segunda-feira, 30 de julho de 2018

Pedestre no trânsito: como contribuir para que ele seja melhor


O trânsito é composto pelos carros, ônibus, motocicletas e também pelos pedestres. Todos esses participantes precisam se preocupar uns com os outros: o motorista do carro precisa dar seta antes de fazer uma conversão, o motociclista não deve “costurar” no trânsito, e o motorista de ônibus precisa dirigir com tranquilidade. Mas, não são só eles que precisam prestar atenção ao trânsito. Os pedestres também precisam fazer sua parte. De acordo com o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), é muito alto o número de pedestres que atravessam a rua sem olhar para os dois lados, por estarem distraídos ou mexendo no celular, assim como também é alto o número dos que atravessam fora da faixa. A seguir, veremos algumas dicas importantes para que os pedestres possam garantir um convívio pacífico no trânsito. Confira!

Tenha atenção ao se deslocar
É preciso que o pedestre seja bastante atencioso ao se deslocar no trânsito. O ideal é sempre olhar para os dois lados antes de atravessar a rua, e atravessar sempre na faixa. Outra atitude importante é evitar o uso do celular enquanto cruza a rua. Se estiver usando fone de ouvido, é preciso redobrar a atenção.

Ao caminhar pelas calçadas, procure ficar o mais longe possível do meio-fio. Se estiver com crianças, deixe que elas fiquem sempre do lado oposto à pista e segure firme em suas mãos.

Tome cuidado ao descer de veículos
Para descer de um carro, o ideal é que você não o faça no meio da rua, mesmo se o sinal estiver fechado e você sentir que dá tempo. Peça ao motorista que encoste o veículo para que você possa desembarcar com segurança. Verifique pelo retrovisor se não há nenhum outro carro ou moto vindo em sua direção, e só depois abra a porta. Não desça de ônibus em movimento, espere que ele pare completamente. É o mais coerente e seguro a se fazer.

Tenha consciência coletiva
É importante desenvolver a consciência coletiva. Todos precisam ser conscientes de que precisam fazer a sua parte para garantir a segurança no trânsito, o que fará despertar a responsabilidade de todos. 

Essas atitudes podem contribuir para a diminuição dos números alarmantes de acidentes e um trânsito mais seguro é bom para todos.

Fonte: Porto Seguro

sexta-feira, 27 de julho de 2018

7 dicas para quem tirou carteira, mas está com medo de dirigir

7 dicas para quem tirou carteira de motorista, mas está com medo de dirigir

Mãos e braços trêmulos sobre o volante, coração palpitando forte com a chave do carro pendendo solta entre os dedos, boca seca e um suor frio de gelar a espinha. Parece cena de filme de terror, mas esse é só mais um dia na vida de quem sofre de um problema relativamente comum na atualidade: o medo extremo de dirigir.

A aprovação na prova prática marca o fim da autoescola, mas para muitos o problema está apenas começando. A conquista da carteira de motorista não extingue, automaticamente, a insegurança ao dirigir. E por conta desse medo, muitos habilitados simplesmente não ousam sair com o carro para fora da garagem.

Você se identificou com essa situação?  Conhece alguém que esteja passando por esse problema? Confira algumas dicas que o ajudarão a vencer a insegurança e a colocar um ponto final no pânico de dirigir.

Treino e prática
Esse aviso deveria ser obrigatório em todas as autoescolas: vinte aulas práticas não irão te transformar em um motorista profissional. A conquista da carteira de habilitação é só o primeiro passo rumo ao domínio pleno do volante. É preciso treino e prática para atingir a cautela, o discernimento e a fluidez de movimentos que caracterizam um bom motorista.
Isso significa dizer, em outras palavras, que é preciso tempo e dedicação para atingir os resultados esperados. Seja paciente com você mesmo e lembre-se: Roma não foi construída em um só dia.

