedala.
João Otaviano Machado, atual secretário municipal de Transportes afirmou, em entrevista ao Bom Dia SP, que o uso da bicicleta como meio de transporte aumentou e isso requer cuidados.
Em nota, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, por meio da CET, afirmou que analisa os dados consolidados "para implantar medidas de segurança viária, como já foi feito na Estrada do M'Boi Mirim" e que a CET "irá implantar nos próximos meses essas ações de segurança, sinalização e orientação em outras vias com alto índice de acidentes, como a Estrada de Itapecerica, av. senador Teotônio Vilela e av. Belmira Marin".

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/mortes-no-transito-em-sp-caem-7-mas-aumentam-em-8-das-10-vias-mais-letais.ghtml

terça-feira, 3 de abril de 2018

Doria lança aplicativo para agendamento de consultas e exames em postos de saúde

App 'Agenda Fácil' também permite que pacientes de UBSs cancelem agendamentos pelo celular. Aplicativo possui cartão do SUS virtual.

Telas do aplicativo 'Agenda Fácil', que permite agendamento de consultas médicas na cidade de São Paulo (Foto: Prefeitura de São Paulo/Reprodução)
O prefeito de São Paulo, João Doria, lançou na segunda-feira (26) um aplicativo de agendamento de consultas nas 459 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da cidade. Além de agendar, o aplicativo “Agenda Fácil” também permite confirmar e cancelar consultas e exames pelo telefone celular.
O aplicativo estava em teste desde outubro de 2017 e tem mais de 7 mil usuários cadastrados, segundo a Prefeitura. Os outros canais de agendamento não serão substituídos e continuam funcionando.
"Quem sabe consigamos diminuir o absenteísmo com essa taxa de 34% caindo para 20%. Mas, se assim não for, não há prejuízo para a fila. É um passo muito grande que dá a saúde pública com esse sistema. Amanhã pode ser levado para o governo estadual, outras capitais brasileiras. Ele funciona. Foi muito testado", disse Doria.

Doria e os secretários da Saúde, Wilson Polara, e de Inovação e Tecnologia, Daniel Annenber, e Joel Formiga (assessor da presidência da Prodam) (Foto: Reprodução/TV Globo)
O aplicativo está disponível para download gratuito no Google Play e na Apple Store. Para utilizar o app pela 1ª vez, é preciso retirar um código de acesso na UBS de referência do paciente. É possível pesquisar a unidade que corresponde a seu endereço no Busca Saúde.
O secretário de Inovação e Tecnologia, Daniel Annenberg, disse que o app irá dar mais conforto aos usuários da rede pública. "Ainda há muito para ser feito, mas o caminho é isso, desburocratização e melhora da qualidade de vida do paciente", afirmou.
Já o secretário municipal da Saúde, Wilson Pollara, acredita que o modelo será adotado em outras cidades. "Que as pessoas possam se empoderar da sua própria agenda. Isso vai ser uma revolução na saúde. Acho que vamos ter que orientar e ensinar as pessoas que vão querer isso fora de São Paulo", disse.
O objetivo do aplicativo é diminuir as filas para marcação de consultas e minimizar as ausências, possibilitando que outros pacientes ocupem o horário vago. O paciente receberá alertas do app lembrando do agendamento cinco, três e um dia antes da consulta ou exame.
O Agenda Fácil tem um espaço para o perfil do usuário. Nele, o paciente consegue inserir ou atualizar seus dados de telefone e e-mail. O aplicativo também possui o cartão SUS virtual que fica no celular do usuário.

Fechamento de AMAs
O secretário da Saúde, Wilson Pollara, também falou sobre o fechamento das Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs) . Segundo ele, as mudanças que ocorrerão não implicarão em menos médicos e atendimento prejudicado.
"A AMA é o oposto disso [que estamos propondo]. Os médicos estão ali à disposição, muitos são de fora, um médico que não te conhece. Acontecem as chamadas consultas de demanda espontânea. Nenhuma unidade será fechada. O que faremos: o mesmo médico da família vai atender a consulta agendada e a por demanda. Estamos apenas unindo os sistemas. Nosso orçamento vai aumentar. Vamos contratar mais equipes de medicina da família", disse.
No início de março, a Prefeitura de São Paulo anunciou que irá reorganizar o sistema de saúde pública. Entre as mudanças está o fechamento das 108 Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs), que serão absorvidas pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Fonte: G1. Link:: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/doria-lanca-aplicativo-de-agendamento-de-consultas-e-exames-para-postos-de-saude.ghtml

quinta-feira, 29 de março de 2018

SPTAXI

O aplicativo de táxi oficial da Prefeitura de São Paulo oferece a toda a população um serviço digital que assegura qualidade e segurança para os usuários do serviço de táxi de São Paulo. 


