sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Viu essa foto? 1973 | Vou de táxi

Hoje iremos iniciar o dia com um momento nostalgia na história do táxi em São Paulo:

Vou de táxi.

Táxi na versão Fusca circula pelas ruas de São Paulo em 25 maio 1973.

Fonte: Acervo do Estadão

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Vai comprar ou vender um carro? Saiba que documentos são necessários

Pagar um despachante ou deixar a papelada com a concessionária pode não ser uma opção na hora de negociar um carro.
Vai comprar ou vender um carro? Saiba que documentos são necessários

A burocracia no Brasil assusta muita gente, e para comprar ou vender um carro não é diferente. Há quem evite a papelada recorrendo ao despachante, pagando um dinheiro extra e evitando complicações. Mas se você é do tipo que gosta de fazer tudo sozinho, aqui vão informações sobre os documentos necessários para se negociar carros, tanto novos quanto usados.

Comprando um carro zero
Se você for a uma concessionária para comprar um carro 0km, é muito provável que a loja resolva todos os trâmites relativos à documentação. Se esse não for o caso, você mesmo pode dar a entrada na papelada do seu veículo novo.

Os documentos a serem emitidos são o Certificado de Registro do Veículo (CRV), que funciona como uma certidão de compra e venda do automóvel (e deve ser guardado em local seguro), e o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), o popular “papel do carro”, que deve ser portado obrigatoriamente sempre que ele circular pelas ruas e estradas do país.

Para requisitá-los, é preciso ir até uma unidade de atendimento indicada pelo Detran com os seguintes documentos:

- RG e CPF (original e cópia);

- Comprovante de endereço (original e cópia, de no máximo três meses antes);

- Cópia da nota fiscal do fabricante;

- Nota fiscal original da revenda, emitida pela concessionária ou pelo fabricante;

- Decalque do chassi;

- Formulário do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), disponível nos sites dos Detrans de cada Estado;

- Comprovantes de pagamento do primeiro registro e do emplacamento.

Ao apresentar esses documentos, são emitidas as guias para pagamento do IPVA e DPVAT (seguro obrigatório). Com elas pagas, é feito o pedido de emissão do CRV e do CRLV, assim como a geração do número da placa. Depois disso, com a papelada pronta e o veículo emplacado fisicamente, você está liberado para rodar com seu carro novo!

Transações com carros usados
Ao comprar um carro usado, antes de fechar negócio, é bom checar se ele não tem pendências, como autuações, taxas em aberto e multas não pagas. Para fazer isso, basta entrar no site do Detran, tendo em mão o Renavam do veículo e o número da placa. Se o carro for comprado em loja, o dono é obrigado por lei a dar o histórico. Também é importante checar se os números do chassi e do motor batem com os que aparecem nos documentos do veículo – se houver divergências, a dor de cabeça pode ser enorme.

Fechou negócio? Agora você tem 30 dias para transferir o carro para o seu nome. Atenção: o não-cumprimento desse prazo é considerado infração grave, rendendo cinco pontos na carteira! Além disso, sem a transferência, o antigo proprietário pode pedir o bloqueio do veículo, para evitar receber multas e cobranças. Para resolver isso, basta ir ao Detran com estes documentos:

- CRV preenchido e assinado pelo antigo proprietário, com firma reconhecida em cartório;

- CRLV do veículo (original e cópia);

- RG e CPF do novo proprietário (original e cópia);

- Comprovante de endereço do comprador (original e cópia, de no máximo três meses antes);

- Duas vias do formulário do Renavam, disponível nos sites dos Detrans de cada Estado;

- Dois decalques do chassi;

- Comprovante de pagamento da taxa de emissão da nova CRV e dos demais débitos, caso existam.

Se for vender seu carro para pessoa física, é necessário preencher e assinar o CRV do veículo, com reconhecimento de firma, e fazer a comunicação de venda ao Detran. Em muitos casos, ela pode ser feita online.

Caso você esteja vendendo seu carro a uma loja, o registro é passado imediatamente para o nome da empresa no momento em que o veículo entra no estoque. Esse procedimento entrou em vigor em 2017, visando reduzir a burocracia, e ele é feito totalmente online.

Fonte: Auto Esporte

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

CET implanta novo limite de velocidade na faixa exclusiva das avenidas Vinte e Três de Maio e Moreira Guimarães

Alteração entra em vigor a partir da 00h00 de domingo (26)

A Companhia de engenharia de Tráfego – CET implanta a partir da 00h00 do próximo domingo (26), novo limite de velocidade na faixa exclusiva (direita) das avenidas Vinte e Três de Maio e Moreira Guimarães. A mudança na velocidade, que passa de 60 km/h para 50 km/h, ocorre nos dois sentidos, no trecho entre os viadutos Dona Paulina e João Julião da Costa Aguiar. A medida visa padronizar a velocidade nas faixas exclusivas.