Familiarize-se com o veículo
Antes de tirar o carro da garagem, treine os movimentos que ainda não são naturais, mas que em breve você irá automatizar. Ligue e desligue o carro, puxe o freio de mão. Ajuste os retrovisores e conheça todos os espelhos do automóvel. Passe as marchas, controle a embreagem, acione os faróis. Conhecer o próprio veículo é fundamental para a boa direção.

Opte por horários calmos
A prática leva à perfeição, correto? Mas não basta simplesmente pegar o automóvel e torcer para não bater. Se você ainda não tem a confiança necessária para dirigir um carro, certamente os horários de pico não serão bons momentos para praticar.

Fuja dos períodos do dia em que há muitos carros na rua — geralmente as primeiras horas da manhã e as últimas da tarde. O caos e a movimentação intensa poderão deixá-lo ainda mais tenso e nervoso.

Além disso, evite grandes avenidas, onde o fluxo de veículos é maior. Em vez disso, trafegue por ruas e vias pouco movimentadas. Desvende todas as vielas do seu bairro, conheça a vizinhança, rode um bocado. Você poderá até descobrir novos lugares dos quais jamais havia ouvido falar!

Dirija ao lado de um motorista experiente
Para adquirir confiança, nada melhor do que estar com um bom motorista no banco ao lado. Ele poderá dar algumas dicas enquanto você dirige: com que marcha subir aquela ladeira íngreme? Dá para acelerar mais? O que fazer para controlar bem o volante?  Qual é o melhor momento para mudar de pista?
Mas lembre-se: escolha sempre alguém de personalidade calma. O ideal é que a pessoa possa tranquilizá-lo, e não deixá-lo ainda mais nervoso.

Dê carona para um amigo
Não desperdice uma boa chance de praticar. Se um amigo precisa ir ao shopping comprar um presente, ofereça carona a ele. Se sua avó tem um horário agendado com o médico, prontifique-se para levá-la. Quanto mais você praticar, mais domínio e mais confiança irá adquirir, o segredo é não deixar o carro parado dentro da garagem.

Peça ajuda profissional
Não há nada de errado em buscar ajuda quando as coisas não estão dando certo. Se você sente que, apesar dos esforços incalculáveis, ainda fez muito pouco progresso, talvez seja essa a hora de pedir auxílio profissional.

Hoje em dia, existe uma série de escolas especializadas em ajudar motoristas habilitados. Além de contar com um instrutor para guiá-lo nas saídas à rua, você terá acesso a orientação psicológica e, algumas vezes, a terapia de grupo. Lembre-se de que você não está sozinho nessa!

Conte com um seguro que te apoie
Se o medo é sair nas ruas e sofrer uma batida, você vai conseguir dirigir muito mais tranquilo sabendo que há um seguro para te ajudar em caso de um acidente desse tipo. Escolha um seguro que ofereça assistência 24 horas e até desconto na franquia, assim nada mais irá te assustar.

Gostou das dicas? Aproveite a oportunidade para tirar o carro da garagem e sacudir para longe o medo de dirigir!

Fonte: Porto Seguro

quarta-feira, 25 de julho de 2018

7 dicas de segurança para motociclistas nos grandes centros

O número de motocicletas cresce a cada dia nos grandes centros urbanos.

O fato de os motociclistas terem o corpo exposto torna seus percursos mais arriscados e aumenta a necessidade de redobrar a atenção. Pensando nisso, trouxemos algumas dicas de segurança para motociclistas. Confira!

Capacete e outros acessórios
O uso do capacete não é apenas uma dica de segurança, mas uma obrigatoriedade do ponto de vista legal. Motociclistas e garupas sem capacete podem receber multas, além de deixar vulnerável a região craniana, o rosto e o maxilar em caso de queda.
Os capacetes devem estar dentro da validade e ter o selo do Inmetro, pois essa certificação garante a sua eficácia nos choques mais bruscos. O capacete tipo coquinho não é permitido nesse caso, pois não protege a nuca.
Além do capacete, não se esqueça de usar calça e jaqueta resistentes, calçados reforçados e luvas, preferencialmente de couro.