Benefícios do SPTAXI

Para o taxista, uma das vantagens é que a taxa do programa é menor do que a praticada no mercado, o que garante a você a possibilidade de aumentar o valor dos descontos dados aos passageiros e, com isso, fazer mais corridas. Além disso, a Prefeitura de São Paulo terá acesso às notas dadas pelos passageiros aos motoristas de táxi. Esse ranking será usado para premiar os melhores colocados. Uma das formas de premiar é dar prioridade em bolsões de táxi em grandes eventos como em jogos de futebol, shows, etc. 

Na etapa inicial

Qualquer taxista da cidade de São Paulo, que esteja em dia com o alvará do táxi e com o Condutax (Cadastro Municipal dos Condutores de Táxi) pode se cadastrar.
Em um primeiro momento, não haverá nenhuma taxa dos taxistas. Futuramente será cobrado um pequeno valor, para a manutenção dos equipamentos, infraestrutura e equipe. 
E, por enquanto, o pagamento do usuário deve ser feito diretamente ao taxista, podendo ser em dinheiro, cartão de crédito ou débito. Lembrando que a disponibilização de máquina de cartão é obrigatória em São Paulo.
Você consegue baixar o APP aqui: https://sptaxi.prefeitura.sp.gov.br/

Fonte: Prefeitura de São Paulo. Link: https://sptaxi.prefeitura.sp.gov.br/arquivos/cartilha_sptaxi.pdf

terça-feira, 27 de março de 2018

Temer sanciona lei que dá poder a municípios para regulamentar Uber

Apps terão amparo para determinar exigências para a oferta do serviço
O presidente Michel Temer sancionou nesta segunda-feira (26) proposta que confere aos municípios do país o poder em regulamentar os serviços de transporte como Uber, Cabify e 99.
A nova lei, considerada favorável aos aplicativos e que foi sancionada sem vetos, será publicada na edição desta terça-feira (27) do "Diário Oficial da União". Na prática, a proposta não muda o que já é feito: uma regulamentação a critério do município.

Taxistas em frente ao Congresso Nacional demonstram suporte à lei que impunha regras para os aplicativos de transporte, em Brasília.
Agora, no entanto, eles terão amparo legal para determinar as exigências para a oferta do serviço, como a de autorização prévia. A primeira versão do texto, defendida por empresas de táxi, estabelecia a obrigatoriedade, por exemplo, de que o motorista fosse proprietário do veículo e que utilizasse placa vermelha.
As regras, contudo, foram derrubadas pelo próprio Poder Legislativo. Polêmico, o projeto foi alvo de protestos tanto de taxistas como de motoristas de aplicativos, que se aglomeraram nas galerias do plenário da Câmara dos Deputados.
A Uber afirmou que o “texto aprovado pela Câmara ouviu a voz dos 20 milhões de usuários”. “Em vez de proibir, o texto regulamenta a atividade dos motoristas parceiros e organiza critérios para os aplicativos operarem”, disse. Já a Cabify considerou a redação final equilibrada. “A mobilidade urbana foi assegurada com a aprovação das emendas que retiraram diversas determinações que inviabilizam o setor”, disse.

Fonte: Folha de São Paulo. Link: https://folha.com/o2lq0nv4

terça-feira, 20 de março de 2018

Contran cancela regra que exigia curso e prova para renovação de CNH

Resolução que entraria em vigor em junho reformulava a formação de condutores. Governo já havia anunciado que cancelaria as mudanças.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) revogou oficialmente nesta terça-feira (20) a exigência de curso para renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e outras mudanças que reformulavam a formação de condutores no Brasil.
O ato que cancelou a resolução de mais de 200 páginas foi publicado no "Diário Oficial da União". O governo revogação, determinada pelo ministro das Cidades, Alexandre Baldy, no último sábado (17).
A resolução, que entraria em vigor no próximo dia 5 de junho, também previa que o motorista deveria fazer duas balizas para tirar a primeira CNH e estabelecia que a carteira para moto passaria a exigir exames nas ruas, entre outras alterações.
Na nota em que anunciou a revogação das medidas, divulgada no fim de semana, o Ministério das Cidades afirmou que vai continuar buscando o aprimoramento da segurança no trânsito, levando em conta a "simplificação da vida dos brasileiros" e o cuidado para "não afetar a rotina" de quem renova a CNH.
Governo revoga resolução que previa curso e prova para renovar habilitação

Qual era o objetivo?
A resolução publicada no último dia 8 buscava padronizar a formação de condutores no país, reunindo outras medidas expedidas nos últimos 14 anos e acrescentando novidades, como o curso para renovação da CNH.
Embora algumas decisões fossem positivas, no sentido de melhorar a educação dos motoristas, o processo não foi transparente e o prazo de 90 dias para entrar em vigor foi criticado por ser muito curto.
Também houve preocupação sobre o aumento da burocracia e a elevação dos custos para o cidadão, embora o Denatran tenha informado que iria incentivar os Detrans a oferecer de forma gratuita o curso de aperfeiçoamento para renovação da CNH.