A faixa exclusiva das avenidas Vinte e Três de Maio e Moreira Guimarães funciona de 2ª a 6ª, das 6h00 às 22h00. A CET alerta que nos horários liberados, os demais veículos deverão obedecer a nova velocidade regulamentada, assim como os táxis que circulam pela faixa. A fiscalização começará automaticamente.

A sinalização será reforçada ao longo das avenidas, com a instalação de 39 placas regulamentando a nova velocidade, além da utilização de faixas e banners para orientação dos motoristas.

A Engenharia de Campo da CET e Técnicos da SPTrans vão acompanhar a mudança, com a orientação aos motoristas e pedestres, para manter as condições de segurança e fluidez no trânsito.

Fale com a CET - Ligue 1188. Atende 24 horas por dia para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões

Fonte: CET SP

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Táxi só para mulheres: confira três aplicativos que operam no Brasil


Não são pouco os casos de assédio sexual sofridos por mulheres em corridas de táxi e já vimos vários relatos sobre tentativas de sequestro de falsos motoristas de Uber. Por isso, a tendência é aumentar o número de aplicativos de corrida somente para mulheres não só no Brasil, mas mundo afora. Confira três empresas que já oferecem o serviço no País:

FemiTaxi
O FemiTaxi é um aplicativo exclusivo para taxistas mulheres, direcionado para o público feminino. O app funciona na Grande São Paulo e em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Disponível nos sistemas iOS e Android, já conta com mais de 4 mil usuárias. Outro diferencial é que a FemiTaxi tem a opção "Crianças desacompanhadas", que precisa ser solicitado com antecedência.

Taxi Rosa
Disponível exclusivamente no Rio de Janeiro, o aplicativo Táxi Rosa atende os sistemas iOS e Android. As motoristas andam em táxis comuns, mas com um adesivo rosa na parte traseira para identificá-las.

99 Motorista Mulher
O app "99" também investiu no serviço exclusivo para mulheres. Na hora de solicitar a corrida, basta selecionar a opção "Motorista Mulher".  Por enquanto, a modalidade existe apenas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Fonte: Revista Glamour

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Como utilizar as redes sociais para alavancar a carreira

Resultado de imagem para taxi e celular

As redes sociais são ferramentas cada vez mais importantes no cotidiano e podem contribuir com o seu dia a dia de negócios. Para isso, é preciso se atentar aos conteúdos divulgados nessas plataformas. 

"As redes têm hoje um poder muito grande. É importante que os profissionais estejam lá, com seu perfil atualizado. Interagir com responsabilidade é essencial", afirma Raphael Falcão, diretor da HAYS Response.

O ideal é evitar ter posicionamentos extremistas nas redes. Podem existir as posições contra determinado ato ou atitude, mas se colocar a favor ou contra determinada instituição não é o melhor caminho. É fundamental, em todas as situações, estar aberto ao diálogo e a posições contrárias a sua, também.

Participação em grupos e fóruns de discussões

Participar de espaços com discussões sobre o seu mercado de atuação pode ajudar gerar uma rede de contatos importante. Você pode optar por um grupo específico que o ajude entrar em contato com novas oportunidades. "Consideramos interessante quando o profissional sugere alguma coisa dentro desse grupo, isso é extremamente positivo à imagem", aponta o diretor.

Conexões fora da tela

Por mais que a 'vida virtual' influencie cada vez mais no desempenho profissional, estar presente em eventos e debates presenciais, além de promover encontros pessoais com outros profissionais é uma tática eficiente para reforçar o seu desempenho.

Fonte: RH pra você.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Educação e agência nacional são primordiais para segurança no trânsito

Resultado de imagem para segurança no transito

Especialistas debatem tema na 2ª edição do fórum Segurança no Trânsito, realizado pela Folha

A boa convivência entre motoristas, ciclistas e pedestres nas vias e estradas e a prevenção de acidentes exigem instrução educacional ainda nas escolas. Além disso, uma agência nacional de trânsito deveria ser viabilizada para criar novas políticas para todo o território.

Foram essas as principais conclusões da mesa “Planejamento urbano e segurança no trânsito”, parte da 2ª edição do fórum Segurança no Trânsito, realizado pela Folha.

Os motivos mais comuns às infrações de trânsito são alta velocidade, que em média ultrapassa em 20% o limite das placas de trânsito, e desobediência ao sinal vermelho e à parada obrigatória, segundo Danielle Sanches, pesquisadora da FGV-DAPP (Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas).

“Precisa de maior fiscalização e conscientização da população”, afirmou Danielle, ao acrescentar que grande parte dos acidentes de trânsito está também atrelada a registros de lesão corporal dolosa. “O sujeito bate, sai do carro e agride outra pessoa. É uma questão que só conscientização e cidadania poderiam resolver.”