Respeitar a sinalização
Os motociclistas devem obedecer às mesmas leis de trânsito que todos os outros veículos automotores, ou seja, parar quando o semáforo estiver vermelho, obedecer às placas de “pare”, observar as preferências e outras sinalizações. Se o motociclista infringir a sinalização, poderá ser multado, além de colocar a sua segurança e a de outras pessoas em risco.

Manter-se visível
Como a posição do motociclista é de extrema vulnerabilidade, é preciso manter-se sempre visível para preservar sua segurança. Procure não permanecer nos pontos cegos dos carros e manter os faróis ligados de dia e de noite. Além disso, prefira usar roupas claras ou chamativas para ser visto até pelos motoristas mais distraídos.

Distância segura
A distância é responsável por salvar vidas e prevenir graves acidentes. Se você está “colado” em um veículo e ele freia diante de um obstáculo ou imprevisto, o motociclista corre o risco de, mesmo freando, chocar-se com ele. Esse risco aumenta ainda mais em altas velocidades. Portanto, quando maior for a velocidade, maior deve ser a distância do veículo à frente.

Manobras seguras
A ultrapassagem deve ser feita apenas pela esquerda. Além disso, procure visualizar todos os veículos que estão à sua frente e respeitar a sinalização. A distância deve ser aumentada e a velocidade diminuída no caso de manobras e ultrapassagens, e o motociclista só deve arriscar após ter certeza de que foi visto pelo motorista da frente. Diante de um cruzamento, deve-se diminuir a velocidade e ficar atento a todos os veículos e à sinalização.

Utilizar os dois freios
Quando precisar frear, a dica é que tanto os manetes quanto o pedal sejam utilizados. Como, ao frear, o peso da moto cai sobre a roda da frente, é preciso evitar freadas bruscas, pois assim o motociclista corre o risco de perder o controle sobre o veículo.

Moto em dia
Para que a direção da moto seja feita em segurança, é preciso conferir a calibragem dos pneus, se a corrente de relação está apertada ou frouxa demais e se o sistema elétrico, os freios e o combustível estão em perfeitas condições.

Desta forma, com pequenas atitudes você consegue se manter mais seguro e evitar acidentes.

Fonte: Porto Seguro 

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Carros elétricos terão postos de recarga ligando São Paulo e Rio a partir da próxima semana

Com 6 estações abrangendo área de 430 km na Rodovia Presidente Dutra, corredor é considerado o maior do tipo na América Latina. Frota no Brasil ainda é pequena.

Pontos de recarga para veículos elétricos e híbridos foram instalados
 na Rodovia Presidente Dutra (Foto: BMW/Divulgação)
Um corredor com postos de recarga elétrica foi inaugurado nesta segunda-feira (23), na Rodovia Presidente Dutra, ligando São Paulo ao Rio de Janeiro. O objetivo é fornecer energia para que veículos elétricos e híbridos (com um motor elétrico e outro a combustão) plug-in possam fazer o deslocamento entre as duas cidades.
Os equipamentos de carregamento rápido estão instalados em 6 postos ao longo de 430 quilômetros, com uma distância máxima de 122 km entre cada um, ligando as duas capitais.

O projeto foi desenvolvido por meio de uma parceria entre a BMW do Brasil e a EDP, empresa que atua no segmento elétrico, e as estações estão em postos da rede Ipiranga.
De acordo com as empresas, foram investidos R$ 1 milhão no empreendimento e este é o maior corredor elétrico da América Latina, superando um de cerca de 300 km existente no Uruguai.

Frota pequena
O Brasil ainda tem poucos veículos elétricos e híbridos. Considerando apenas carros e comerciais leves, são 8,6 mil no total até o final de junho, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), o que, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito, corresponderia a cerca de 0,005% dos 92 milhões de veículos que circulavam no país.
A partir de novembro, esses carros pagarão menos Imposto sobre Produto Industrializado (IPI). E futuros híbridos flex (que aceitem etanol, e não só gasolina) terão desconto extra no tributo.