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/carros/noticia/contran-revoga-regra-que-exigia-curso-e-prova-para-renovacao-de-cnh.ghtml

segunda-feira, 12 de março de 2018

A Corrida da Sua Vida - Hospital Israelita Albert Einstein


O sedentarismo e o excesso de peso estão relacionados com diversos problemas, entre eles as doenças cardiovasculares que ocupam a 1ª causa de morte no Brasil.
Ciente e preocupado com este cenário, o Einstein lançou a campanha #aCorridaDaSuaVida.
Nela, passageiros de táxis foram convidados a descer uma quadra antes do seu destino para estimular a adoção de hábitos saudáveis. Mude você também a sua vida! Acesse o www.einstein.br/acorridadasuavida e confira dicas de saúde. Assista como foi a ação pelas ruas de São Paulo.

Fonte: Youtube - Hospital Israelita Albert Einstein

quarta-feira, 7 de março de 2018

Crescem multas por no celular ao volante na capital

Mandar mensagem de texto e até segurar aparelho foram mais flagrados. Falar ao telefone tem queda
Mais do que falar ao telefone, foi manusear o celular enquanto dirige que levou o motorista a tomar mais multas em novembro do ano passado, na comparação com o mesmo mês de 2016. Os números divulgados pelo Painel Mobilidade Segura, da Prefeitura de SP, sob Gestão João Doria, mostram que houve um aumento de 12,5% nos casos, na contramão dos dados gerais sobre infrações na capital.
Manusear o celular no trânsito é um claro indicativo de que o motorista tem preferido enviar mensagens de texto ou checar as novidades a falar enquanto dirige. Em novembro de 2016, foram 8.807 flagrantes por essa prática. No mesmo mês do ano passado, agentes de trânsito aplicaram 9.905 multas por essa infração.
Também houve um aumento entre aqueles motoristas flagrados segurando o celular, passando de 8.513 para 10.645 casos (25%).
A principal mudança se dá entre aqueles que, anteriormente, falavam ao telefone enquanto dirigiam. A queda foi de 62,4% entre os meses de novembro de 2016 e de 2017, passando de 15.233 para 5.730 casos.
A partir de novembro de 2016, usar o celular ao volante passou de infração média para gravíssima, subindo de quatro para sete pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). O valor da multa também aumentou: pulou de R$ 85,13 para R$ 293,47.
Somadas todas as infrações relativas ao celular, a redução foi de 19,3%, passando de 32.553 para 26.280.
O número de multas em geral também caiu na capital entre janeiro e novembro de 2017, na comparação com 2016, passando de 14,1 milhões para 12,3 milhões.
A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), empresa da gestão Doria, afirma que, no ano passado, intensificou a fiscalização contra infrações que provoquem risco de acidentes, como o uso de celular, além de promover campanhas sobre os riscos.

Fonte: Jornal Agora

quinta-feira, 1 de março de 2018

Câmara aprova projeto que dá poder a municípios para regulamentar Uber

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (28) uma versão pró-Uber do projeto de regulamentação de aplicativos de transportes.
O texto derrubou definitivamente uma série de exigências cogitadas inicialmente e que poderiam assemelhar aos táxis os serviços de empresas como Uber, Cabify e 99.
Por outro lado, houve uma mudança em relação à proposta aprovada no Senado, prevendo desta vez que as prefeituras possam regulamentar os aplicativos — e impor exigências específicas.
O projeto foi comemorado pelas empresas do setor e criticado por alguns representantes de taxistas — em São Paulo, parte deles considerou satisfatório, por manter a regulamentação municipal. Ele vai para a sanção do presidente Michel Temer (MDB).
O plenário votou emendas feitas pelo Senado em outubro de 2017. Nessa data, os senadores haviam retirado do texto aprovado inicialmente pelos deputados quatro pontos: obrigação de placa vermelha, exigência de que os motoristas fossem proprietários dos carros, possibilidade de regulamentação pelas prefeituras e restrição de atuação só nos municípios em que os veículos estão registrados.