João Octaviano Machado Neto, secretário municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo, defendeu programas nas escolas que eduquem sobre o trânsito.

“Cada um é responsável por sua atitude e por evitar acidentes. Essa meninada que vai para a balada e toma Corotinho e Catuaba tem que ter atitude responsável. Assim como o amigo do lado tem que ter atitude de dizer: ‘Você não vai pegar o carro porque ou vai morrer, ou vai matar’”, disse Machado Neto.

No que tange o aprimoramento da fiscalização e de políticas públicas para segurança viária no país, uma das soluções propostas pela mesa foi a criação de uma agência nacional de segurança de trânsito.

“Nós entendemos que é muito pouco ter apenas o Denatran [Departamento Nacional de Trânsito] dentro de um ministério”, afirmou Coca Ferraz, professor do departamento de engenharia de transportes da USP e secretário de Transporte e Trânsito de São Carlos.

Nesse sentido, Danielle destacou que o impacto dos mortos e acidentados no trânsito brasileiro é de R$ 19 bilhões por ano. “É quase o PIB do estado do Mato Grosso. É muito dinheiro para o Sistema Único de Saúde. E a gente sabe que lesões e sequelas são tão danosas quanto mortes, já que afetam uma população economicamente ativa.”

Ferraz destacou que planejamento de trânsito exige também cuidado com sinalização. “Se você vai numa cidade em que a sinalização está desgastada, mal conservada, isso induz o usuário a não dar tanta importância. Cuidar da sinalização reduz acidente.”

Machado Neto não apostou tanto assim nos acessórios de trânsito. “Tem um motociclista no Youtube que mostra como é que faz para andar a 120 km por hora na Marginal sem ser pego. Que elemento de fiscalização supera a imbecilidade de um sujeito desse?”

Ao falar dos ciclistas, o secretário defendeu que, apesar da introdução das ciclofaixas e ciclovias na capital paulista, não houve estruturação do sistema viário para recepcionar a bicicleta.

“São 17 mil quilômetros de vias que estão há 40 anos sendo usadas da mesma forma, e elas não foram projetadas com as mudanças que foram feitas.”

Para Machado Neto, a introdução dos ciclistas na rotina de trânsito das cidades exige maturidade social e compartilhamento da via. “Infelizmente, o que houve foi toda uma discussão e antipatia com a bicicleta.”

VELOCIDADE NAS MARGINAIS

Durante o debate, o professor da USP se declarou contrário ao aumento de velocidade das marginais Pinheiros e Tietê em São Paulo. “O benefício trazido pelo aumento de velocidade é muito pequeno. E os acidentes aumentaram.”

Machado Neto, defensor da proposta implementada na gestão do prefeito João Doria, justificou o aumento pela característica rodoviária das duas vias urbanas.

“Tivemos mortes a mais, mas uma foi porque um motoqueiro chutou o espelhinho do caminhoneiro; a outra, foi uma moça embriagada que atropelou e matou três pessoas; e teve uma na altura da Ceagesp envolvendo uma usuária de crack”, disse.

Levantamento feito pela Folha em dezembro do ano passado identificou o final de uma tendência de queda verificada em anos anteriores. Em 2014, a CET havia registrado 68 mortes nas marginais. No ano seguinte, quando os limites de velocidade foram reduzidos a partir de julho, o número caiu para 46. Em 2016, foram 26, e, ao final de 2017, subiu para 32 mortes.

Fonte: Folha de São Paulo

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Pilote com segurança: Dicas importantes no dia-a-dia para trazer mais segurança ao pilotar sua motocicleta.

Você tem hábitos de segurança no Trânsito?

Todo mundo sabe que capacete é assessório de segurança fundamental para pilotar moto, além do uso ser obrigatório por lei, mas você sabia que capacete tem data de validade?
O capacete é um produto perecível, tem que ter data de validade escrita e selo de qualidade do Imetro. Se ele sofre algum impacto, deve ser substituído, porque é difícil avaliar os danos internos na estrutura e se pode causar algum risco ao consumidor.
A escolha correta do capacete é fundamental para segurança de quem pilota uma motocicleta. Foto Divulgação Honda

Guarde o capacete sempre em local apropriado, isso fará com que ele tenha maior durabilidade. Foto divulgação Honda. (Foto: Divulgação Sanmell Motos)
Vamos as dicas para cuidar do seu capacete:

1 - Não pendure seu capacete no espelho retrovisor da moto, nas barras do pisca-alerta ou na alça traseira. Guarde-o sempre em local apropriado. O acolchoamento interno pode ser danificado e perder as qualidades protetoras.

2 -Tente escolher cores vivas, porque torna o motociclista mais visível, e coloque sempre adesivo refletivo, mesmo num capacete com pintura personalizada, o refletor tem presença marcante, principalmente durante a noite.

3 - Aperte bem a tira do capacete ao redor do queixo, ela não deve ficar solta ou larga demais.