Grátis por 6 meses
Nos primeiros 6 meses, os postos de recarga fornecerão a energia elétrica de forma gratuita para os usuários. Depois deste prazo, a maneiras de cobrar e o valor a ser pago será definido pelas empresas, mas a referência deve ser o valor adotado pela distribuidora de energia.
Segundo Helder Boavida, presidente da BMW, o custo da viagem é cerca de um quarto do valor com combustível.
O tempo estimado para o abastecimento de um veículo com bateria de 22 kWh é de 25 minutos para 80% da carga, informam as empresas. Em cada uma das estações, dois veículos podem recarregar ao mesmo tempo, e motos também podem usar o dispositivo.

Fonte: G1 - AutoEsporte

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Governo de SP veta projeto de lei que obriga hastes protetoras em motos contra linhas de pipa

Governador diz que medida deve ser avaliada em nível federal. Deputado argumenta que Rio de Janeiro adotou medida de segurança e que estado já proíbe cerol.

Motociclista usa haste para proteger contra linhas de pipa com cerol no trânsito em São Paulo.
O governador de São Paulo, Márcio França, vetou o projeto de lei (PL) que obrigaria as montadoras de motocicletas a instalarem hastes metálicas protetoras contra linhas de pipas nos guidões dos veículos de sua produção. Em nota ao G1 nesta quinta-feira (19), a gestão explica que a decisão deve ser avaliada em nível federal.

No texto argumentativo do PL 61/2004, o deputado Aldo Demarchi (DEM) diz que a proposta é garantir a segurança dos condutores de motocicletas e alinhar as regras no estado, que já aprovou leis que proíbem a fabricação e a comercialização do cerol.

O projeto foi aprovado pela Assembleia Legislativa e seguiu para avaliação do governador Márcio França. Se a nova lei fosse aprovada, as empresas montadoras deveriam implementar o equipamento de segurança em até seis meses e os motociclistas que já possuem o veículo fabricado em São Paulo deveriam instalar a antena em até nove meses.

Em São Paulo, no entanto, o governador entende que a medida deve ser avaliada em nível federal e vetou o projeto. “Trata-se de matéria pertinente a trânsito e que exige tratamento uniforme, emanado do Poder Central, circunstância que elide a competência normativa dos Estados-membros para legislar sobre o assunto”, justifica França, em publicação no Diário Oficial do Estado de São Paulo.
Ele acrescenta que a “Constituição Federal, outorgou à União competência privativa para legislar sobre a matéria” e que o “Supremo Tribunal Federal vem sistematicamente declarando a inconstitucionalidade de leis estaduais que disponham sobre trânsito”.

O governador cita ainda os artigos 54, 55 e 139-A do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que dispõem sobre os equipamentos obrigatórios das motocicletas (capacete, viseira ou óculos) e a regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que exige antena corta-pipas somente para motocicletas destinadas ao moto-frete.

Depois que o projeto foi aprovado por todas as comissões da Assembleia e vetado pelo governador, os deputados agora analisam o veto e podem derrubá-lo, colocando a lei em vigor. Segundo a equipe de Aldo Demarchi, o deputado vai trabalhar para acelerar a tramitação da proposta e argumentar que a medida de segurança já foi adotada no Rio de Janeiro e que todos os motociclistas devem ser protegidos, não apenas os motofretistas.

Fonte: G1

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Motoristas de transporte por aplicativo terão novas regras para cumprir em Campo Grande

Motoristas deverão se cadastrar na Agetran e empresas precisam ter filial na cidade; mudanças foram publicadas no Diário Oficial nesta terça-feira (18).