Taxistas segue pela avenida 23 de Maio em direção ao aeroporto de Congonhas Moacyr Lopes Junior/Folhapress

 Por terem sido feitas modificações ao projeto, ele retornou à Casa de origem para análise das mudanças. A única emenda derrubada foi a que retirava poder de regulamentação pelos municípios.
Pelo aprovado no Senado, as prefeituras e o Distrito Federal não poderiam mais regulamentar os aplicativos, mas só realizar a fiscalização. Assim, as regulamentações feitas por algumas cidades, como São Paulo e Brasília, perderiam a validade.
Na prática, portanto, a lei agora não muda o que já é feito: uma regulamentação a critério do município.
As outras medidas tidas como anti-Uber ficaram de fora do texto final. Assim, caberá a cada município deliberar sobre a exigência de autorização ou definir se haverá, por exemplo, limite de motoristas para o aplicativo. Um dos pontos retirados do texto exigia autorização prévia para que os motoristas circulassem.
Polêmico, o projeto foi alvo de protestos tanto de taxistas como de motoristas de aplicativos, que se aglomeraram nas galerias do plenário.
“[Se as emendas fossem derrubadas] você teria 500 mil pessoas de um dia pro outro sem estar trabalhando, e aí seria uma preocupação”, afirmou o relator do projeto favorável aos aplicativos, Daniel Coelho (PSDB-PE).
O resultado final não agradou alguns parlamentares defensores da posição dos taxistas. Tentou-se na sessão um acordo no plenário, mas as emendas acabaram votadas uma a uma. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o texto aprovado garante equilíbrio na disputa pelo mercado.“O mais importante ficou garantido, que a regulamentação dos aplicativos será feita pelos municípios, garantindo que cada cidade vai criar sua regra”, disse Maia.
Ele deixou a Câmara com reforço na segurança e teve que desviar a rota de saída para evitar os manifestantes que aguardavam os parlamentares na escadaria de acesso ao Salão Verde. Ainda dentro do plenário, taxistas xingaram deputados.
No caso de São Paulo a reação foi diferente. "O jogo ficou zero a zero. Para nós de São Paulo, que temos a regulamentação, está satisfatório", disse  Antonio Matias, presidente do Simtetaxis ( Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores nas Empresas de Táxi).   
A Uber afirmou que o “texto aprovado pela Câmara ouviu a voz dos 20 milhões de usuários”. “Em vez de proibir, o texto regulamenta a atividade dos motoristas parceiros e organiza critérios para os aplicativos operarem”, diz.
Já a Cabify considerou a redação final equilibrada. “A mobilidade urbana foi assegurada com a aprovação das emendas que retiraram diversas determinações que inviabilizam o setor”, disse.

ENTENDA
Quem ganha com o texto aprovado?
Os aplicativos. Na primeira versão do texto aprovado na Câmara, ganhavam os taxistas; agora os motoristas de aplicativos conseguiram reverter o placar, derrubando exigências como a placa vermelha e a necessidade de autorização prévia
O que está valendo?
A redação final permite a regulamentação dos aplicativos pelos municípios, o que, na prática, já ocorre. Ela retira definitivamente as outras exigências
A lei já está valendo?
Não. Ela ainda vai a sanção do presidente Michel Temer, que pode vetar pontos
Quais as mudanças para os aplicativos?
Vai depender do município. A lei não diz o que deve ser exigido dos motoristas
O que havia sido aprovado na Câmara e foi derrubado?
A exigência de placa vermelha, a obrigatoriedade de autorização municipal prévia para transitar, a necessidade de que o motorista seja proprietário do veículo e a restrição de circulação apenas no município em que o carro está registrado.
Os municípios podem exigir essas obrigações?
Algumas delas. Em tese, eles podem estabelecer a necessidade de autorização prévia, mas não a de emplacamento especial

Fonte: Folha de São Paulo. Link: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/02/camara-aprova-projeto-que-da-poder-a-municipios-para-regulamentar-uber.shtml

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Estradas de SP devem lotar nesta volta do carnaval; veja horários de pico

Quase 3 milhões de veículos devem seguir para SP na volta do carnaval.


Cerca de 2,7 milhões de veículos devem voltar para São Paulo entre esta teça (13) e quarta-feira (14) na volta do feriado de carnaval, segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Saiba quais são os piores horários para pegar a estrada, segundo as concessionárias:

Anhanguera e Bandeirantes
Terça-feira: entre 10h e 18h, sentido capital;
Quarta-feira: entre 9h e 17h, sentido capital.

Ayrton Senna e Carvalho Pinto
Terça-feira: entre 12h e 19h, sentido capital;
Quarta-feira: de 15h às 18h, sentido capital.