4 - Evite levar capacete sobressalente sobre a moto, a menos que esteja protegido.

5 - Na limpeza, utilize somente sabão suave e evite produtos à base de petróleo.

6 - Antes de decorar seu capacete com adesivos ou desenhos, verifique as recomendações do fabricante.

Criança na garupa, apenas a partir dos 7 anos de idade, com a postura correta e com capacete apropriado. Foto divulgação Sanmell. (Foto: Divulgação Sanmell Motos)
E criança na moto?
Uma caroninha de moto é sempre bem vinda, mas e se for para uma criança? Será que pode?
Levar um passageiro não é problema, desde que seja feito corretamente.
A criança pode ser levada na garupa de uma motocicleta a partir dos 7 anos de idade e desde que consiga alcançar os pés na pedaleira da moto.
Ela deve abraçar a cintura ou os quadris do piloto, para obter a estabilidade.
Atenção: Ela não pode ser levada na frente do condutor ou no tanque de combustível.

Outra questão importante é quanto ao capacete! A criança não deve utilizar um capacete de adulto, porque ele tem que se ajustar à cabeça do passageiro, não pode ficar largo. É necessário capacete adequado para criança.
Ah! Crianças não devem fazer viagens longas porque ficam sonolentas.

Fique atento!

Fonte: Pilote com segurança - Projeto Sanmell Motos

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Rio e governo federal assinam termo para reduzir mortes no trânsito

Resultado de imagem para mortes no transito

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, e o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, assinaram segunda feira (13), no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, o Termo de Cooperação para Segurança Viária – Road Safety. O documento referenda diretrizes do Ministério das Cidades e da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) visando à redução das mortes no trânsito.

De acordo com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, a iniciativa vai complementar o trabalho feito no estado para reduzir os acidentes e mortes no trânsito. “Nós, no âmbito do governo federal, estamos buscando retomar a meta de redução de 50% das mortes nos próximos anos. O lançamento do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito, o Pnatrans, esse ano, é mais um passo neste sentido”, afirmou.

O governador Luiz Fernando Pezão agradeceu a parceria com o Ministério das Cidades em outras áreas, como na habitação e na mobilidade urbana. Pezão destacou casos de políticas públicas de sucesso no Rio de Janeiro, com a Lei Seca, considerado referência nacional: “Nas emergências dos hospitais, nos finais de semana, o movimento caiu mais de 40%”, disse.

Para o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Maurício Alves, no Rio de Janeiro, essa cumplicidade de ações “tem avançado a passos largos, sendo um grande modelo de gestão eficiente e que busca o objetivo maior, que é reduzir de forma absoluta o número de mortes e acidentes no trânsito.”

Mortes no trânsito
Os acidentes de trânsito no Brasil matam cerca de 45 mil pessoas por ano e deixam mais de 300 mil com lesões graves. Em rodovias, custam à sociedade cerca de R$ 40 bilhões por ano e nas áreas urbanas, cerca de R$ 10 bilhões.

Fonte: Agência Brasil

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

NY se torna a primeira grande cidade dos EUA a restringir Uber

Resultado de imagem para uber em ny

Câmara aprova projeto, que deve ser sancionado pelo prefeito; lei também prevê pagamento mínimo a motoristas

A Uber se tornou uma das maiores histórias de sucesso do Vale do Silício e mudou a maneira pela qual pessoas de todo o mundo se deslocam pelas cidades, mas vem enfrentando escrutínio cada vez mais intenso das autoridades regulatórias e dificuldades para superar sua imagem como companhia determinada a crescer a qualquer custo, não importa qual seja o impacto disso para as cidades.

Na quarta-feira (8) a gigante da tecnologia sofreu um grande revés em seu maior mercado nos Estados Unidos, quando o legislativo municipal de Nova York estabeleceu um limite para o número de veículos que a Uber e outras companhias de serviços de carros podem oferecer na cidade; as autoridades esperam que isso sirva de modelo para outras cidades que estão buscando maneiras de cercear a empresa.

O legislativo aprovou um pacote de medidas que suspende a concessão de licenças novas para veículos da Uber e serviços semelhantes por um ano, enquanto o governo municipal estuda a situação do setor.

As novas leis também permitem que o município estabeleça um padrão mínimo de pagamento para os motoristas.

As novas regras tornarão Nova York a primeira grande cidade americana a restringir o número de veículos em operação por serviços de carros e a estabelecer normas quanto à remuneração dos motoristas.

A posição agressiva de Nova York desperta questões sobre o crescimento da Uber, em um momento no qual a empresa, cujo valor de mercado é estimado em US$ 48 bilhões (R$ 180 bilhões), planeja avançar rumo a uma oferta pública inicial de ações a ser realizada no ano que vem.