O transporte por aplicativo tem novas regras em Campo Grande, MS. Elas fazem parte do Decreto n° 13.562 de 17 de julho de 2018, publicado em edição extra do Diário Oficial de Campo Grande, e já estão em vigor. 
Entre as mudanças, a partir de agora os motoristas de aplicativo deverão ser credenciados na Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran). Para ter o credenciamento. o motorista precisa apresentar, entre outros documentos, a carteira de habilitação com autorização para exercer atividade remunerada. Também precisa ter licenciamento e emplacamento do veículo no município e comprovar a formação em curso igual ao que é oferecido aos taxistas.
O decreto também estabelece que as empresas de aplicativo deverão ter filial e serviço de atendimento ao cliente na cidade. Outra regra que muda é que os motoristas terão de compartilhar com a prefeitura, em tempo real, os dados sobre as viagens. Os veículos deverão ter identidade visual com elementos de reconhecimento do serviço, mas isso ainda deverá ser regulamentado pela Agetran.
Em nota, a Uber, uma das empresas que opera por aplicativo, disse que alguns pontos do decreto vão burocratizar o acesso: "A empresa acredita que regulações modernas, de maneira geral, criam ambientes de inovação, que garantem aos cidadãos o direito de escolha sobre como se movimentar pela cidade, além de uma opção digna de geração de renda para motoristas parceiros. Portanto, é importante frisar que diversos pontos do decreto proposto pela prefeitura de Campo Grande terão um efeito exatamente oposto, burocratizando o acesso à tecnologia -- como a restrição de emplacamento somente no município, por exemplo".

Os motoristas terão 120 dias para se adequar ao decreto. O documento está disponível para leitura no site do Diogrande.

Fonte: G1

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Estado de SP tem mais de 6 milhões de veículos rodando com IPVA vencido

Inadimplência chega a 21% em 2018; só na capital, mais de 1,5 milhão de veículos estão com imposto em aberto.

Mais de 6 milhões de veículos estão rodando com o IPVA vencido no estado de São Paulo, representando mais de R$ 3 bilhões não recebidos em impostos. Só na capital, 1,5 milhão de veículos estão com o IPVA 2018 em aberto.
Em 2018, o governo deixou de enviar a cartinha de cobrança do IPVA pelos correios. A taxa de inadimplência do imposto está em 21% do total. Para diminuir a inadimplência, o Detran tem mandado até mensagens ao celular para lembrar o motorista do pagamento.
O dinheiro não é usado somente para asfalto e outras melhorias no trânsito, mas também em outras áreas.
Segundo a Secretaria Estadual da Fazenda, 20% do valor arrecadado com o IPVA é destinado exclusivamente para a educação. Outros 80% é dividido entre estado municípios para outros setores, como segurança e saúde.
“A gente encaminha mensagem SMS e via push do nosso aplicativo 30 e 15 dias antes do vencimento desse licenciamento para lembrar todas as pessoas. Facilitando a vida das pessoas e que elas possam quitar seu licencimaneto e circular com seus veículos sem nenhum problema, afirma o diretor-presidente do Detran, Maxwell Vieira.

Licenciamento
A data limite pra licenciar o veículo varia de acordo com o final da placa. Em julho, por exemplo, é o último mês do licenciamento de carros com placa final 4.
Só que é preciso estar em dia com o IPVA em dia para isso. Só na capital, 1,5 milhão e meio de veículos estão com o IPVA 2018 em aberto, a maioria com placa final 8, que pode licenciar até outubro.
“A nossa percepção é que depende de uma disponibilidade financeira do cidadão. A gente percebe até o efeito do 13º salário”, diz Marcelo Yasuda, diretor adjunto da secretaria da Fazenda.
O motorista que for flagrado dirigindo com o licenciamento do carro atrasado é multado em R$ 293,47, leva 7 pontos na carteira e o carro ainda é apreendido.

Fonte: G1

quinta-feira, 12 de julho de 2018

CNH digital: saiba como tirar e cadastrar o documento no celular

Resultado de imagem para cnh digital]
Novidade está em vigor em todo o Brasil, segundo empresa responsável pelo sistema; cobrança depende de cada estado. Habilitação impressa continua valendo.