Castello Branco e Raposo Tavares
Terça-feira: entre 10h e 18h, sentido capital;
Quarta-feira: de 9h às 17h, sentido capital.

Anchieta-Imigrantes
Terça-feira: entre 9h e 2h de quarta, sentido capital.

Oswaldo Cruz, Mogi-Bertioga, Rio-Santos, Padre Manoel da Nóbrega, Floriano Rodrigues Pinheiro e Raposo Tavares
Terça-feira: entre 7h e 2h de quarta, sentido capital.

Régis Bittencourt
Terça-feira: entre 15h e 23h59, sentido capital;
Quarta-feira: de 5h às 14h, sentido capital.

Fernão Dias
Terça-feira: entre 12h e 23h59, sentido capital;
Quarta-feira: de 6h às 12h, sentido capital.

Dutra
Terça-feira: entre 16h e 20h, sentido capital;
Quarta-feira: de 7h às 13h, sentido capital.

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/estradas-de-sp-devem-lotar-nesta-volta-do-carnaval-veja-horarios-de-pico.ghtml

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

No 1º dia de fiscalização de apps de transporte, motoristas apresentam liminares para trabalhar em SP


Prefeitura de SP começa a multar nesta segunda (29) motoristas que desrespeitam novas regras do transporte por aplicativos.

O primeiro dia de fiscalização das novas regras de transportes por aplicativos, muitos motoristas circularam pela capital paulista com liminares para conseguirem trabalhar. Entre as novas medidas, está a proibição de veículos com placas de fora de São Paulo de pegarem passageiros dentro do município.
Estão sujeitos às novas normas todos os aplicativos que operam com tarifas diferenciadas em relação aos táxis na capital paulista, casos da Uber, Cabify, Lady Driver, Easy Taxi e 99.
Nesta manhã, no aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, no portão de desembarque, vários passageiros aguardavam veículos de aplicativos de transporte. Eram poucos os carros que estavam com adesivos no vidro da frente, que identificam a empresa, conforme a nova determinação.
Motoristas estavam trabalhando com as liminares dentro do carro. As empresas entraram na Justiça para garantir que os veículos com placas de outras cidades consigam pegar passageiros dentro da cidade. Pelas normas, carros com placas de outras cidades que traziam passageiros para a capital deveriam voltar vazios.
O motorista Maurício de Oliva é de Osasco e pegava passageiro em Congonhas. “O que está valendo é a gente rodar com a liminar, foi a orientação que nos passaram”, disse.
Willian Ferreira, de São Bernardo do Campo, também estava assegurado pela documentação. “Tenho a liminar do Conduapp e a liminar para carregar o passageiro”, disse o motorista.
Uma empresa de aplicativos, que tem cerca de 100 mil motoristas cadastrados na Grande São Paulo, diz que sem a liminar, metade dos motoristas teriam que deixar de trabalhar na cidade.
“A gente está caminhando para a direção certa, mas ainda a gente não chegou lá. A gente precisa que o direito dessas pessoas seja assegurado e que a gente leve em consideração a realidade dessas 50 mil pessoas. É um volume significativo, impacta a vida dessas pessoas, impacta uma cidade que já tem congestionamento, uma série de problemas e que a agente entende que pode ajudar na melhoria da mobilidade da cidade”, afirmou Saulo Passos, diretor de comunicação da Uber.
A reportagem do SP1 não viu fiscalização nos pontos em que passou. A Prefeitura de São Paulo disse que não iria divulgar os pontos por uma questão estratégica.
São 94 fiscais que irão conferir o cumprimento de diversas regras, que foram anunciadas há seis meses, e já podem multar. A fiscalização dos motoristas já tinha começado no dia 10, mas os motoristas estavam sendo apenas orientados, e não multados. Desde então, eles reclamam de falta de informação sobre as mudanças.
As liminares da Justiça, tanto para a circulação quanto para a não realização do curso, são as garantias que os motoristas e as empresas de aplicativos conseguiram para não receberem multas e para os carros não serem apreendidos. Mesmo com as decisões judiciais em mãos, os motoristas estão inseguros e com medo das mudanças.
As outras exigências da Prefeitura de São Paulo são o carro que faz o percurso com passageiro tenha um adesivo com o nome da empresa e, dentro, precisa da identificação do motorista, com foto. O condutor também precisa fazer um curso exigido pela Prefeitura e os carros devem ter até 7 anos e meio de fabricação.

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/no-1-dia-de-fiscalizacao-de-apps-de-transporte-motoristas-apresentam-liminares-para-trabalhar-em-sp.ghtml