O prefeito Bill de Blasio e Corey Johnson, o presidente do legislativo municipal, dizem que os projetos de lei vão conter os congestionamentos de trânsito cada vez mais graves na cidade e melhorar os baixos salários dos motoristas.

"Vamos suspender a concessão de novas licenças em um setor que foi autorizado a proliferar sem qualquer fiscalização ou regulamentação apropriada", disse Johnson antes da votação, afirmando que as regras não reduziriam os serviços existentes para os nova-iorquinos que recorrem a apps de carros.

De Blasio apoiou as novas leis e deve colocá-las em vigor. A suspensão de licenças novas para veículos a serviço da Uber e similares entraria em vigor no momento em que o prefeito assinar as leis.

PREÇOS MAIS ALTOS

A Uber alertou seus passageiros para o fato de  que as medidas resultarão em aumento de preços e esperas mais longas, se ela não conseguir acompanhar a crescente demanda por seus serviços.

Os apps de serviços de carros se tornaram uma segunda opção crucial para os nova-iorquinos que enfrentam os atrasos constantes nos trens do metrô da cidade, como aconteceu nesta quarta-feira, quando problemas de sinalização uma vez mais paralisaram os trens em vastas áreas do município.

A batalha quanto ao futuro da Uber em Nova York foi causada em parte pela preocupação crescente sobre os problemas financeiros dos motoristas —um problema exposto pelo suicídio de seis motoristas nos últimos meses. Nesta quarta-feira, um grande grupo de motoristas se manifestou diante da prefeitura antes da votação, com cartazes que mostravam os nomes dos seis motoristas que se suicidaram.

Nova York é a mais recente cidade a enfrentar a questão de como regulamentar a empresa.

Em Londres, o mercado mais lucrativo da Uber na Europa, a companhia reconquistou recentemente sua licença para operar táxis, depois de aceitar regulamentação mais severa, o que inclui fornecer dados de tráfego às autoridades municipais.

A Uber também enfrentou batalhas regulatórias em cidades americanas como Austin, no Texas, e em países como Canadá, Brasil e Itália.

O novo presidente-executivo da empresa, Dara Khosrowshahi, iniciou uma campanha diplomática mundial para reparar a imagem da Uber, depois de uma série de controvérsias, entre as quais acusações de discriminação e assédio sexual contra trabalhadoras da companhia.

A Uber criticou a decisão do legislativo de Nova York quanto a suspender a concessão de licenças, mas disse que trabalharia para atender à crescente demanda apesar das limitações à operação de novos veículos.

"A pausa de 12 meses que o município decretou na concessão de novas licenças colocará em risco uma das poucas opções de transporte confiáveis e nada fará por resolver os problemas do metrô ou aliviar os congestionamentos", afirmou Josh Gold, porta-voz da Uber, em comunicado.

A Uber anunciou que contatará imediatamente as dezenas de milhares de motoristas de veículos para transporte pago de passageiros que já têm licenças mas trabalham para outras empresas e que tentará convencê-los a mudar de bandeira.

A empresa disse que também continuaria a pressionar por outra solução, que criaria um pedágio para acesso a áreas congestionadas de Manhattan, mas requereria aprovação pelo legislativo estadual.

Muitos especialistas acreditam que o pedágio em áreas congestionadas é a melhor solução para resolver os congestionamentos em Nova York e obter as verbas necessárias para consertar os problemas do metrô. Johnson apoia a ideia, mas De Blasio expressou oposição a ela.

O governador Andrew Cuomo, que controla o metrô, disse que pressionaria pela aprovação da medida na próxima sessão legislativa, para ajudar a custear um plano de reforma do metrô.

AIRBNB

O legislativo municipal também agiu recentemente para regulamentar o Airbnb, outro grupo de tecnologia, que desordenou o setor de hotelaria. O democrata Johnson, que assumiu a presidência do legislativo municipal em janeiro, não demorou a tomar medidas audaciosas e a se posicionar sobre questões importantes, entre as quais convencer o prefeito a bancar cartões de transporte público vendido pela metade do preço para os nova-iorquinos mais pobres.

Muitos motoristas da Uber e taxistas dizem apoiar a proposta de suspensão na concessão de licenças. Eles esperam que isso reduza o influxo de novos veículos que estão congestionando as ruas da cidade, e lhes permita fazer mais corridas e ganhar mais dinheiro. A Uber e os demais serviços de carros só poderão adicionar novos carros às suas frotas se eles tiverem acesso para passageiro em cadeiras de rodas.

O democrata De Blasio tentou sem sucesso restringir a concessão de novas licenças à Uber em 2015. De lá para cá, o número de carros para transporte pago de passageiros na cidade disparou para mais de 100 mil, ante 63 mil em 2015, de acordo com a prefeitura.

Se o governo municipal estipular um pagamento mínimo de US$ 17,22 (R$ 65) por hora, isso resultaria em um aumento médio de 22,5% na receita dos motoristas, de acordo com um estudo conduzido por economistas independentes.