A CNH digital deveria ser oferecida em todo o país a partir de julho de 2018, mas a maioria dos estados se antecipou e já disponibiliza o sistema. Na prática, a carteira de habilitação eletrônica (CNH-e) vai ter o mesmo valor jurídico da impressa, que continuará sendo emitida.

Como obter a CNH digital em 4 passos:
1) Quem pode tirar o documento
Primeiro é preciso ter a CNH impressa no formato atual, com QR code (modelo abaixo). Quem tem a versão antiga, precisará pedir uma segunda via ou renovar a impressa para, então, solicitar a digital. Não é necessário esperar a CNH vencer para renová-la.

2) Cadastro no Denatran
O segundo passo é cadastrar-se no no Portal de Serviços do Denatran.
Entre no item "cadastro" do menu à esquerda.
Após preencher o cadastro, o site avisa que enviou um link de ativação do cadastro.
Verifique seu email e ative o cadastro

3) Visita ao Detran
É preciso ir ao Detran onde foi emitida a CNH impressa para confirmar seus dados (quem optar por usar um certificado digital, que é pago, pode fazer todo o processo online).Caberá a cada Detran cobrar ou não pela via digital, e determinar um valor a ser pago.

4) Aplicativo da CNH no celular
O próximo passo é baixar o aplicativo gratuito da CNH digital, que estará nas lojas oficiais da Apple e do Google (para aparelhos Android). Cuidado com apps falsos: o oficial é gratuito para baixar e nele está escrito o nome do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), que desenvolveu o sistema.
O acesso ao aplicativo é feito por meio de um código de ativação que o Denatran enviará por e-mail aos usuários inscritos. Por fim, é preciso criar uma senha de 4 dígitos para acessar o documento no celular.

Fonte: G1

terça-feira, 10 de julho de 2018

Nove dicas para a hora de contratar o seguro do carro


Veja quais itens são imprescindíveis no contrato e as possibilidades para baixar o valor sem ficar descoberto

O valor do seguro automotivo é um item essencial a ser levado em conta na hora de adquirir um automóvel. Confira dicas na hora de fechar o contrato, que podem evitar problemas futuros caso ocorra algum sinistro ou, ainda, ajudar você a economizar.

Bom preço começa com um corretor de seguros
Um profissional qualificado da área de corretagem de seguros é uma peça fundamental na hora de fechar um seguro. Se você não conhece um, vale pedir a recomendação de parentes, amigos e conhecidos. O ideal é conversar e pedir que ele apresente o produto, certificando-se de que ele tem conhecimento do que está vendendo e se tem conhecimento dos trâmites das seguradoras. Essa intimidade com os procedimentos irá ajudar muito no caso de um sinistro ou na hora de resolver as dúvidas.

O corretor precisa te conhecer
O profissional precisa entender as suas necessidades e, para sugerir um plano, precisa conhecer o seu perfil e os riscos que estão envolvidos. O corretor precisa fazer diversas perguntas, preencher um perfil do cliente. Caso um corretor vá lhe apresentando uma proposta sem fazer nenhuma ou pouquíssimas perguntas, desconfie.

Valores de seguro mudam de acordo com o carro
Para algumas pessoas isso pode parecer óbvio, mas nem sempre a devida atenção é dada a esse detalhe. Muita gente acaba pensando no seguro só depois de comprar o carro - e, muitas vezes, cobertura pode apresentar diferenças bastante significativas, dependendo do modelo ou tipo de veículo.

Jamais minta na hora da contratação
Expor um perfil imaginário para reduzir o valor final da apólice pode parecer um recurso tentador e sem maiores consequências – como, por exemplo, dizer que o carro fica estacionado durante a noite em uma garagem quando, na verdade, o veículo fica na rua. Mas, na prática, isso pode provocar prejuízos como o pagamento de valores adicionais ou até mesmo inviabilizar o pagamento da cobertura em caso de sinistro: as seguradoras fazem uma investigação em cada sinistro antes de liberar o pagamento.