Cerca de 40% dos motoristas de veículos para transporte pago de passageiros têm rendas tão baixas que se qualificam para o programa federal de saúde Medicaid, e cerca de 18% deles se qualificam para assistência alimentar do governo, de acordo com o estudo.

O setor de táxis foi dizimado pela ascensão da Uber. O preço de uma licença para operação de táxi em Nova York caiu de mais de US$ 1 milhão (R$ 3,75 milhões) para menos de US$ 200 mil (R$ 750 mil).

Elizabeth Cassarino, taxista em Nova York, diz que apoia a suspensão na concessão de licenças e que espera que isso melhore os negócios para os táxis. Dirigindo seu táxi pelas ruas congestionadas de Manhattan, na quarta-feira, ela disse que já tinha estourado os limites de seus cartões de crédito e que vinha enfrentando dificuldades para comprar comida.

Fonte: Folha de São Paulo

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Veja 4 razões para evitar o celular enquanto dirige

4 razões para evitar o celular ao dirigir

Embora a internet e todos os aplicativos que o aparelho móvel possuem estejam dominando o nosso cotidiano, é necessário esquecer a tecnologia em alguns momentos, especialmente no trânsito, pois o condutor precisa estar atento não só à forma como está dirigindo, mas também a forma como os outros motoristas e pedestres estão se comportando.

Caso contrário, uma simples ligação ou envio de SMS pode custar caro, já que, de acordo com algumas pesquisas, as chances de acidentes podem aumentar em 400%. Confira os motivos para você ter mais atenção no trânsito:

1. Multa para o condutor
O primeiro motivo que iremos destacar para você evitar dirigir ao celular está ligado diretamente ao seu bolso. No Brasil, o condutor que dirige falando ao celular — mesmo via fone ou viva-voz — é multado, além de ter pontos somados à Carteira Nacional de Habitação (CNH).

2. Dirigir ao celular é tão perigoso quanto a ingestão de álcool
Segundo uma pesquisa da instituição inglesa RAC Foundation, o envio de mensagens pelo smartphone é capaz de retardar o período de reação do condutor em 35%. Para você ter uma ideia, esse percentual é muito acima da demora provocada pelo álcool — que é de 12%. Já imaginou?

3. O motorista perde a visão 360º
Quando dirige ao celular, você perde a visão 360º que deve ter com a ajuda dos retrovisores e prejudica a sua atenção no trânsito. Isso acontece porque, ao usar o celular, o condutor fica com uma visão denominada tubular, isto é, só consegue visualizar o que está à sua frente.

4. Não vê os buracos na pista
Outra consequência de dirigir usando o celular é não enxergar com antecedência os buracos que estão na pista, as placas e outros imprevistos que surgem na via.

Normalmente, um condutor demora cerca de 2,5 segundos para começar a frear diante de um imprevisto na rodovia, quando o veículo está a velocidades entre 80 e 100km/h. Se o motorista está na cidade, o tempo de reação é menor: 0,75 segundos.

Em contrapartida, para digitar dois algarismos no celular, o motorista demora 2 segundos. Assim, geralmente, quando percebem o imprevisto, não há mais tempo para frear.

Dicas para não dirigir ao celular e ter mais atenção no trânsito
Se você tem nomofobia (medo de ficar sem o celular por algum motivo), recomendamos que desligue o aparelho ou deixe-o no bolso enquanto dirige. Colocá-lo no banco de trás também pode ser uma boa ideia para não cair na tentação de dar uma espiadinha a cada notificação que receber.

Motorista novato ou experiente, vale se atentar a essas dicas para não entrar em enrascadas por causa de uma mensagem ou ligação que poderia ter sido atendida mais tarde. Pense nisso e dirija com cuidado! Participe da campanha Trânsito Mais Gentil!

Fonte: Porto Seguro

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Manutenção de freios: qual a importância e como fazer?


O sistema de freios é um dos componentes de segurança mais importantes do carro. Por isso, fazer a manutenção de freios regularmente, além de evitar que possíveis defeitos fiquem mais graves, também é zelar pela sua segurança.

O motorista deve ficar atento a todos os sinais que o veículo dá quando algo está errado com os freios. Porém, ainda mais importante é realizar sempre as manutenções preventivas e evitar que problemas aconteçam.

Especialmente hoje em dia, que os veículos contam com cada vez mais tecnologia embarcada como ABS (sistema que evita que as rodas derrapem numa freada), EBD (controle de tração/estabilidade, que utiliza os freios) e muitos outros sistemas, é muito importante que tudo esteja em ordem antes de pegar a estrada e viajar seguro.

No post de hoje, apresentaremos os benefícios da manutenção preventiva dos freios, seus componentes e também como identificar possíveis problemas no seu carro. Vamos lá?

Os benefícios da manutenção de freios preventiva

Os sistemas de freio estão ficando cada vez mais complexos e contando com ainda mais tecnologia embarcada. Isso não é nada ruim, afinal, tudo isso veio para trazer mais segurança ao veículo e seus ocupantes.

Por isso, a manutenção preventiva tem se tornado cada vez mais importante na vida dos motoristas. Fazer um check-up antes de pegar a estrada e evitar que algo possa apresentar problemas é a chave para garantir que um possível defeito não se torne um problema ainda maior.

Afinal, a quantidade de componentes que fazem parte do sistema de freios é grande, então, quanto mais cedo alguma falha for detectada, melhor.

Muitas vezes, a manutenção preventiva pode até não custar nada, como os serviços gratuitos oferecidos para clientes Porto Seguro Auto nos Centros Automotivos Porto Seguro, que cobrem o diagnóstico do sistema de freios e também outras checagens que ajudam na durabilidade do sistema, como os amortecedores, molas e fluídos.


Quais componentes fazem parte do sistema de freios?

Pedal
O pedal talvez seja o componente mais simples, mas também o que mais fica em contato com o motorista. Ele serve para acionar os freios e, geralmente, é regulado para que o motorista não tenha que fazer tanta força para parar o veículo.

Servo freio (hidrovácuo)
O hidrovácuo multiplica a força do pedal e a transfere para todo o sistema de freios do veículo, deixando o acionamento muito mais fácil e seguro, já que o motorista não tem que se antecipar ou fazer muito esforço, deixando a frenagem mais natural.

Fluído de freio
Os fluídos de freio nada mais são que óleos especialmente desenvolvidos para esses sistemas. É importante utilizar apenas esse tipo de óleo nos freios, já que eles apresentam as condições de resistência e elasticidade ideais para transferir a força da frenagem para as rodas.

Cilindro mestre
O cilindro mestre é o componente responsável por levar o fluído de freio até os pistões presentes nas pinças ou tambores de freios. Por ser enviado em alta pressão pelo cilindro, o fluído é capaz de exercer a força necessária para imobilizar o carro.

Mangueiras e canos
As mangueiras e canos do sistema de freio também são componentes simples, mas essenciais para seu funcionamento. As mangueiras são projetadas especialmente para atuar nos freios e aguentar as altas pressões que uma frenagem demanda.

Pastilhas e lonas
As pastilhas e as lonas de freio são os componentes responsáveis por criar a fricção necessária para que o carro desacelere e pare. Eles são feitos de um material especial, que cria resistência ao disco ou ao tambor e interrompe o movimento gradualmente.

Discos e tambores
Os discos e tambores são as peças que recebem a pressão das pastilhas e das lonas, criando fricção e parando o carro.  

Quando fazer a manutenção preventiva dos freios?

Cada fabricante tem uma recomendação específica para quando realizar a manutenção preventiva dos componentes que formam o sistema de freios. Por isso, cheque sempre o manual do proprietário para ter informações mais precisas.

Caso haja mau funcionamento de algum dos itens, é preciso a avaliação de um profissional para determinar se é preciso ou não realizar a troca.


Fique atento aos sinais de problema com os freios

No dia a dia com o carro, é bom ficar atento a alguns sinais que podem indicar problemas no sistema de freios. Abaixo, apresentamos a lista dos mais comuns para você ficar atento:

  • trepidação no volante: se ao frear você sentir alguma trepidação no volante, pode ser sinal de disco empenado;
  • barulho de “ferro com ferro”: se ouvir este barulho durante as frenagens, pode ser um sinal de que as pastilhas precisam ser substituídas;
  • pedal de freio baixo: se o pedal de freio estiver muito baixo, pode ser falta de fluído (geralmente indicada no painel) ou também algum problema com o servo ou até o cilindro mestre.


Essas são apenas algumas dicas para você ficar de olho e garantir que não haja dor de cabeça com esse sistema tão importante.

Fonte: Porto Seguro

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Placas do Mercosul começam a valer em 1º de setembro no Brasil

Veja como serão as novas placas de veículos no Brasil (Foto: Karina Almeida/G1)
Na primeira etapa, elas serão adotadas em veículos zero quilômetro ou quando for feita transferência de município. Veículos que já circulam terão até 31 de dezembro de 2023 para mudar.

O prazo para as placas de veículos adotarem o padrão dos países do Mercosul vai começar em 1º de setembro de 2018, informa resolução publicada no Diário Oficial da União.
Em Março deste ano, o Ministério das Cidades havia divulgado que a nova placa brasileira teria 6 meses para entrar em vigor.
A placa com novo padrão jé é usada na Argentina e deveria ter começado a ser adotada no Brasil em janeiro de 2016, mas foi adiada duas vezes: primeiro para 2017 e, depois, sem prazo específico.