Procure pelo modelo de franquia compatível com seu perfil
A franquia é uma participação obrigatória do cliente no conserto do veículo, com valor previsto na apólice. No entanto, é possível aumentar ou reduzir o valor da franquia em relação à média praticada pelo mercado. Caso a pessoa acredite que há poucos riscos de se envolver num acidente, pode fechar um acordo com valor de franquia maior e, consequentemente, reduzir o valor do seguro. O inverso também se aplica, ou seja, se achar que o risco de alguma ocorrência é alto, pode optar por uma franquia mais barata, pagando um valor de seguro maior. Por padrão nos contratos, ainda, há dois casos em que há isenção do pagamento de franquia: perda total do veículo (prejuízos que superem 75% do valor do carro) e danos a terceiros (caso você provoque um acidente e cause danos a outros carros, os reparos serão pagos pela seguradora).

As coberturas fundamentais
A cobertura compreensiva é a mais importante e imprescindível, englobando danos relativos à colisão, incêndio, roubo e furto. Outra cobertura da qual não vale a pena abrir mão é a relativa a terceiros, acionada quando você provoca um acidente, que cobre danos materiais e morais. Há, no entanto, alguns itens dos quais é possível abrir mão e reduzir o valor do seguro – como, o carro-reserva, caso o contratante prefira utilizar o transporte púbico, por exemplo.

A seguradora pode rejeitar sua proposta
Esse é um fato bem incomum, mas não impossível de acontecer. Dependendo das características do modelo para o qual você solicitou um seguro, a empresa pode declinar diante de algumas características de alguns modelos, como carros muito antigos ou modelos muito caros e exóticos. Por isso, mais uma vez, é importante fazer uma consulta antes de fechar negócio.

Ganhe bônus na renovação
Caso não haja registro de sinistro durante a vigência da sua apólice, você será beneficiado quando efetivar a renovação do vínculo. A chamada Classe de Bônus é concedida progressivamente e pode alcançar até 50% do valor original, caso o cliente siga como “ficha limpa” por vários anos, de acordo com a corretora de seguros online Bidu.

Seguro de fábrica
Boa parte das marcas automotivas disponibilizam seguros automotivos aos seus clientes, como forma de fidelização. A primeira vantagem dessa modalidade é que a negociação pode ser concluída ao mesmo tempo da compra do carro, permitindo que o veículo já saia segurado da concessionária pela própria marca. Os demais benefícios podem variar de montadora para montadora, mas podem incluir benefícios como valor mais em conta, carro-reserva, bônus extra na renovação, diluição dos valores do seguro nas parcelas de financiamento do veículo e prazos mais longos de cobertura, que chegam em alguns casos a até 36 meses.

Fonte: Revista Auto Esporte

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Vai viajar no feriado? Lembre-se da manutenção de seu carro

Resultado de imagem para carro e estrada

Atenção com itens de segurança é fundamental para evitar acidentes

O feriado está chegando e com isso muita gente se prepara para sair um pouco das cidades, viajar e descansar.
Quem não quer correr riscos de ser surpreendido por uma pane mecânica na estrada ainda tem tempo para fazer uma revisão no carro. E viajar com um veículo com a manutenção em dia dá muito mais tranquilidade e segurança. Por isso, itens importantes como freios precisam estar em perfeito funcionamento.
Quando for verificar os pneus, não esqueça do estepe. Se houver bolhas, desgaste irregular que podem indicar necessidade de alinhamento e balanceamento ou estiverem carecas têm de trocar para prevenir derrapagens e aquaplanagem, em caso de chuva.
O alinhamento da suspensão e o balanceamento das rodas costumam dar sinais de que precisam de manutenção justamente com o carro em velocidade maior na estrada. Então é bom ficar atento.
Carro na estrada exige mais força no motor e, portanto, é importante verificar o nível dos fluidos e se não há vazamentos. Além do óleo do motor, inclua na checagem o fluido de freio e, se o carro for flex, o nível de combustível do reservatório de partida. Lembrando que triângulo, macaco e chave de roda são itens obrigatórios nos veículos.
As dez melhores rodovias do país fazem parte do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado,fiscalizadas pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo, a Artesp. Mas segurança no trânsito exige mais do que boas pistas e sinalização adequada.
Cada motorista tem de fazer a sua parte; respeitar as leis de trânsito e viajar com o automóvel com a manutenção em ordem para não colocar em risco a segurança durante a viagem.