Fonte: G1

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Venda de motos sobe 8,4% em julho no Brasil

Venda de motos Fenabrave (Foto: Fábio Tito/G1)
76.247 unidades foram emplacadas no mês. Acumulado mostra alta de 7,14% no ano.

A venda de motos subiu 8,4% em julho no Brasil, informou da associação das concessionárias, a Fenabrave, nesta quarta-feira (1). De acordo com a entidade, foram 76.247 unidades comercializadas no período, contra 70.341 no mesmo mês de 2017.

Em relação a junho, quando o setor vendeu 74.084 motos, a alta foi de 2,92%. No acumulado do ano, o total de 533.123 unidades foram comercializadas entre janeiro e julho, o que mostra um crescimento de 7,14% em relação ao mesmo período do ano passado.

Retomada de crescimento
Depois de 7 anos, a venda de motos voltou a crescer no Brasil durante o 1º semestre de 2018. O desempenho positivo também da produção levou as montadoras a ficarem mais otimistas, fazendo a previsão de crescimento para o segmento no ano chegar a 11%.

Fonte: G1

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Que cuidados você deve ter com seu carro no período de chuvas

Cuidados com o carro no período de chuvas

Em muitas regiões brasileiras, os meses chuvosos do ano reservam para os motoristas grandes dificuldades nas estradas, não somente pelo movimento das férias, que aumenta a quantidade de carros nas rodovias, mas também por ser o período mais chuvoso.

Se você precisa pegar a estrada para chegar ao trabalho, se faz questão das viagens de final de semana ou até mesmo, se enfrenta as águas na cidade grande, é importante tomar alguns cuidados com o seu carro para aumentar a segurança e não colocar ninguém em risco. Saiba, a seguir, como garantir mais proteção no seu automóvel em épocas de chuva:

Limpadores
Em dias chuvosos, o primeiro passo é garantir a melhor visibilidade possível da pista, e um dos itens imprescindíveis para a época das águas é o limpador de para-brisa.

Fique atento a riscos de borracha no vidro e ao som emitido pela peça, quando passar pelo para-brisa: esses são dois indícios de que está na hora de trocar o limpador. Não esqueça também de conferir o do vidro traseiro!

Lanternas
Dias chuvosos são naturalmente mais escuros, e muitos momentos requerem o farol aceso. Por isso, não deixe de revisar suas lanternas antes de sair com o carro, pois além da questão da segurança, o condutor corre risco de ser autuado com 4 pontos na carteira.

As luzes de sinalização, como o pisca alerta e setas de direção também devem estar em dia e reguladas, para evitar transtornos.

Pneus
A água reduz o atrito entre o asfalto e os pneus, sendo que o acúmulo do líquido pode gerar a famosa aquaplanagem, processo no qual o condutor praticamente perde o controle do carro devido à falta de contato entre o pneu e o chão.

Confira sempre a profundidade dos sulcos dos pneus (ranhuras na borracha) do seu carro, pois são eles que entregam a condição atual da borracha. E em caso de aquaplanagem, não se desespere: apenas pare de acelerar, mantenha a direção reta e não pise no freio.

Freios
Juntamente com os pneus, o sistema de freios são os responsáveis por parar o seu carro em alguma emergência, e por isso devem estar em boas condições. Confira periodicamente o fluido de freio e a condição dos demais componentes do sistema de freios, como discos, cilindros etc. Fique atento a qualquer ruído ou demora ao frear: esses são alguns indícios de que seu freio necessita de manutenção.

Sistema de circulação de ar
O sistema de ventilação do veículo exerce papel fundamental quando o vidro começa a embaçar. Por esse motivo, com ar condicionado ou não, é necessário realizar manutenção das entradas de ar e do sistema de ventilação, já que, em casos de opacidade do vidro, eles resolvem o problema de maneira mais rápida, evitando que o motorista se arrisque ou tenha que parar o carro na via.

Cuidado ao estacionar
Vale lembrar ainda que, geralmente, chuvas fortes vêm acompanhadas de raios e quedas de árvores — sem mencionar a chuva de granizo — o que, além de bloquear vias, pode causar avarias aos veículos estacionados nos arredores.

Não há como prever se uma árvore cairá ou se a chuva que vem será capaz de derrubar algumas delas, por isso, nessa época do ano, opte por deixar o carro em áreas cobertas ou, ao menos, longe de árvores maiores.

Mais atenção ao dirigir
Além das dicas de manutenção, é sempre bom levar em conta alguns conselhos na hora de dirigir com chuva, tais como não ultrapassar a distância de segurança, reduzir a velocidade, redobrar o cuidado nas ultrapassagens e ficar atento à visibilidade.

Mais importante do que chegar logo é chegar são e salvo. Portanto, se a situação estiver muito difícil para o seu veículo, não hesite em parar no acostamento, sempre com o pisca-alerta ligado e a devida sinalização.

Fonte: Porto Seguro