Fonte: JPNews

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Jogo do Brasil deixa SP 'sem horário de pico' no trânsito nesta segunda-feira

Pouca movimentação de veículos nas proximidades da estação Marechal Deodoro do Metrô, na região central de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (2), durante a partida entre Brasil e México na Copa do Mundo (Foto: Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo)

No pico da manhã, quando a lentidão deveria estar entre 100 km de filas e 48 km de filas, cidade somou 11 km de ruas e avenidas congestionadas. À tarde, maior índice foi de 13 km de filas.

O jogo da Seleção brasileira na manhã desta segunda-feira (2), nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia, gerou trânsito de fim de semana prolongado na cidade de São Paulo. Durante a manhã, a máxima de lentidão foi de 11 km de filas; na manhã da última segunda-feira (25), sem jogo, a capital somou 120 km de filas.

dias em que há partidas do Brasil no Mundial têm tornado o tráfego atípico na cidade. Quando os pentacampeões jogaram contra a Costa Rica foi registrado 0 km de filas no período da manhã e um trânsito muito acima do esperado logo após o jogo, no início da tarde.

O jogo contra a Sérvia produziu recorde de congestionamento do ano. A disputa estava marcada para as 15h, antecipando a volta pra casa dos paulistanos, que formaram 203 km de filas às 14 horas.

Nesta segunda, com o jogo marcado para as 11 horas e serviços públicos com horários de funcionamento alterados, muitos torcedores relataram ao G1 ter sido dispensados do trabalho ou com início do expediente alterado para as 15 horas.

Com isso, o trânsito se mantém tranquilo durante todo o dia. No pico da manhã, de 7 horas às 10 horas, o maior índice de lentidão registrado foi de 11 km de filas às 8 horas, quando o esperado para o horário era entre 100 km de filas e 48 km de filas. Na última segunda, dia comum, sem jogo da Seleção, o maior índice da manhã foi de 120 km de filas.

Nesta segunda, o tráfego zerou das 9h30 até as 13h30, quando o fluxo voltou a aumentar, entrando para dentro do esperado às 14h30, com 13 km de lentidão. Em seguida, a movimentação voltou a cair para abaixo da média e, às 17 horas, a cidade somava 1 km de ruas e avenidas congestionadas - o esperado era que o índice estivesse entre 54 km e 34 km filas.

Fonte: G1. Link: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/jogo-do-brasil-deixa-sp-sem-horario-de-pico-no-transito-nesta-segunda-feira.ghtml

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Haitianos são maioria dos refugiados inscritos para dirigir em serviço de táxi

Táxis na capital paulista
Haitianos compõem a maioria dos refugiados que se cadastraram no aplicativo 99 para trabalhar como motoristas do serviço em cidades do Brasil. Venezuelanos e bolivianos ocuparam, respectivamente, o segundo e o terceiro lugar.

Ao todo, 73 estrangeiros se inscreveram na plataforma nos primeiros sete dias desde que a 99 abriu o credenciamento para eles, na quarta (20), data em que é celebrado o Dia Mundial do Refugiado. Na lista ainda há peruanos, nigerianos, ganenses e libaneses.

A empresa espera aumento de mais de 170% na demanda nas próximas semanas, conforme esses estrangeiros regularizem a documentação necessária para poder dirigir.